Olá, bem-vind@!

Quer participar e contribuir? Clique no botão "Registrar-se" se é sua primeira vez aqui. Se você já é um dos nossos, clique em "Entrar".

Multiculturalismo no c# dos outros é refresco !

123578

Comentários

  • PercivalPercival Member
    editado February 2017
    Pug escreveu: »
    Por que conhece pouco e por que acha que é ruim? Quais livros que você leu?

    Viu só como o seu cérebro é selectivo. É nisto que nós,humanos, somos especiais.

    Eu disse que achava lixo, depois suspendi o juízo. 
    Conheço pouco, por não ter tido curiosidade mais. Li pouco, por serem livros digitais, não consigo ler com a atenção necessária sem ser em papel. 
    Não lembro do nomes dos livros.

    Ótimo você não conhece nada de Objetivismo e quer julgar. Não estou sendo seletivo, nesse questionamento vejo um cara que não saca nada de filosofia e com um belo problema cognitivo. :)

    Não posso te obrigar a conhecer a filosofia, mas posso dizer que julga sem ao menos ter conhecido ela direito.
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • Da Ayn Rand sei que houve trechos com que podia concordar, mas faltava-me uma visão mais global da coisa.
    Ótimo você não conhece nada de Objetivismo e quer julgar. Não estou sendo seletivo, nesse questionamento vejo um cara que não saca nada de filosofia e com um belo problema cognitivo.

    Já chegamos neste ponto
     
  • Pug escreveu: »
    Da Ayn Rand sei que houve trechos com que podia concordar, mas faltava-me uma visão mais global da coisa.

     

    Mas afinal tu concorda ou não concorda? LOL.
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • Não posso te obrigar a conhecer a filosofia, mas posso dizer que julga sem ao menos ter conhecido ela direito.

    Vc é insultuoso e pouco esforçado no pensar.  
    A minha valia no meu estudo académico da filosofia, desde há anos está na diferença. Não tenho dificuldade em ler e entender o que vc diz, por isto aponto detalhes daquilo que vc não repara. Esta é a minha função, que faço muito bem na oralidade e com dificuldade por escrito...


     


     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • PercivalPercival Member
    editado February 2017
    Pug disse:
    Não posso te obrigar a conhecer a filosofia, mas posso dizer que julga sem ao menos ter conhecido ela direito.

    Vc é insultuoso e pouco esforçado no pensar.  
    A minha valia no meu estudo académico da filosofia, desde há anos está na diferença. Não tenho dificuldade em ler e entender o que vc diz, por isto aponto detalhes daquilo que vc não repara. Esta é a minha função, que faço muito bem na oralidade e com dificuldade por escrito...


     


     

    Sou muito pouco esforçado no pensar, você mesmo disse anteriormente não está aqui para filosofar, quer as coisas do seu jeito. Filosofia não é assim, meu caro. Aliás, até entendo mais ou menos seu senso de vida malevolente, mas que tu tem algum problema cognitivo tu tens.

    O mais incrível é falar de Objetivismo sem sequer ter lido algo a respeito pra falar, nem um artigo nem uma entrevista da autora pra dizer algo de substância da dita cuja.

    O que você quer é bostejar subjetivismo e relativismo. Se isto pra você é pensar, tudo bem. Mas está leguas da realidade gajo.

    Você quer é palmas para dançar.
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • VAZOU! Veja quem inspirou Trump contra os imigrantes ilegais!
    Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     

  • Hollywood sitiada: Blitz da mídia critica a “islamofobia” de 24 Legacy e produtores da série acabam se entregando

    Em mais um exemplo da “hiperpolitização” que a mídia-esquerda promove sobre tudo, os produtores do reboot da série 24 Horas, 24: Legacy, tiveram que enfrentar uma blitz de perguntas após o lançamento do primeiro episódio da nova série. A razão, é claro, uma transgressão da cartilha politicamente correta – mais especificamente, a representação de terroristas islâmicos. O New York Times, por exemplo, chamou a série de “um comercial de islamofobia de uma hora de duração exibido durante o Super Bowl” e uma simples busca no Google por “24 legacy” revela uma enxurrada de críticas a série. Não por que ela é má escrita ou pessimamente executada – só por causa do uso de terroristas islâmicos.

    A série toma inspiração na missão que matou Osama Bin Laden e começa com seguidores do terrorista ficcional Bin Khalid assassinando um soldado americano e sua família em retaliação à morte de seu líder. A cena obviamente atraiu criticismos da mídia especializada, principalmente devido à repercussão da barração de viajantes de sete países que colaboram com o terrorismo lançada pelo Presidente Trump, descaracterizado como um “banimento a muçulmanos”.

    Em uma peça do extremamente progressista Hollywood Reporter, o repórter, após insinuar que de certa forma é errado mostrar terroristas islâmicos em filmes e séries, busca explicações dos produtores de 24: Legacy, Manny Coto e Evan Katz. Aludindo a reviravoltas no decorrer da temporada, os dois acabam se entregando:

    “É como se o show começasse escrito por Trump e terminasse escrito por Hillary”, disse Coto. Bom, a não ser que a temporada acabe com os EUA entrando em guerra com a Rússia após decretar anistia a todos os imigrantes ilegais no país, pode-se observar nessa pequena frase o reflexo de todo o aparato ideológico que domina Hollywood -Trump representa o medo, combustível do preconceito contra muçulmanos, enquanto Hillary remete à tolerância e amor entre os povos.

    O simples fato de, pressionado por um repórter motivado por ideologia, o produtor aludir à candidata presidencial derrotada para se safar da má recepção da cena mostra bem como as coisas funcionam na indústria do entretenimento, onde mídia e criadores se alimentam no avanço de uma agenda ideológica.

    Primeiro que não há nada de errado em retratar muçulmanos como terroristas. Eu não preciso nem explicar, você que acompanha vagamente o que vem acontecendo no mundo consegue enxergar a realidade muito bem. É claro que, só por causa disso, não quer dizer que todo vilão de thrillers hollywoodianos precisam ser terroristas islâmicos, numa espécie de Guerra Fria 2.0, mas criticar a representação deles é simplesmente ridículo e uma discrepância com a realidade.

    Tá certo que 24 Horas nunca buscou o realismo. Na verdade, todas as temporadas que começaram com terroristas islâmicos acabaram revelando interesses econômicos e políticos de ocidentais por trás de suas tramas, mas a série nunca teve medo de abordar assuntos polêmicos como células terroristas disfarçadas de famílias muçulmanas bem assimiladas e nem a ocultação de suspeitos pela comunidade islâmica. Por baixo do suspense exagerado e clichês de histórias de ação, a série sempre soube ilustrar a realidade sem tentar vender uma verdade absoluta para nenhum dos lados. Há muçulmanos pacíficos e há terroristas, ponto final.

    Mas, produto da era em que foi criada, 24: Legacy já começa prejudicada pelo politicamente correto. Não existe mais interesse em simular e estudar a realidade, mostrando como nem tudo é sempre tão preto-e-branco quanto a retórica política faz parecer. Hoje tudo tem que ser politizado e analisado sob a ótica da política partidária. Hollywood virou uma máquina de propaganda novamente – como foi durante a Segunda Guerra Mundial e a Guerra Fria. A diferença é que ao invés de inspirar a luta contra um inimigo em comum, ela vende a submissão a uma ideologia que é capaz de corroer as fundações da cultura ocidental.

    http://lolygon.moe/2017/02/hollywood-sitiada-blitz-da-midia-critica-a-islamofobia-de-24-legacy-e-produtores-da-serie-acabam-se-entregando/
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • Percival disse:
    Hollywood sitiada: Blitz da mídia critica a “islamofobia” de 24 Legacy e produtores da série acabam se entregando

    Não deve mesmo ser fácil a vida de artista, num meio em que ir contra a patrulha ideológica de momento é anátema profissional.
    Meu PC é Pai, Filho, e Espírito Santo. O pai é o hardware, o filho, o software, e o ES, a energia elétrica.
  • Senhor escreveu: »
    Percival disse:
    Hollywood sitiada: Blitz da mídia critica a “islamofobia” de 24 Legacy e produtores da série acabam se entregando

    Não deve mesmo ser fácil a vida de artista, num meio em que ir contra a patrulha ideológica de momento é anátema profissional.


    Culturalmente vai demorar esse processo de descontaminação que há no meio artístico, ou não.
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • 16700455_784720238345636_7082453685854785138_o.jpg?oh=f76713dd1ed6863fb3dcb1f0c032a954&oe=58FF5E1F
    Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     


  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Muito boa 
    Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • EmmedradoEmmedrado Member
    editado March 2017


    Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • POLÔNIA , UM EXEMPLO A SER SEGUIDO 



    Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • PugIIPugII Member
    A diferença, a alteridade é essencial para o nosso bem estar.

     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Peça de teatro na Suécia decide humanizar os terroristas
    O fascismo cultural (politicamente correto) realmente fritou o cérebro dos suecos. Não há mais esperança de recuperação para esse país. É só assistir o horror e nos divertirmos e os utilizarmos como contra-exemplo.

    Conforme mostra o site de Milo Yiannopoulos, uma nova peça de teatro chamada “Jihadisten” (O Jihadista) estreou no Gothenburg City Theatre.

    A peça fala de jovens suecos que se radicalizam e decidem entrar para o ISIS. Mas a peça é também sobre um “contexto maior” relacionado aos terroristas, diz o roteirista e diretor Johan Gry, cujo “objetivo é humanizar o terrorista, para, como podemos dizer, lidar com isso”. Ele quer “garantir que o terrorista seja visto como um ser humano”.

    Segundo ele, “se não ousarmos fazer isso, então desumanizaremos esta pessoa da mesma forma que desumanizamos suas vítimas, e se não pudemos entender ou tentar entender esta pessoa, não saberemos nada sobre seus problemas mais básicos”.

    É mole?

    http://www.ceticismopolitico.com/peca-de-teatro-na-suecia-decide-humanizar-os-terroristas/
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • Percival disse: Peça de teatro na Suécia decide humanizar os terroristas
    O fascismo cultural (politicamente correto) realmente fritou o cérebro dos suecos. Não há mais esperança de recuperação para esse país. É só assistir o horror e nos divertirmos e os utilizarmos como contra-exemplo.

    Conforme mostra o site de Milo Yiannopoulos, uma nova peça de teatro chamada “Jihadisten” (O Jihadista) estreou no Gothenburg City Theatre.

    A peça fala de jovens suecos que se radicalizam e decidem entrar para o ISIS. Mas a peça é também sobre um “contexto maior” relacionado aos terroristas, diz o roteirista e diretor Johan Gry, cujo “objetivo é humanizar o terrorista, para, como podemos dizer, lidar com isso”. Ele quer “garantir que o terrorista seja visto como um ser humano”.

    Segundo ele, “se não ousarmos fazer isso, então desumanizaremos esta pessoa da mesma forma que desumanizamos suas vítimas, e se não pudemos entender ou tentar entender esta pessoa, não saberemos nada sobre seus problemas mais básicos”.

    É mole?

    http://www.ceticismopolitico.com/peca-de-teatro-na-suecia-decide-humanizar-os-terroristas/

    A Suécia parece ser a presa mais fácil do Islão .
    Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.