Olá, bem-vind@!

Quer participar e contribuir? Clique no botão "Registrar-se" se é sua primeira vez aqui. Se você já é um dos nossos, clique em "Entrar".

Por que Ebooks não vendem?

 Descobri por que eu e o Paulo Coelho não vendemos nenhum eBookCardoso 05/05/2017 vlcsnap-00001.jpgEu fiz várias apostas erradas na vida, mas se há uma que perdi feio, de dar com a cara no chão foram os leitores de ebooks. Eu sei. Você tem um. Eu também. Já quebrei dois Kindles e acabo de comprar o terceiro, é incrivelmente prático, mas nós somos exceção e quando previ o sucesso avassalador desses equipamentos, vi sob o ponto de vista de geek, não de consumidor normal.A realidade é que os números são cruéis. Em 2016 no Reino Unido as vendas dos livros físicos cresceram 7%, enquanto ebooks caíram 17%. Nos Estados Unidos a queda chega a 18.7% e os livros físicos brochura subiram 7.5%. Racionalmente isso não faz sentido. Todo mundo esperava um efeito avassalador, semelhante ao que aconteceu com a música digital. Discmen morreram de um dia para o outro, depois de abarrotar seus celulares as pessoas começaram a usar serviços de streaming para acessar milhões de músicas. Como um Kindle, carregando centenas de livros não tem a mesma atração?A resposta é simples: A psicologia é completamente diferente. O meio físico sempre foi um incômodo pelo qual passávamos para chegar na música. Nós queremos o som. Colocamos a fita, o disco, o cartucho de 8 pistas para tocar e ouvimos. O maior audiófilo do mundo, daquele que se masturba pra anúncios de cabos de US$1000,00 se preocupa com o som, não com a fita girando dentro do deck.Já o livro é algo que manipulamos durante toda a leitura. Racionalmente sabemos que compramos as palavras, não o papel, mas emocionalmente é impossível dissociar um do outro. Muita gente pede que eu volte a publicar livros físicos para poder dar de presente. De novo, racionalmente não faz sentido, mas pense bem: Qual a graça de dar um ebook de presente?Uma das cenas mais lindas d’A Bela e a Fera é quando a Fera presenteia a Bela com sua biblioteca. Milhares e milhares de livros em estantes até o teto impossivelmente alto. uma biblioteca linda como o Real Gabinete Português de Leitura. Você acha que a cena teria uma fração do mesmo impacto se a Fera desse de presente algo assim?microsdxc.jpgAo contrário de música para livros quantidade não é vantagem. Pessoas normais leem um livro de cada vez, não é algo que pese horrores na bolsa ou na mochila. Pombas, nós somos adestrados durante a infância a carregar toneladas de livros para todo lado, um só é tranquilo.Livros podem ser emprestados, manuseados e expostos. Você pode deixar um livro em sua mesa e ir ao banheiro, ele não será roubado. Não há registros de ladrões levando livros de passageiros em ônibus, mas duvido que um vá deixar um Kindle para trás.O argumento do preço é outro a ser levado em consideração. Psicologicamente não há como um ebook custar o mesmo que um livro físico. Nós sabemos que o autor é a parte mais importante (né? né?) mas ao colocar o ebook no mesmo preço que o livro de papel nós nos sentimos roubados, afinal… não tem papel. São apenas elétrons em um chip de memória. EU SEI que o conteúdo é o mais importante, mas nós não evoluímos para precificar o intangível. E sim há ganância das editoras no pacote.Talvez a nova geração tenha mais desapego, pode ser que o ebook finalmente ganhe seu espaço e o livro físico se torne artigo de luxo para saudosistas, como o vinil é hoje em dia, mas eu não apostaria nisso. Minha conclusão é que eu estava totalmente errado. O ebook não vai dominar o mundo, por mais prático e eficiente que seja será sempre uma lasanha de microondas. Mesmo quem come sabe que o negócio de verdade é muito mais gostoso.d1e65d916b6a2ad792d7356e910fa21d.jpghttps://contraditorium.com/2017/05/05/descobri-por-nao-vendo-nenhum-ebook-vale-ate-pro-paulo-coelho/
  “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]

Comentários

  • Uma das principais desvantagens dos e-books é que não podemos pedir para o autor autografar. Eu tenho muitos livros autografados e, alguns desses autores, se tornaram meus amigos. Além de o prazer de você poder folhear um livro, sentir o cheiro de suas páginas, é o contato que você tem com o autor quando este lança o seu livro.

    Help-a-Lenda-de-um-Beatlemaniaco-Sergio-Pereira-Couto-302978.jpg 
    pereira2.jpg?w=723

    Sérgio Pereira Couto - autor do livro acima.
  • Acho que eooks são somente um quebra galho, também sou muito mais ligado a material físico que ao digital. De livros a hqs.
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    editado May 2017
    Já li mais de 200 e-books, inicialmente no computador e depois num e-reader. 
    O que não impede que ainda leia livros em papel de vez em quando e em paralelo.

    No meu caso particular, as principais vantagens são:

    - Eu comprava da Amazon, nos EUA. Levava mais de um mês para chegar e alguns nunca chegaram. O e-book chega na mesma hora e ainda é mais barato.

    - Se você se interessa pelos clássicos, há uma quantidade absurda disponível de graça, já com o direito autoral caducado ( o Projeto Gutenberg, por exemplo:  https://www.gutenberg.org/ )

    - Apesar do fetiche pelo livro-objeto, o fato é que não tenho mais espaço em casa para mais livros. Os e-books não ocupam espaço.

    - Se quero encontrar alguma coisa num livro já lido, não preciso pegar uma escada e revirar armários e prateleiras até encontrá-lo (o livro que eu quero está sempre atrás e embaixo dos outros).

    - Depois de uma certa idade, caiu a ficha de que sou mortal e jamais conseguirei ler tudo o que me interessa, o que dirá reler, portanto tornou-se menos importante ter os livros em papel ocupando espaço.

    - É mais fácil fazer buscas num e-book. Ou copiar trechos para citar num debate ou guardar para uso futuro. Ou fazer backup. Ou transportar uma biblioteca inteira se tiver, por exemplo, que me mudar para outro país.

    - O e-reader vem com dicionários em várias línguas. Basta tocar numa palavra e a definição aparece. Às vezes, me pego fazendo isto no livro em papel.

    - Não preciso segurar o livro aberto, posso ajustar o tamanho e o tipo de fonte, não preciso marcar a página em que estou, posso ler no escuro se faltar luz etc. etc.

    Por outro lado, entendo que estas coisas não têm valor para quem é jovem e ainda está começando sua biblioteca.

     
  • Eu gosto da praticidade do material digital: isso me serve como filtro para decidir quais obras eu gostaria de ter em físico.

    Assim como filmes: gosto de ter os que mais gosto em DVD.
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • Por outro lado, entendo que estas coisas não têm valor para quem é jovem e ainda está começando sua biblioteca.

    Obrigado pela parte que me toca...rsrsrsrsrs.
    Eu tenho um número considerável de livros e, quando preciso de mais espaço, eu monto uma prateleira com material reciclado (caixas que transportam, principalmente, tomates e / ou verduras). 
    Embora as vantagens sejam absurdas, uma edição com o autógrafo de seu autor passa a ter um valor maior, tanto fisico quanto emocional.
  • JudasJudas Moderator
    Por que Ebooks não vendem?

    Porque de graça é mais barato ^^

  • Tem esse porém também.
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • PercivalPercival Member
    editado October 2017
    20171013devices.png

    O Tech Crunch publicou uma matéria bem interessante destacando como leitores de eBooks estariam estagnados. É verdade, não só não apresentam nenhuma evolução tecnológica como as vendas também estão decepcionantes desde sempre, com nomes famosos saindo do mercado, mas o quanto disso é culpa da tecnologia?

     Imagine que você chega hoje, 2017 entra em uma loja pede um PC Gamer e recebe um PC com 1 GB de DDR 400, HD de 128MB e placa de vídeo AGP com 128 MB de DDR2. No mínimo tem uma crise de riso.


     Agora imagine que você precisa vingar a morte de sua família pelas mãos do Lorde Obo-Kan. Entra em uma passagem no Desfiladeiro dos Espelhos, acha a lendária loja do Hitaro Kako, armeiro. Ele te vende uma katana de 400 anos feita pelo insuperável Hatori Hanzo. Você sai satisfeito.


     O primeiro Kindle tinha CPU de 400 MHz, 250 MB de armazenamento e tela de e-ink de 800 × 600. Isso foi em 2007, mesmo ano do PC descrito acima. Um Kindle de oitava geração, vendido no site hoje tem um processador mais rápido, 4 GB de armazenamento e tela de e-ink de 800 × 600. Tirando alguns refinamentos é essencialmente o mesmo aparelho de 10 anos atrás. Será esse o motivo de não vender tanto?

     Eu pessoalmente acho a “acusação” de que o Kindle não evolui no mínimo engraçada. Querem um killer app em um leitor de livros? Ou querem transformar o Kindle em um tablet? Pra isso já existe o iPad. O acesso web “experimental” do Kindle já é uma aberração desnecessária.

     Um leitor de ebooks é uma descaroçadora de azeitonas em um mundo de canivetes suíços, esse é o grande problema. As pessoas se acostumaram, mal, a ter uma ferramenta genérica que faz tudo mais ou menos bem, mas nada excelente. O Kindle é excelente para leitura de textos, e só.



     Ele faz sucesso em um subgrupo de leitores vorazes, que se preocupam mais com o conteúdo do que com a forma, gente que não tem que desfilar com um tijolo de 800 páginas para provar a superioridade intelectual. Gente também que não está presa ao passado, dependendo da resposta táctil do livro para entender que está consumindo literatura.


     É a mesma coisa que um livro? Não, claro que não, um livro é muito mais gostoso de manusear do que um Kindle, mas é um preço pequeno por poder levar sua biblioteca inteira dentro dele.


     A triste realidade é que não é a tecnologia que está matando os leitores de ebooks, são os leitores. As pessoas não leem tanto assim, nem compram tantos livros. Quando compram querem o sentimento de posse, que não existe com o formato eletrônico. Vide a moda de livros de YouTubbers, os fãs não ligam pra ler, mas querem ter o objeto físico relacionado com o ídolo. Uma versão eletrônica? Qual a graça?

     Qual a solução para os ebooks? Por hora, nenhuma. Eles continuarão sendo um produto de nicho, como audiobooks. Não que isso signifique fracasso, o mercado continua existindo e se você achar um subnicho conseguirá fazer dinheiro até escrevendo contos eróticos de dinossauros gays, mas a mídia física, o livro de papel nem de longe está tão ameaçado quanto todo mundo acreditava uns anos atrás.


    http://meiobit.com/373824/leitores-de-ebooks-seriam-uma-tecnologia-estagnada/
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • NadaSeiNadaSei Administrator, Moderator
    editado October 2017
    Eu prefiro os e-books aos livros reais.

    Ok, o livro em papel vem com capa e tem um cheiro bom... mas isso é tudo. E-books são mais praticos para manipular, a pagina está sempre marcada, eu posso fazer anotações e "marcar" textos sem me preocupar e ler e-book em transporte publico ou carro é muito melhor. De quebra meu kindle tem luz própria e eu posso ler na cama mesmo com a luz apagada.
    “A violência comunista não foi mera aberração da psique eslava, mas sim algo diabolicamente inerente à engenharia social marxista, que, querendo reformar o homem pela força, transforma os dissidentes primeiro em inimigos, e depois em vítimas.” - Roberto Campos
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    editado October 2017
    Ainda estou lendo os livros em papel que acumulei durante décadas de pesquisa em sebos e livrarias, mas a maior parte do tempo leio no e-reader, a uma média de uns 33 livros por ano.

    Como eu disse mais acima, é mais simples e confortável e não ocupa espaço na estante (que já está cheia).
    Além disto, na minha idade, já me dei conta de que é mais importante poder ler o livro do que guardá-lo como objeto físico. E hoje, com os ebooks, tenho acesso a uma biblioteca ilimitada, que nunca conseguirei terminar de ler, ao contrário da minha infância e juventude.

    Acontece que o e-reader que comprei há 4 anos ainda funciona perfeitamente, portanto não tenho motivos para comprar outro. Vou ficar com este até enguiçar (se enguiçar), portanto a chance de me venderem outro é muito reduzida.
  • NadaSeiNadaSei Administrator, Moderator
    Fernando_Silva disse: Ainda estou lendo os livros em papel que acumulei durante décadas de pesquisa em sebos e livrarias, mas a maior parte do tempo leio no e-reader, a uma média de uns 33 livros por ano.

    Como eu disse mais acima, é mais simples e confortável e não ocupa espaço na estante (que já está cheia).
    Além disto, na minha idade, já me dei conta de que é mais importante poder ler o livro do que guardá-lo como objeto físico. E hoje, com os ebooks, tenho acesso a uma biblioteca ilimitada, que nunca conseguirei terminar de ler, ao contrário da minha infância e juventude.

    Acontece que o e-reader que comprei há 4 anos ainda funciona perfeitamente, portanto não tenho motivos para comprar outro. Vou ficar com este até enguiçar (se enguiçar), portanto a chance de me venderem outro é muito reduzida.
    E além de todas essas vantagens, os e-books na Amazon em geral são no minimo 30% mais baratos que o livro de papel. Sem contar os livros gratuitos e existem alguns bons livros entre eles.
    “A violência comunista não foi mera aberração da psique eslava, mas sim algo diabolicamente inerente à engenharia social marxista, que, querendo reformar o homem pela força, transforma os dissidentes primeiro em inimigos, e depois em vítimas.” - Roberto Campos
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    NadaSei escreveu:
    E além de todas essas vantagens, os e-books na Amazon em geral são no minimo 30% mais baratos que o livro de papel. Sem contar os livros gratuitos e existem alguns bons livros entre eles.
    Os clássicos podem ser baixados de graça, pois os direitos autorais já caducaram
    O Projeto Gutenberg tem mais de 38 mil livros para download:
    https://www.gutenberg.org/wiki/PT_Principal
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.