Olá, bem-vind@!

Quer participar e contribuir? Clique no botão "Registrar-se" se é sua primeira vez aqui. Se você já é um dos nossos, clique em "Entrar".

Igreja católica continua perdendo fiéis para as seitas evangélicas

Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
Perdas progressivas de católicos no Brasil

prega%2525C3%2525A7%2525C3%2525A3o_tl.jpg

Disse o Papa Francisco: “Há quem se aproxime de uma paróquia, por exemplo, à procura de paz, respeito, doçura, e encontra lutas internas entre os fiéis. Em vez da doçura encontra a intriga, a maledicência, as competições, as concorrências, um contra o outro”. A “ambição”, a “inveja”, o “ciúme” nas paróquias e grupos distanciam quem se (re)aproxima da Igreja: “Somos nós a afastá-los”. E não deixamos que o trabalho que faz o Espírito Santo, de atrair as pessoas, continue” (1).

Em pouco mais de sete anos, 67951 organizações religiosas ou instalações filosóficas foram fundadas em nossa pátria. A expansão das crenças religiosas tornou-se um dos fenômenos mais importantes do Brasil nos últimos anos. No total, desde janeiro de 2010, 67951 entidades classificadas como "organização religiosa ou filosófica" ao organismo competente, uma média de 25 por dia foram registradas. De acordo com o jornal O Globo, a enorme expansão pode ser explicada por várias razões, incluindo a relativa facilidade burocrática do procedimento, o crescimento da fé pentecostal e até mesmo a crise econômica que afeta o país e que leva as pessoas a procurar soluções para seus problemas (2).

Em fins de 2016, o Instituto Datafolha publicou uma pesquisa que fez ressoar uma campainha de alarme na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O estudo mostra que, nos últimos dois anos, 9 milhões de pessoas abandonaram o catolicismo no país. Em 2014, a porcentagem da população que declarava ser católica era de 60%, ao passo que em dezembro de 2016 baixou para 50%. No mesmo período, os fiéis pentecostais ou neopentecostais passaram de 18% a 22%. Embora a recente baixa na porcentagem de católicos não foi acompanhada por uma ampla expansão dos fiéis pentecostais ou neopentecostais, o que preocupa os bispos é outro dado: a metade dos que declaram ser pentecostais ou neopentecostais provém da Igreja Católica, onde haviam crescido.

Recentemente, a CNBB organizou um encontro para discutir o crescimento das igrejas pentecostais e neopentecostais. As conclusões identificam diversas causas: os evangélicos contam com uma estrutura mais dinâmica e podem chegar às pessoas de uma forma mais rápida, em qualquer lugar onde estejam; aproveitam a ingenuidade ou a má formação dos católicos – sobretudo, os que vivem nas zonas rurais ou nas periferias das grandes cidades – e levam adiante uma intensa propaganda contra o catolicismo; por último, os evangélicos recorrem a uma forte carga emocional para atrair as pessoas (3).

1.jpg
A Perda  Acelerada de Católicos no Brasil

O Instituto Datafolha tem feito pesquisas sobre o perfil religioso da população brasileira. O que estas pesquisas confirmam é aquilo que os censos demográficos mostram com bastante clareza: o Brasil está passando por uma transição religiosa. Os católicos perdem espaço e encolhem ao longo do tempo. Os evangélicos, em suas diferentes denominações, são o grupo que mais cresce. Aumentam as demais denominações não cristãs e o número de pessoas que se declaram sem religião. Isto quer dizer que o Brasil está passando por uma mudança de hegemonia entre os dois grupos cristãos (católicos e evangélicos), ao mesmo tempo em que aumenta a pluralidade religiosa, pois cresce e diversifica a proporção das filiações não cristãs.

Nos 22 anos da série Datafolha, os católicos caíram 25%, os evangélicos subiram 15%, os sem religião aumentaram 9% e as outras religiões tiveram um ligeiro aumento de 1%. A perda dos católicos tem sido de 1,14% ao ano, enquanto os evangélicos crescem 0,68% ao ano. Fazendo uma projeção linear destas tendências até 2040, percebe-se que, em 2028, os evangélicos (com 37,2%) vão ultrapassar os católicos (com 36,4%). Em 2040, os católicos cairiam para 22,7% e os evangélicos subiriam para 45,4%. Os cristãos (católicos + evangélicos) que eram 79% em 1994, caíram para 73,6% em 2016 e devem ficar em 68% em 2040, conforme mostra o gráfico abaixo.

2.jpg

Crescimento dos Desigrejados No Brasil

Crescimento ainda mais espantoso apresentou o grupo de evangélicos que se declararam “sem vínculo denominacional”, denominado de “desigrejados”. Nos dez anos separando os censos de 2000 e 2010 o numero de evangélicos assim declarados partiu de pouco mais de um milhão de pessoas chegando a impressionantes 9.218.129 de crentes brasileiros. Um crescimento de mais de 780%. Nenhum outro grupo de evangélicos arrolados no censo experimentou crescimento semelhante. O conjunto da população evangélica cresceu 61,45% e a denominação com o maior crescimento foi a Assembleia de Deus com 46,28% (com 8,4 milhões de fiéis em 2000 e 12,5 milhões de fieis em 2010).

O grupo "evangélicos sem vínculo denominacional” foi o maior responsável pelo crescimento da população evangélica brasileira e representa hoje 21,8% do total dos evangélicos, sendo um grupo maior, portanto, do que a soma de todos os crentes vinculados a denominações evangélicas de missão (presbiterianos, metodistas, batistas, luteranos, congregacionais, adventistas e outros), os quais, somam pouco mais de 7,6 milhões de evangélicos (4).

É de grande relevância ressaltar o crescimento do islamismo em nosso país. Cerca de 1,5 milhão (5).

Conclusão

Não há como conter o vulcão do crescimento do pentecostalismo, das seitas, dos sem-religião, dos desigrejados no Brasil. O esquema montado e executado com agressividade proseletista, encurrala e promove decadências nas igrejas cristãs históricas. O esquema é o seguinte: poder financeiro, conchavo político, mídia, espetacularização do show religioso, culto à personalidade e manipulação pela ganância de uma vida melhor via a teologia da prosperidade e a teologia da retribuição de barganhar o céu pelos dízimos e ofertas. Fundamentados na doutrinação e na dominação de milicianos de fiéis como mina de ouro, de votos e de sustentação de poder econômico, político e religioso. É muito triste contemplar pessoas de boa fé sustentar impérios religiosos corruptos!

Resta tão somente para os seguidores de Jesus de Nazaré, viver de fato e de verdade seu ensinamento de amor, ajudar os necessitados, praticar a justiça, acolher na comunidade com espírito fraterno e com a vida anunciar a Boa Nova do Reino de Deus.

Frei Inácio José do Vale
Professor e Conferencista
Sociólogo em Ciência da Religião
Doutor em História do Cristianismo
Formador dos Irmãozinhos da Fraternidade de Charles de Foucauld
E-mail: pe.inacio.jose@gmail.com

_____________________________________________
Fontes:
(1) http://www.snpcultura.org/intriga_destroi_paroquias.html
(2) http://www.lavoz.com.ar/mundo/desde-2010-cada-hora-se-inscribe-una-nueva-iglesia-en-suelo-de-brasil
(3) http://palavraviva.com/home/index.php/noticias/noticias-igreja/4440-catolicos-que-deixam-a-igreja-porque-o-fazem-cnbb-reflete-
(4) http://www.genizahvirtual.com/2013/10/quantos-sao-os-desigrejados-evangelicos.html
(5)http://istoe.com.br/349181_OS+CAMINHOS+DO+ISLA+NO+BRASIL/ 
http://www.icatolica.com/2017/08/perdas-progressivas-de-catolicos-no.html#more
«13

Comentários

  • AcauanAcauan Administrator, Moderator
    editado August 2017
    Quando um pastor que ninguém sabe quem é ou de onde veio abre uma porta de garagem em algum bairro de periferia, tudo que precisa é um CNPJ dizendo que seu estabelecimento é uma igreja, uma bíblia e umas cadeiras espalhadas pelo recinto.
    Depois basta o tal pastor dar uma olhada em volta, descobrir que tipo de pregação a população local gosta e oferecer um evangelismo ao gosto do freguês.

    Já a Igreja Católica é uma organização mastodôntica, com dogmas, hierarquias e regras para tudo. Não tem como competir com o marketing de guerrilha que as pequenas igrejas evangélicas travam nos subúrbios.
  • Não tem como competir com o marketing de guerrilha que as pequenas igrejas evangélicas travam nos subúrbios.

    Pode ser só impressão minha mas o número dessas igrejas tem diminuído nos últimos anos, não sei se é porque abusaram da conta em um passado não muito distante, em alguns bairros tinham mais igrejas que bares ou pequenas padarias, ou se é por conta da crise, desempregados não pagam dízimos ou, muito improvável, o povo está ficando mais esperto, não apostaria nessa última alternativa.
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    Além disto, igrejas evangélicas estão sempre abertas, com alguém de plantão para atendimentos rápidos, enquanto que igrejas católicas ficam fechadas a maior parte do tempo (atualmente ficam trancadas por medo de assaltos ou invasão por mendigos).

    No subúrbio pobre onde trabalhei, havia várias delas. A pessoa chegava e o atendente improvisava uma benção, uma unção, um mini-culto, anotava o nome na lista de orações e o freguês saía satisfeito.
     
  • AcauanAcauan Administrator, Moderator
    editado August 2017
    Cameron disse:
    Não tem como competir com o marketing de guerrilha que as pequenas igrejas evangélicas travam nos subúrbios.

    Pode ser só impressão minha mas o número dessas igrejas tem diminuído nos últimos anos, não sei se é porque abusaram da conta em um passado não muito distante, em alguns bairros tinham mais igrejas que bares ou pequenas padarias, ou se é por conta da crise, desempregados não pagam dízimos ou, muito improvável, o povo está ficando mais esperto, não apostaria nessa última alternativa.

    Estas igrejas se multiplicam que nem pipoca e no final ocorre a saturação, com pastores demais pescando no mesmo aquário.
    Entre as igrejas evangélicas o canibalismo é cruel, porém isto dificulta ainda mais a presença do rito Católico Romano tradicional, porque para sobreviverem cada uma daquelas igrejas desenvolve sua própria oferta de culto personalisado tentando desesperadamente atrair seu nicho da clientela.
    É como se as igrejas evangélicas fossem a Praça de Alimentação do Shopping, oferecendo um monte de opções rápidas e baratas de comida para cada gosto do freguês, enquanto o Catolicismo é aquele restaurante tradicional a la carte, com cozinha especializada e um chef que não admite que os clientes dêem palpites no cardápio ou nas receitas.
     
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    editado August 2017
    Enquanto isto, a ICAR fica debatendo as "gravíssimas consequências" de se comungar com a mão:


    Entrevistaram até o Diabo:
    O que diz o demônio sobre receber a comunhão na mãoComunhao-na-mao-700x438.jpgO padre Gabriele Amorth foi o exorcista oficial da Santa Sé por décadas, até seu falecimento em setembro deste ano. Pe. Amorth disse no ano de 2013 que teria realizado cerca de 160 mil exorcismos.E alguns de seus exorcismos ficaram conhecidos através do livro “Confissões do inferno ao exorcista Pe. Gabriele Amorth”.E queremos compartilhar uma conversa durante um exorcismo em 1975 que fala sobre a comunhão na mão.

    Pe. Gabriele Amorth – Diz só a verdade em Nome do Preciosíssimo SANGUE, da Santa Cruz, da Imaculada Conceição…

    Demonio (A) – Nós trabalhamos durante muito tempo, lá em baixo (aponta para baixo) até conseguirmos que a Comunhão na mão fosse posta em prática. A Comunhão na mão é muito boa para nós, no inferno; acreditai!

    Pe. G.A. – Nós te ordenamos, em Nome (…) que digas somente o que o Céu te ordena! Diz só a verdade, a verdade total. Tu não tens o direito de mentir. Sai desse corpo! Vai-te!

    Demônio – ELA (Virgem Maria) (aponta p/ cima) quer que eu diga…Pe. G.A. – Diz a verdade, em Nome (…).Demônio – ELA quer que eu diga… que se ELA, a grande SENHORA, ainda vivesse, receberia a Comunhão na boca, e de joelhos, e haveria de se inclinar profundamente assim (mostra como procederia a Santíssima Virgem).

    Pe. G.A. – Em Nome da Santíssima Virgem (…) diz a verdade!

    Demônio – Tenho que dizer que não se deve receber a Comunhão na mão. O próprio Papa dá a Comunhão na boca. Não é da sua vontade que se dê a Comunhão na mão. Isso vem dos seus Cardeais.

    Pe. G.A.– Em Nome (…) diz a verdade!

    Demônio – Deles passou aos Bispos, e depois os Bispos pensaram que era matéria de obediência, que deviam obedecer aos Cardeais. Daí, a idéia passou aos Sacerdotes e também eles pensaram que tinham de se submeter, porque a obediência se escreve com maiúsculas.

    Pe. G.A. – Diz a verdade. Tu não tens o direito de mentir em Nome (…).

    Demônio – Não se é obrigado a obedecer aos maus. É ao Papa, a JESUS CRISTO e à Santíssima Virgem que é preciso obedecer. A comunhão na mão não é de modo algum querida por DEUS.
    http://pt.churchpop.com/o-que-diz-o-demonio-sobre-receber-comunhao-na-mao/

  • Bom falando de Economia e consevadorismo , mas de sexo é maluco como qualquer outro religioso .
    Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Fernando_Silva disse: Enquanto isto, a ICAR fica debatendo as "gravíssimas consequências" de se comungar com a mão:


    Entrevistaram até o Diabo:
    O que diz o demônio sobre receber a comunhão na mãoComunhao-na-mao-700x438.jpgO padre Gabriele Amorth foi o exorcista oficial da Santa Sé por décadas, até seu falecimento em setembro deste ano. Pe. Amorth disse no ano de 2013 que teria realizado cerca de 160 mil exorcismos.E alguns de seus exorcismos ficaram conhecidos através do livro “Confissões do inferno ao exorcista Pe. Gabriele Amorth”.E queremos compartilhar uma conversa durante um exorcismo em 1975 que fala sobre a comunhão na mão.

    Pe. Gabriele Amorth – Diz só a verdade em Nome do Preciosíssimo SANGUE, da Santa Cruz, da Imaculada Conceição…

    Demonio (A) – Nós trabalhamos durante muito tempo, lá em baixo (aponta para baixo) até conseguirmos que a Comunhão na mão fosse posta em prática. A Comunhão na mão é muito boa para nós, no inferno; acreditai!

    Pe. G.A. – Nós te ordenamos, em Nome (…) que digas somente o que o Céu te ordena! Diz só a verdade, a verdade total. Tu não tens o direito de mentir. Sai desse corpo! Vai-te!

    Demônio – ELA (Virgem Maria) (aponta p/ cima) quer que eu diga…Pe. G.A. – Diz a verdade, em Nome (…).Demônio – ELA quer que eu diga… que se ELA, a grande SENHORA, ainda vivesse, receberia a Comunhão na boca, e de joelhos, e haveria de se inclinar profundamente assim (mostra como procederia a Santíssima Virgem).

    Pe. G.A. – Em Nome da Santíssima Virgem (…) diz a verdade!

    Demônio – Tenho que dizer que não se deve receber a Comunhão na mão. O próprio Papa dá a Comunhão na boca. Não é da sua vontade que se dê a Comunhão na mão. Isso vem dos seus Cardeais.

    Pe. G.A.– Em Nome (…) diz a verdade!

    Demônio – Deles passou aos Bispos, e depois os Bispos pensaram que era matéria de obediência, que deviam obedecer aos Cardeais. Daí, a idéia passou aos Sacerdotes e também eles pensaram que tinham de se submeter, porque a obediência se escreve com maiúsculas.

    Pe. G.A. – Diz a verdade. Tu não tens o direito de mentir em Nome (…).

    Demônio – Não se é obrigado a obedecer aos maus. É ao Papa, a JESUS CRISTO e à Santíssima Virgem que é preciso obedecer. A comunhão na mão não é de modo algum querida por DEUS.
    http://pt.churchpop.com/o-que-diz-o-demonio-sobre-receber-comunhao-na-mao/

    Parece a Universal kkkkkk
    Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Mande esse padre ler o livro Libertação, do André Luís, psicografado (ou inventado ou plagiado) pelo Chico Xavier. Creio que lá tem um lance onde um padre sem vocação queria logo terminar o compromisso para sair numa viagem prazerosa. Apesar da má vibração do sacerdote, as hóstias emitiam luz. Ao dar aos pecadores constritos, aconteceu o seguinte: uma moça era uma constrita verdadeira. Estava lá por fé e desejosa de se melhorar. Ao receber a hóstia, a luz que havia nela deixou a dita cuja e desceu pela garganta, alojando-se em seu coração. Já os outros estavam lá só para se mostrarem e aí, assim que a hóstia ia ser colocada na boca, a luz apagou-se imediatamente: era para que não recebessem o que não mereciam.
  • Pra mim o catolicismo perdeu espaço na periferia porque a mensagem que oferece ao povo é mais burocrática.
    O padre: "Ave Maria... " "In Nomine Patris"... rezando uma missa que dá sono etc.  etc.
    Já o lado evangélico. o pastor vem com discurso mais direto.  Pastor: "Irmãos, glória a Deus"...
    Pastor: Irmão, qual o seu problema ? 
    Fiel: Pastô, tô disimpregado, individado, pobrema com caxassa etc.
     (Os pastores chegam plenamente a interagir com a ovelha... e esta desabafar os problemas mundanos e espirituais. )

    \Tem outros fatores. A doutrina católica é mais "medieval" que a evangélica. Padre e freira não podem se casar e ter filhos (ao contrário do(a)s pastores(as) evanjas) . Fiéis só podem ter transar no casamento , não usar preservativo etc etc.  O protagonismo da mulher no meio evangélico é bem maior... isso a ponto de ter pastoras e obreiras !
    Além disso, pensem quantos homens e mulheres evitam a vocação religiosa católica em virtude da estrutura jurássica. E o nº de homens e mulheres que abraçam a vocação evangélica.
     
  • AcauanAcauan Administrator, Moderator
    editado August 22
    Um problema da Igreja Católica é a logística.
    Enquanto abrir um templo católico exige cumprir uma série infindável de requisitos, dos critérios arquitetônicos ao estabelecimento de uma nova paróquia e sua subordinação à diocese, pontos de reunião evangélicos multiplicam-se exponencialmente ocupando qualquer birosca que se mostre vaga, sem que o pastor tenha que dar mais satisfações do que dizer-se ungido pelo Espírito.
    Esta realidade assegura que a igreja evangélica mais próxima esteja sempre mais próxima que a Igreja Católica mais próxima, o que é uma vantagem imensa em determinados lugares, por exemplo, os morros cariocas.
    Além da questão logística tem a dificuldade de a Igreja Católica, presa rigidamente à liturgia única, competir com uma miríade de denominações tão diversificada que sempre vai ter uma que oferece exatamente aquilo que o povo quer, por mais bizarro que seja.  
     
  • SpiderSpider Member
    - A Igreja Católica já entregou os pontos faz tempos, ela sabe que o jogo está perdido e que é questão de tempo até que os evangêlicos virem maioria.

    - Creio que eles acreditem que o crescimento evangêlico tem limite, o que permitiria que os Chatólicos ficassem ao menos nos 20/25% da população,  mesmo em maioria, os evangêlicos serão um bando amorfo e desunido, sem coesão suficiente para perturbar muito o poder e a influência da ICAR.

    Abraços,
  • O proprio meio evangelico e desorientado. Nao diria que as igrejas Catolicas sao as unicas que perdem. O meio "evangelico" perde para si mesmo.


    Nao sei se foi dito aqui, mas uma analogia muito bem feita foi a de que fe como prouto e nao deixa de ser verdade. Foi se o tempo dos ataques massivos dos evangelicos contra a ICAR. O foco agora e dnominacoes "evangelicas" contra outras.


    O conflito sempre existira.
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • @Acauan  verdade... mas tem outro lance.  As doutrinas evangélicas são mais "modernas".  Até citei antes. O pastor pode se casar e ter filhos; mulher pode pregar; os obreiros e leigos tem até protagonismo maior.  Pense bem, imagine um(a) pregador(a) casado(a) falando da família (tema bem comum em igreja) diante de ovelhas também casadas ! Isso vai gerar empatia em potencial. Além disso , essas igrejas tocam direto em assuntos fortes que nem alcoolismo, dívidas, conflitos familiares etc.
    Algumas igrejas neopentecostais adotaram doutrinas - conservadoras pra atrair + ovelhas.  Elas são camaleoas, tentam se adaptar aos tempos modernos.
  • @Spider pudera, o vaticano é mais estagnado que o carro Lada. Mas soube que o nº de brasileiros sem-igreja tem aumentado também. Inclusive há vários que creem em deus, mas não tem igreja.
  • PercivalPercival Member
    editado August 22
    stefanobahia disse: @Spider pudera, o vaticano é mais estagnado que o carro Lada. Mas soube que o nº de brasileiros sem-igreja tem aumentado também. Inclusive há vários que creem em deus, mas não tem igreja.

    O desigrejado de hoje é o cara que abandonou alguma denominação neopentecostal em sua maioria.

    Esse tópico tem até um artigo sobre isso:

    http://religiaoeveneno.com.br/discussion/comment/14682/#Comment_14682
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • @Percival  verdade mas também há gente que abandonou o catolicismo também !
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    editado August 22
    Além do mencionado acima, há o fato de que a ICAR promete a felicidade, mas só depois da morte e isto se a pessoa se comportar direito nesta  vida, por pior que ela seja. Sofrimento e miséria contam pontos.

    Já as neopentecostais prometem saúde, dinheiro, felicidade, volta da pessoa amada etc. e até, em alguns casos, afirmam que, se você pagar o dízimo, Deus tem a obrigação de lhe conceder o milagre.

    A pessoa está na pior, mas daí vai à igreja de fundo de quintal e ouve o pastor improvisado berrar que "Você está ficando curado agora! Sua vida começou a melhorar agora!"
    Sim, agora, e não numa hipotética vida após a morte. É isso que o crente quer ouvir.

    Também há muito mais interação dentre os fiéis, o que acaba dando calor humano e apoio psicológico para quem está desesperado, ao contrário de uma igreja católica onde você entra, assiste à missa lá no seu canto e depois vai embora sozinho.

    A reação da ICAR foi imitar algumas dessas coisas, com as missas virando "show da Xuxa", cartazes na fachada anunciando o "padre Fulano" etc. Virou espetáculo em vez de culto. Os carismáticos incorporaram o "falar em línguas" e o "repousar no Espírito" (quando o fiel cai no chão estrebuchando como se fosse um ataque epilético).

    Isto desagradou aos mais conservadores, que se refugiam em organizações extremistas como os "Arautos do Evangelho" ou a "Cavalaria de Maria", sendo que muitos sequer reconhecem a autoridade dos papas pós-Concílio Vaticano II e declaram que o trono está vazio (são os sedevacantistas).
  • @Fernando_Silva
    exato !!
    Resumo da ópera:
    Padre: "ave maria cheia de graça etc etc etc"
    Pastor: GLÓRIA A DEUS !!! VOCÊ SERÁ CURADO, IRMÃO!!! JESUS É O SENHOR !!!  ALELUIA!!!!
  • PercivalPercival Member
    editado August 22
    stefanobahia disse: @Percival  verdade mas também há gente que abandonou o catolicismo também !

    De fato, mas e os que já estavam foram do Catolicismo antes? Isso tá criando consequências agora.
    Fernando_Silva disse:

    A reação da ICAR foi imitar algumas dessas coisas, com as missas virando "show da Xuxa", cartazes na fachada anunciando o "padre Fulano" etc. Virou espetáculo em vez de culto.

    Uma imitação do que o Neopetecostalismo estava e ainda faz: shows grandiosos, artistas gravando pra Som Livre...
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • @Percival
    De fato, mas e os que já estavam foram do Catolicismo antes? Isso tá criando consequências agora.
    verdade, e sem falar que a linha que separa o católico não-praticante do sem-igreja é tênue !
    Uma imitação do que o Neopetecostalismo estava e ainda faz: shows grandiosos, artistas gravando pra Som Livre...

    verdade, pão e circo amém.  Olha conheço razoavelmente bairros populares. O mercado religioso dominante é o evangélico.  Cansei de ouvir  som gospel ao passar por camelôs e lojas.
     
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    Percival disse:
    O desigrejado de hoje é o cara que abandonou alguma denominação neopentecostal em sua maioria.
    Eles dizem que seguem a Jesus e à Bíblia, mas que não têm religião, mesmo quando continuam frequentando os cultos na igreja mais próxima.
  • Fernando_Silva disse:
    Percival disse:
    O desigrejado de hoje é o cara que abandonou alguma denominação neopentecostal em sua maioria.
    Eles dizem que seguem a Jesus e à Bíblia, mas que não têm religião, mesmo quando continuam frequentando os cultos na igreja mais próxima.

    Exatamente: são casos que não querem um compromisso religioso forte, mas querem as benesses da religião - a fé. 
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • verdade, pão e circo amém.  Olha conheço razoavelmente bairros populares. O mercado religioso dominante é o evangélico.  Cansei de ouvir  som gospel ao passar por camelôs e lojas.

    Qualquer pessoa se declara evangélica hoje em dia. No caso do meu trabalho tem gente aqui que só escuta esses hinos, mas a personalidade é totalmente não condizente com o escopo religioso.
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    Trabalhei num subúrbio pobre e distante. Havia uma única igreja católica no alto de uma ladeira, onde ninguém entrava por acaso, porque estava passando na frente e deu vontade, mesmo porque, como a maioria das igrejas católicas hoje em dia, ela fica fechada a maior parte do tempo e só abre para as missas.

    Por outro lado, havia um monte de igrejas de crente improvisadas em galpões e fundos de quintal, sempre abertas. Havia dias e horários de culto bem definidos, sim, mas também havia sempre alguém para receber quem precisasse de algum atendimento de emergência. Era só entrar e o "pastor" improvisava uma "unção", um mini-culto nem que fossem apenas 2 ou 3 pessoas.
  • @Percival  Não duvido...  há muitas pessoas dúbias
  • Fernando_Silva disse: Trabalhei num subúrbio pobre e distante. Havia uma única igreja católica no alto de uma ladeira, onde ninguém entrava por acaso, porque estava passando na frente e deu vontade, mesmo porque, como a maioria das igrejas católicas hoje em dia, ela fica fechada a maior parte do tempo e só abre para as missas.

    Por outro lado, havia um monte de igrejas de crente improvisadas em galpões e fundos de quintal, sempre abertas. Havia dias e horários de culto bem definidos, sim, mas também havia sempre alguém para receber quem precisasse de algum atendimento de emergência. Era só entrar e o "pastor" improvisava uma "unção", um mini-culto nem que fossem apenas 2 ou 3 pessoas.

    Acho que só as grandes que abrem, mas pra eventos específicos como as pastorais. Isso é anunciado nas missas somente, o serviço de comunicação deles não é muito bom.

     
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    Percival disse:
    Acho que só as grandes que abrem, mas pra eventos específicos como as pastorais. Isso é anunciado nas missas somente, o serviço de comunicação deles não é muito bom.
    Quando eu era criança, ficavam sempre abertas e havia quem entrasse para rezar ou apenas ficasse sentado pensando na vida e curtindo o silêncio.

    Hoje, há problemas de segurança, com assaltos e furtos mesmo durante as missas, a ponto de algumas igrejas manterem seguranças na porta. O resto do dia, elas ficam fechadas por precaução.

     
  • Acho que as do Centro ao menos ficam abertas, pelo menos de segunda a sexta... Ao menos quando passava eu via assim. 
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • PugIIPugII Member
    Tenho visitado Leiria, capital de um distrito no qual se encontra o santuário de Fátima.
    Entrei em igrejas, pequenas ou grandes, dei conta que ainda persiste o hábito de ir na missa.

    A maior surpresa foi ter encontrado várias seitas evangélicas nesta cidade e arredores.
    Iurd, maná, etc.

    Entre católicos e recém chegados mil vezes os primeiros.

     
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.