Olá, bem-vind@!

Quer participar e contribuir? Clique no botão "Registrar-se" se é sua primeira vez aqui. Se você já é um dos nossos, clique em "Entrar".

A Venezuela mostra por que o socialismo é a maior ameaça à humanidade

Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
A Venezuela mostra por que o socialismo é a maior ameaça à humanidade

Por João César de Melo / ILISP     04/01/2018

Afirmar que o socialismo é a maior ameaça à humanidade não significa dizer que o capitalismo é a fonte da felicidade.

Primeiro porque o capitalismo significa nada além de liberdade para trabalhar, produzir, vender e comprar coisas, cabendo a cada pessoa decidir o que fazer com o lucro – gastar com futilidades, investir em si mesmo ou ajudar outras pessoas. A felicidade é uma busca pessoal e intransferível. A caridade, no ambiente capitalista, é voluntária.

O fato é que foi a liberdade econômica batizada de capitalismo que fez a humanidade sair da quase completa miséria de dois séculos atrás para uma realidade em que menos de 10% das pessoas do mundo são consideradas miseráveis. Tudo isso porque capitalistas (do pequeno comerciante ao grande empresário) só lucram depois de pagar salários, fornecedores e satisfazer seus clientes.

Como já disse noutros textos, hoje, pobre faz churrasco, tem mudas de roupas no armário e leva no bolso um smartphone igual ao das pessoas consideradas ricas.

Essa liberdade potencializou a ganância de algumas pessoas, porém, viabilizou a caridade de muitas outras. Pessoas comuns que, como nunca antes na história, destinam parte de seu lucro, de seu trabalho e de seu tempo para ajudar pessoas pobres e até causas humanitárias e ecológicas, de levar água para os africanos à preservação das baleias.

Foi o capitalismo que proporcionou isso. Foi o dinheiro gerado pelo capitalismo que financiou medicamentos e tecnologias que tornaram a vida do homem mais longa e menos sofrida. Foi a convergência de interesses privados que proporcionou tantos benefícios públicos.

No entanto, o conforto criado pelo capitalismo gerou um verdadeiro exército de pessoas que lutam – por puro fetiche − de forma direta e indireta em favor de uma ideia que só gerou desgraças à humanidade.

Desde a publicação de O Capital, de Marx, há um século e meio, passando por cerca de 60 regimes socialistas implantados nesse período, o militante socialista continua sem ter um único exemplo de sucesso para citar. Todos levaram seus países à miséria. Todos se tornaram ditaduras sanguinárias. Os cubanos estão há mais de 50 anos sonhando com bifes, barbeadores, absorventes e ventiladores.

Ao longo do século 20, Mises, Hayek e muitos outros autores publicaram diversos livros explicando a razão do socialismo distribuir nada mais do que miséria. A despeito disso, nesse período aconteceram os golpes socialistas em Cuba, na China, na Coreia do Norte, no Camboja, na África… e as tantas tentativas na América Latina. Nessas tentativas de criar uma “nova sociedade” foram sacrificadas mais de 100 milhões de vidas. E cá estamos, em pleno século XXI, vendo o país com as maiores reservas de petróleo do mundo imerso na miséria por causa de… mais um experimento socialista. Os venezuelanos estão passando fome!

O socialismo em si é apenas uma ideia estúpida. O problema são os socialistas. Sem eles, o socialismo seria apenas mais uma tese burra sepultada pela história.

Sempre me lembro de um ex-colega de faculdade, um dos mais pacatos e com as frases mais fofas. Numa final de tarde, surgiu na conversa os fuzilamentos promovidos pela ditadura em Cuba. Lembro-me disso porque realmente me chocou: ele, com a fala mansa, quase como se estivesse declamando um poema, tentou me explicar a necessidade daquilo. Segundo ele, indivíduos contrários aos interesses sociais em um regime voltado para eles realmente não merecem viver.

Repito: esse meu ex-colega era o mais pacífico, incapaz de matar um besouro. São milhares de pessoas assim, espalhadas em todos os nichos da sociedade, que fazem do socialismo a maior ameaça à humanidade.

É comum escutar que o típico militante socialista é ignorante e não sabe o que regimes socialistas fizeram ao longo da história. Sabe, sim! Eles sabem das perseguições, das prisões, dos fuzilamentos. Sabem de tudo!

Ignorante é o eleitor pobre que enxerga em um político alguém que vai lhe dar uns trocados. Essas pessoas não têm ideologia. Eles apenas tentam sobreviver. São vítimas.

Os militantes socialistas levam uma vida confortável, sem grandes responsabilidades, muitas vezes na sombra de um emprego no governo ou dos pais. Enxergam o mundo de forma lúdica: a favela e a cracolândia têm suas “belezas”. Apoiam políticos, partidos e grupos que aplaudem as ditaduras em Cuba e na Venezuela porque acreditam nas ideias e nos procedimentos que eles defendem.

Sob a ótica deles, um governo socialista deve perseguir, prender e matar “reacionários”. Você nunca verá um “isentão” escrevendo contra a violência das ditaduras em Cuba e na Venezuela porque ele realmente acha necessário. Quando uma dessas “pessoas do bem” compartilha uma publicação enaltecendo alguns pontos “positivos” dos regimes socialistas na Rússia e na China é porque ela realmente enxerga que a liberdade e a vida de milhões de pessoas devem ser sacrificadas em nome de um projeto ideológico.

Os jornalistas e comentaristas da GloboNews têm todo um vocabulário pejorativo na ponta da língua para se referir a Donald Trump, mas não conseguem se referir à Cuba como uma ditadura, nem conseguem dizer que o colapso social na Venezuela foi obra tão somente do… socialismo.

Faz mais de quinze anos que o socialismo corrói a Venezuela. Toda a imprensa ocidental acompanhou. Nada foi feito secretamente. Foram absurdos e mais absurdos sendo feitos sob total complacência de jornalistas e intelectuais que apoiam, de uma forma ou de outra, partidos como PT e PSOL, e grupos terroristas como o MST. Pessoas que têm todo um discurso em favor dos mais pobres e da liberdade, contra a violência policial e o totalitarismo, mas que são completamente indiferentes às vítimas do socialismo ao longo da história e, agora mesmo, na vizinha Venezuela.

A desgraça da humanidade é a atuação dessas pessoas. A hipocrisia delas. O amor ao bandido. A perversão ideológica de se importar apenas com as ideias e não com o resultado delas. Pessoas que, apesar de usufruírem do capitalismo, dedicam-se a defender o sistema que o inviabiliza. Pessoas que cobram que os outros façam pelos mais pobres o que elas se negam a fazer. Pessoas cuja sensibilidade é vinculada a conveniências: choram apenas pelas vítimas da “direita”, do capitalismo, do “homem branco hétero”, etc. Pessoas que são capazes de publicar um textão sobre o aquecimento global, mas que não conseguem curtir uma publicação que denuncia a fome na Venezuela.

É o eleitorado do PSOL, a juventude riquinha e descolada que tem como passatempo idealizar a vida dos outros, chamar seus vizinhos de “elite”, defender Lula e dizer que o próximo regime socialista vai dar certo.

Eu não consigo ser indiferente ao que vem acontecendo com os venezuelanos.

Se a ditadura socialista de Nicolás Maduro for deposta pelos militares locais ou por uma intervenção internacional, a imprensa e os intelectuais dirão que foi uma ação injustificável, que a soberania do país foi agredida, que foi “mais um golpe da direita contra a democracia e as ideias progressistas”, tentando apagar da história o colapso humanitário gerado pelo socialismo no país.

Aí o movimento socialista se fortalece, se torna vítima, acrescenta mais uma retórica canalha ao seu programa e alguns anos depois chega ao poder novamente.

Se nada for feito, os socialistas seguem consolidando a ditadura, perseguindo e matando opositores e substituindo a liberdade individual por deveres coletivos que, na prática, significam todos trabalhando em função daqueles que controlam o estado como foi feito na URSS, na China e em Cuba. Tudo com o apoio daquele seu ex-colega de faculdade, gente boa, que quer um mundo melhor, mais justo, onde todos possam fumar maconha em paz.

Eventos cultuais e intercâmbios de estudantes da área de humanas transformarão a ditadura socialista na Venezuela na mais nova queridinha dos intelectuais, jornalistas e artistas do mundo. A GloboNews ainda levará ao ar documentários maravilhosos sobre o tema. Duvida?
http://www.ilisp.org/opiniao/venezuela-mostra-por-que-o-socialismo-e-maior-ameaca-humanidade/

Comentários

  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    Se você diz que o capitalismo deu certo, os esquerdistas vão dizer que o Canadá tem mendigos.
    Sim, tem, afinal nenhuma criação humana é perfeita.
    Mas eles preferem criticar estes poucos mendigos a admitir que eles são a exceção.

    Se você monta uma empresa e dá emprego a milhares de pessoas, eles vão ignorar essas pessoas e suas famílias e continuar falando dos desempregados.

    O capitalismo é imperfeito? Sim, mas a opção não é abandoná-lo em favor de algo que nunca deu certo e sim continuar corrigindo seus defeitos.

    Eles adoram mostrar casos de fome no mundo e dizer "O capitalismo deu certo para quem?!"
    Ora, deu certo para 7,5 bilhões de pessoas. Afinal, a maioria delas tem uma vida bem melhor que teria no passado.

    E, na verdade, só estão vivas porque existe o capitalismo, caso contrário a população mundial seria muito menor e elas não existiriam.
  • HuxleyHuxley Member
    editado January 6
    Se eu conheço a maioria dos esquerdistas brasileiros, eles não diriam algo do tipo "O Canadá tem mendigos". Pelo contrário, a maioria deles apontariam o que o bem-sucedido Canadá teve em comum com os países socialistas (saúde pública, por exexmplo) para inferir as supostas causas socialistas de seu sucesso. Lembra do Cláudio (do antigo ReV)? Ele já disse que a Austrália era um sucesso de país e que é um dos países avançados com maior taxa de crescimento do PIB per capita nas últimas décadas por causa das "medidas socialistas" que adotaram em décadas recentes. Também os socialistas vão apontar o milagre chinês focando no que a China pós-Xiaoping teve em comum com a China maoísta, e não tanto com o que ela passou a ter em comum com Hong Kong ou Taiwan a partir de 1978 (embora possam fazer uma concessão aqui ou acolá).   

    Outra coisa é que grande parte dos socialistas que tem influência não acham que são contra o capitalismo. É só ver o discurso de Lula sobre o que ele acha do capitalismo. Não deve diferir muito do que o eleitor médio acha, e talvez, até mesmo do eleitor médio de Lula ou Dilma acha. Eles querem acreditar que defendem um "capitalismo aperfeiçoado" ou um "capitalismo colorido". Eles acham que podem reunir o melhor dos dois mundos (capitalismo e socialismo) sem assustar a maioria das pessoas no discurso e na prática... Mesmo que os resultados práticos sejam assustadores, pois eles normalmente põe culpa no imperialismo ou em outros fatores externos quando as coisas dão errado.

    Por fim, vejo que é habitual não se alertar quanto ao perigo que certos capitalistas representam para o fortalecimento do discurso socialista. Grandes capitalistas, principalmente em países em que o rent-seeking é endêmico (Brasil e afins), não são fãs do sistema de mercado. E eles não são uma ameaça menor do que esses hippies que vestem camisa de Che Guevara ou saem por aí dizendo que "o capitalismo fracassou". Eles tem enorme influência para construir uma espécie de "socialismo aristocrático", que normalmente fracassa, e que acaba fortalecendo os discursos contra a privatização. O caso dos monopólios ou oligopólios de transportes públicos criados com a ajuda dos políticos é exemplar. Nós sofremos com o controle por uns poucos gigantescos grupos capazes de modelar o ambiente regulatório e o próprio mercado de acordo com seus interesses - e de forma predatória. E, depois que o socialismo aristocrático fracassa, haja paciência para aguentar raciocínios do tipo "A culpa da crise é do mercado egoísta" ou "Passe livre já".
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    editado January 6
    Huxley disse: Se eu conheço a maioria dos esquerdistas brasileiros, eles não diriam algo do tipo "O Canadá tem mendigos".
    Eu li afirmações deste tipo no FB recentemente. Acompanhadas do "O capitalismo deu certo para quem?!!"
    Talvez não sejam a maioria, mas assusta que seja gente com nível superior, viajada, supostamente esclarecida.
     
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    Huxley disse:
    Por fim, vejo que é habitual não se alertar quanto ao perigo que certos capitalistas representam para o fortalecimento do discurso socialista. Grandes capitalistas, principalmente em países em que o rent-seeking é endêmico (Brasil e afins), não são fãs do sistema de mercado.
    O problema é pular daí para "então o capitalismo fracassou e temos que adotar o socialismo", quando a melhor solução é consertar os problemas e seguir em frente.
     
  • AcauanAcauan Administrator, Moderator
    editado January 6
    Fernando_Silva disse:
    O socialismo em si é apenas uma ideia estúpida. O problema são os socialistas. Sem eles, o socialismo seria apenas mais uma tese burra sepultada pela história.

    Aí temos um ponto para trabalharmos com cuidado.
    Não é que o socialismo em si é apenas uma idéia estúpida e o problema são os socialistas.
    Sem uma ideia que os mantivesse por mais de século, os socialistas não existiriam mais. Seriam algo como os Cátaros.

    Atentem!
    O problema não é o socialismo, a ideia estúpida de que riqueza pode ser produzida por distribuição.
    O problema é o Materialismo-Dialético.
    Este sim, um vírus intelectual que contaminou a Civilização do Ocidente e ameaça matá-la.
    Materialismo Dialético é uma percepção distorcida da realidade que se faz passar pela realidade em si, só que apresenta o encanto de que só eleitos intelectuais tem a capacidade de acessar este nível de percepção e, portano, devem guiar a plebe ignara pelos caminhos que só eles enxergam.
    Que caminhos são estes, isto vai mudar de tempos em tempos.
    Poucos são os materialistas dialéticos de hoje que pregam a revolução proletária e muitos os que defendem o Politicamente Correto, as minorias - mesmo que majoritárias, como as mulheres ou a ideologia de gênero.
    Quando o apelo destas baboseiras sair de moda, se apegarão a outras teses que tenham repercussão no meio intelectual, sabedores que este meio tem mais poder sobre a sociedade no longo prazo que as forças militares.
  • HuxleyHuxley Member
    Fernando_Silva disse:
    Huxley disse:
    Por fim, vejo que é habitual não se alertar quanto ao perigo que certos capitalistas representam para o fortalecimento do discurso socialista. Grandes capitalistas, principalmente em países em que o rent-seeking é endêmico (Brasil e afins), não são fãs do sistema de mercado.
    O problema é pular daí para "então o capitalismo fracassou e temos que adotar o socialismo", quando a melhor solução é consertar os problemas e seguir em frente.
     

    Só há uma coisa errada na proposição que está entre aspas. É a falta dos complementos adequados. "Então o capitalismo permeado abundantemente com socialismo aristocrático fracassou e temos que adotar o socialismo puro, que invariavelmente termina na pior forma de socialismo aristocrático".
  • EmmedradoEmmedrado Member
    editado January 7
    Acauan disse:
    Fernando_Silva disse:
    O socialismo em si é apenas uma ideia estúpida. O problema são os socialistas. Sem eles, o socialismo seria apenas mais uma tese burra sepultada pela história.

    Aí temos um ponto para trabalharmos com cuidado.
    Não é que o socialismo em si é apenas uma idéia estúpida e o problema são os socialistas.
    Sem uma ideia que os mantivesse por mais de século, os socialistas não existiriam mais. Seriam algo como os Cátaros.

    Atentem!
    O problema não é o socialismo, a ideia estúpida de que riqueza pode ser produzida por distribuição.
    O problema é o Materialismo-Dialético.
    Este sim, um vírus intelectual que contaminou a Civilização do Ocidente e ameaça matá-la.
    Materialismo Dialético é uma percepção distorcida da realidade que se faz passar pela realidade em si, só que apresenta o encanto de que só eleitos intelectuais tem a capacidade de acessar este nível de percepção e, portano, devem guiar a plebe ignara pelos caminhos que só eles enxergam.
    Que caminhos são estes, isto vai mudar de tempos em tempos.
    Poucos são os materialistas dialéticos de hoje que pregam a revolução proletária e muitos os que defendem o Politicamente Correto, as minorias - mesmo que majoritárias, como as mulheres ou a ideologia de gênero.
    Quando o apelo destas baboseiras sair de moda, se apegarão a outras teses que tenham repercussão no meio intelectual, sabedores que este meio tem mais poder sobre a sociedade no longo prazo que as forças militares.

    Esse cara é melhor que Nietzsche nosso grande amigo Carlos Lana o Acauan ! " Fodástico " Metade de seu intelecto me faria um ser humano feliz! Obrigado Acauan  ... Por tudo o que você é e o q  nos ensina ! 
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O canto, o lamento, a tragédia do herói morto !
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin

    26733605_2030841093794954_6333420943114735451_n.jpg?oh=975d4be8c706cd3a7cde665d84328988&oe=5AEFE225
     
  • HuxleyHuxley Member
    Acauan disse:
    Fernando_Silva disse:
    O socialismo em si é apenas uma ideia estúpida. O problema são os socialistas. Sem eles, o socialismo seria apenas mais uma tese burra sepultada pela história.

    Aí temos um ponto para trabalharmos com cuidado.
    Não é que o socialismo em si é apenas uma idéia estúpida e o problema são os socialistas.
    Sem uma ideia que os mantivesse por mais de século, os socialistas não existiriam mais. Seriam algo como os Cátaros.

    Atentem!
    O problema não é o socialismo, a ideia estúpida de que riqueza pode ser produzida por distribuição.
    O problema é o Materialismo-Dialético.
    Este sim, um vírus intelectual que contaminou a Civilização do Ocidente e ameaça matá-la.
    Materialismo Dialético é uma percepção distorcida da realidade que se faz passar pela realidade em si, só que apresenta o encanto de que só eleitos intelectuais tem a capacidade de acessar este nível de percepção e, portano, devem guiar a plebe ignara pelos caminhos que só eles enxergam.
    Que caminhos são estes, isto vai mudar de tempos em tempos.
    Poucos são os materialistas dialéticos de hoje que pregam a revolução proletária e muitos os que defendem o Politicamente Correto, as minorias - mesmo que majoritárias, como as mulheres ou a ideologia de gênero.
    Quando o apelo destas baboseiras sair de moda, se apegarão a outras teses que tenham repercussão no meio intelectual, sabedores que este meio tem mais poder sobre a sociedade no longo prazo que as forças militares.

    Acauan, o vídeo abaixo, em certo trecho, descreve bem o que seja Materialismo Dialético?

  • HuxleyHuxley Member
    editado January 9
    Eu entendo que o socialismo existia antes mesmo de Marx, o criador do Materialismo Dialético, influenciar a humanidade como filósofo. Então, como o socialismo poderia ser um não problema sério se o Materialismo Dialético não existisse?
  • HuxleyHuxley Member
    editado January 9
    Eu entendo o Materialismo Dialético como algo que indicaria a mais plausível direção da relação de causalidade entre as instituições das forças produtivas e relações de produção e as instituições ideológico-políticas, dando ênfase a ideia de que as primeiras produziriam as últimas. A essa ideia descritiva, Marx acrescentou: "Os filósofos limitaram-se a interpretar o mundo de diversas maneiras; o que importa é modificá-lo". Será que eu entendi bem o que seria o  Materialismo Dialético e as suas repercussões ideológicas?
  • SpiderSpider Member
    - Nesses tempos o materialismo dialético se impôs ideologicamente como cultura/religião, uma vez que não admite ou ignora críticas ou contra-argumentação, por isso creio que o problema não é o materialismo dialético em si, e sim a falta de oposição e de divulgação das alternativas ao mesmo, de forma combativa, os opositores de Marx deveriam se concentrar em trabalhar no campo da cultura formas de contrapor, como bem diz o sábio: "O que me preocupa é o silêncio dos bons".

    Abraços,
  • Spider escreveu: »
    - Nesses tempos o materialismo dialético se impôs ideologicamente como cultura/religião, uma vez que não admite ou ignora críticas ou contra-argumentação, por isso creio que o problema não é o materialismo dialético em si, e sim a falta de oposição e de divulgação das alternativas ao mesmo, de forma combativa, os opositores de Marx deveriam se concentrar em trabalhar no campo da cultura formas de contrapor, como bem diz o sábio: "O que me preocupa é o silêncio dos bons".

    Abraços,


    Pior que dá pra vencer isso, mesmo que te custe bloqueios e banimentos.
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • JudasJudas Moderator
    Se eu conheço a maioria dos esquerdistas brasileiros, eles não diriam algo do tipo "O Canadá tem mendigos". Pelo contrário, a maioria deles apontariam o que o bem-sucedido Canadá teve em comum com os países socialistas (saúde pública, por exexmplo) para inferir as supostas causas socialistas de seu sucesso. Lembra do Cláudio (do antigo ReV)?

    Eu acho que existem as duas espécies de çocialistas.
    A primeira certamente mais perigosa que você descreveu, a segunda bastante caricata, fruto de desinformação, ignorância, orgulho de não mudar de ideia etc...
    E a terceira que é o Claudio, que reúne o pior de cada uma.
    Agora, eu tenho acompanhado discussões entre o @nadasei e um socialista no FB.
    O rapaz é professor universitário.
    Ele parte de um ponto mais alto de uma argumentação socialista mas na medida que se vê encurralado vai abaixando o nível até chegar à negação pura da realidade.

    Então honestamente eu não sei se há no fundo, ao menos do ponto de vista prático, muita diferença entre gente que tem alguma argumentação melhorzinha em favor do socialismo e gente que aparece no "Tópico para as merdas da esquerda" criado pelo Cricri.

    No fim das contas existe pouca ou nenhuma possibilidade de mudar a cabeça desses tipos com argumentos ao menos de forma imediata.

    Combater os argumentos deles é pra atingir os demais que possam estar acompanhando o debate.

    Se o cara vai deixar de ser esquerdista ou não tem muto a ver com amadurecimento eu acho, talvez algo biológico ligado à juventude, são muitos casos assim.

    E há casos onde o esquerdismo se instala como religião e não pode ser deposto da cabeça da pessoa.
    Meu pai tinha 18 anos em 1964, ele jamais vai deixar de ser esquerdista e é do tipo do Claudio pra pior.
    O irmão do Cricri, o Fabris...
    São casos clínicos sem nenhuma intenção de usar isso como ofensa.
  • Percival disse:
    Percival disse: - Nesses tempos o materialismo dialético se impôs ideologicamente como cultura/religião, uma vez que não admite ou ignora críticas ou contra-argumentação, por isso creio que o problema não é o materialismo dialético em si, e sim a falta de oposição e de divulgação das alternativas ao mesmo, de forma combativa, os opositores de Marx deveriam se concentrar em trabalhar no campo da cultura formas de contrapor, como bem diz o sábio: "O que me preocupa é o silêncio dos bons".

    Abraços,


    Pior que dá pra vencer isso, mesmo que te custe bloqueios e banimentos.
     

    Custa mesno.
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O canto, o lamento, a tragédia do herói morto !
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin

    26733605_2030841093794954_6333420943114735451_n.jpg?oh=975d4be8c706cd3a7cde665d84328988&oe=5AEFE225
     
  • SpiderSpider Member
    editado January 10
    https://revistatrip.uol.com.br/trip/suicidio-indigena-bate-recordes-morte-voluntaria-e-consequencia-de-uma-existencia-em-conflito?utm_source=uol&utm_medium=home&utm_campaign=suicidio-indigena-bate-recordes-morte-voluntaria-e-consequencia-de-uma-existencia-em-conflito

    - A reportagem do link acima ilustra bem o mal do materialismo dialético, o assunto é o alto índice de suicídio entre os indígenas (o triplo da média nacional) já havia visto análises sobre esse problema, trata-se de uma questão complexa que envolve fatores culturais, psicológicas e sociais, no entanto, o autor da reportagem só se foca em capitalismo, agronegócio e demarcação de terras pelo estado, essa visão tacanha da realidade é uma constante em toda mídia.

    Abraços, 
  • Bem... Os intelectualizados e sorbonizados pensam nos índios em seus confortáveis gabinetes refrigerados. Vão pelo que disseram antropólogos igualmente intelectualizados e sorbonizados... Mas quem perguntou aos índios o que eles de fato querem e PRECISAM? Será que os índios só podem preservar suas culturas com amplas reservas? Milhares de hectares para meia dezena de índios? Será que ensiná-los a cultivar com mais recursos técnicos, criar peixes em tanques, usar da agrofloresta, etc e tal acabaria com a cultura deles? Idem para questões como prostituição e trabalho infantil. Quem ouve as prostitutas ou as crianças? É como um pai disse há tempos: _ Meu filho me ajudava na oficina. Eu ensinava  a eles as coisas e macetes da mecânica. Ele estava do meu lado. Eu sabia onde ele estava e o que fazia. Se desse algum problema comigo, ele poderia até assumir o meu lugar para coisas mais simples e assim minha família não perderia o sustento. Mas agora se o tiver aqui, vou pra cadeia por exploração de trabalho infantil. Onde o meu filho anda? Não faço ideia. Com quem ele anda? Menos ainda. E se ele se tornar viciado, ladrão ou coisa pior pelas más companhias? Que político vai dar jeito nele?
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    editado January 10
    Botânico disse: Bem... Os intelectualizados e sorbonizados pensam nos índios em seus confortáveis gabinetes refrigerados. Vão pelo que disseram antropólogos igualmente intelectualizados e sorbonizados... Mas quem perguntou aos índios o que eles de fato querem e PRECISAM?
    Assim como há muita gente que, apesar de conhecer a vida na cidade, prefere viver uma vida simples na roça, há índios que não querem sair da aldeia.

    Acontece que o resto não quer mais essa vida! Não necessariamente vão preferir largar tudo e morar na metrópolis, mas vão querer os confortos da civilização, a medicina moderna etc.
     
  • Acontece que o resto não quer mais essa vida! Não necessariamente vão preferir largar tudo e morar na metrópolis, mas vão querer os confortos da civilização, a medicina moderna etc.

    Pois é... Mas querer tudo isso implica em "destruir" a cultura indigena. Se o cara índio prefere um médico em vez do pajé, então entendem os antropólogos esquerdistas que a cultura indigena foi destruída. Por isso os índios têm de ser mantidos longe da tal "civilização".
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.