Olá, bem-vind@!

Quer participar e contribuir? Clique no botão "Registrar-se" se é sua primeira vez aqui. Se você já é um dos nossos, clique em "Entrar".

MERCADO

Vamos supor que os socialistas tenham sido capazes de criar um poderoso exército de cidadãos genuinamente ávidos para seguir todas as ordens de seus mestres, os planejadores socialistas.

Fica a pergunta: o que exatamente esses planejadores mandariam esse exército fazer? Como eles saberiam quais produtos seus escravos deveriam produzir? Em qual etapa da cadeia produtiva cada exército deveria trabalhar? Quanto de cada produto deve ser produzido em cada etapa da cadeia de produção?

Quais técnicas ou quais matérias-primas devem ser utilizadas na produção como um todo? Qual a quantidade de matérias-primas a ser utilizada? Onde especificamente fazer toda essa produção? Como eles saberiam seus custos operacionais ou qual processo de produção é mais eficiente?

O comitê de planejamento central não tem como responder a essas perguntas porque o socialismo não dispõe daquela indispensável ferramenta que só existe em uma economia de mercado, e a qual empreendedores os empreendedores utilizam para fazer cálculos e estimativas: existência de preços livremente definidos no mercado.

1) Sob o socialismo, os meios de produção (fábricas, máquinas, ferramentas e mão-de-obra) não possuem proprietários privados. Eles pertencem ao estado.

2) Se os meios de produção pertencem exclusivamente ao estado, não há um genuíno mercado entre eles.

3) Se não há um mercado entre eles, é impossível haver a formação de preços legítimos para esses meios de produção (o que inclui os salários da mão-de-obra).

4) Se não há preços, é impossível fazer qualquer cálculo de custos. E sem cálculo de custos, é impossível haver qualquer racionalidade econômica na alocação, o que significa que uma economia planejada é, paradoxalmente, impossível de ser planejada.

5) Sem preços, não há cálculo de lucros e prejuízos, e consequentemente não há como direcionar o uso de meios de produção para atender às mais urgentes demandas dos consumidores da maneira menos dispendiosa possível.

Dado que a própria essência do socialismo é a propriedade coletiva dos meios de produção, e dado que tal arranjo não permite o surgimento de preços de mercado, e dado que sem preços não há o mecanismo de lucros e prejuízos, que é o que traz racionalidade para qualquer processo produtivo, o comitê de planejamento central não seria capaz nem de planejar nem de tomar qualquer tipo de decisão econômica racional.

Suas decisões necessariamente teriam de ser completamente arbitrárias e caóticas.  Consequentemente, a existência de uma economia socialista planejada é literalmente "impossível".


Comentários

  • JudasJudas Moderator
    Olavo de Carvalho tem um vídeo sobre isso onde ele continua daí pra demonstrar que o comunismo embora inicialmente tenha usado esse discurso o reconheceu como refutado.
    Eles sabiam praticamente desde o inicio que a economia socialista era impossível, Olavo coloca que o comuismo não se trata de ideologia mas de um projeto de poder que se servirá de qualquer que seja o discurso da moda.
    E mostra muitos fatos pra comprovar isso.
  • HuxleyHuxley Member
    Judas disse: Olavo de Carvalho tem um vídeo sobre isso onde ele continua daí pra demonstrar que o comunismo embora inicialmente tenha usado esse discurso o reconheceu como refutado.
    Eles sabiam praticamente desde o inicio que a economia socialista era impossível, Olavo coloca que o comuismo não se trata de ideologia mas de um projeto de poder que se servirá de qualquer que seja o discurso da moda.
    E mostra muitos fatos pra comprovar isso.

    Esse texto explica bem o que você quis dizer aí em cima:

    http://www.olavodecarvalho.org/o-comunismo-dos-imbecis/

    Os comunistas espertos não tentam implementar socialismo no sentido de "estatização total dos meios de produção por meio de economia centralmente planificada"; aqueles que mais entenderam isso sobreviveram e tem potencial de causar estrago mais longo do que os socialistas clássicos.
  • HuxleyHuxley Member
    Essa discussão capitalismo versus socialismo clássico já está ultrapassada. Quem quer enriquecer às custas dos outros justificando isso com autoenganos  socializantes já dispõe de mecanismos autoenganadores mais eficazes do que entrar no caráter inevitavelmente deficitário da economia socialista idealizada pelos socialistas antigos. 
  • PugIIPugII Member
    Se isso fosse verdade, não haveriam regimes comunistas no mundo. Ou então, os regimes comunistas são outra coisa daquilo que o texto diz. Esta última está de acordo com a realidade.

     
  • Os comunistas espertos não tentam implementar socialismo no sentido de "estatização total dos meios de produção por meio de economia centralmente planificada"; aqueles que mais entenderam isso sobreviveram e tem potencial de causar estrago mais longo do que os socialistas clássicos.

    Aí entra o Marxismo cultura, invadindo mídias como quadrinhos, cinema, videogames... Como imprensa e desenvolvimento desses produtos.
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • JudasJudas Moderator
    Esse texto explica bem o que você quis dizer aí em cima:

    É a versão mais completa que já vi.
    Olavo tentou dizer isso pra muita gente em vídeos que assisti versões menores do argumento do texto.
    Muito bom.
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.