Olá, bem-vind@!

Quer participar e contribuir? Clique no botão "Registrar-se" se é sua primeira vez aqui. Se você já é um dos nossos, clique em "Entrar".

Brasileiros continuam migrando para Venezuela em busca de direitos trabalhistas

Comentários

  • ENCOSTOENCOSTO Member
    "Quem ataca o projeto de lei da terceirizaçãocostuma acreditar que as leis trabalhistas garantem direitos, e que sem elas os trabalhadores estariam em situação vulnerável e precária.Essas pessoas têm de responder a uma pergunta: por que os países com "melhores" leis trabalhistas exportam trabalhadores?Ora, se as leis que protegem os empregados têm o efeito esperado, veríamos ingleses migrando para a Espanha e Portugal, onde é quase impossível demitir alguém. Operários dos Estados Unidos, onde não há obrigação de aviso prévio, multa por rescisão de contrato e nem férias remuneradas, atravessariam desertos a pé para chegar ao México, onde o custo médio de uma demissão é de 74 semanas de trabalho.Mas o que vemos é o contrário: os trabalhadores fogem dos países com leis que os protegem demais."
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    A proteção é tanta que os empresários pensam muito antes de contratar alguém e acabam não contratando.
    O trabalhador fica cheio de direitos, mas sem emprego.

    Sem falar nos impostos e contribuições que fazem que, para cada 1 real que o trabalhador recebe, o patrão gaste 3 reais.
    O que significa que dar um aumento de, digamos, 100 reais vai representar um gasto extra de 300 reais para a firma.

    O empregador é tratado como um bandido que deve uma indenização ao funcionário pelo mal que lhe causou ao contratá-lo.
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    editado July 27
    Um dos pontos da reforma é permitir que as férias de 30 dias por ano sejam tiradas em dois ou três períodos separados, o que, atualmente, é proibido para "proteger" o trabalhador.

    Acontece que muita gente (eu, por exemplo) prefere tirar, por exemplo, três períodos de 10 dias espalhados ao longo do ano. E era isto que eu fazia, só que extraoficialmente. Minhas férias eram registradas como um único período de 30 dias, eu era pago de uma vez só, mas, na prática, tirava de 10 em 10 dias.

    Muita coisa na reforma vai apenas oficializar o que já era feito por debaixo dos panos.
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.