Olá, bem-vind@!

Quer participar e contribuir? Clique no botão "Registrar-se" se é sua primeira vez aqui. Se você já é um dos nossos, clique em "Entrar".

Trabalho Não-Remunerado Ou Ócio Hiper-Remunerado: Por Que Serviço Doméstico Não é Realmente Trabalho

https://tradutorbastardo.blogspot.com/2018/08/trabalho-nao-remunerado-ou-ocio-hiper.html

Algumas passagens dessa postagem:
 Eu mostrarei que quase toda parte da sabedoria convencional acerca do assim denominado 'trabalho não-remunerado' das mulheres em casa é enganoso. Tarefas domésticas realizadas pelas esposas não são, como afirma a sapiência feminista, 'trabalho não-remunerado'. Pelo contrário, longe de ser não-remunerado, ele é de fato hiper-remunerado - e, para donas-de-casa casadas com homens de posses, geralmente de maneira estupenda.Mais importante, eu argumentarei que tarefas domésticas, quando realizadas em sua própria casa, e cuidados infantis, quando realizados em respeito aos próprios filhos, não são o tipo de atividades para as quais alguém deveria se considerar no direito de demandar remuneração para início de assunto.De fato, um caso forte pode ser feito sobre que o serviço doméstico e o cuidado infantil deste tipo não deve ser propriamente considerado 'trabalho' afinal - ao menos no sentido ordinário no qual esta palavra é tipicamente utilizada. Pelo contrário, é mais análogo a um passatempo ou a busca de um lazer. Certamente, não deve ser considerado trabalho (e não deve ser conferidora de salário) mais que atividades como lavar detrás das orelhas ou fazer aviões de papel no tempo livre.Portanto, eu argumento que serviço doméstico efetuado por mulheres casadas em suas próprias casas e cuidados infantis quando realizados em respeito aos próprios filhos não representam muito bem, como afirmam as feministas, 'trabalho não remunerado', mas uma indolência hiper-remunerada.
De fato, serviço doméstico e cuidado infantil são comumente feitos em troca de um salário - a saber, quando são feitos ou fora de casa ou, mais comumente, na casa de outrem, tipicamente por empregados domésticos, criados, guardiões de crianças e babás (apesar de que mesmo assim o salário é relativamente baixo, refletindo a natureza segura, não-qualificada e pouco exigente do trabalho envolvido).Certamente, se comparado com muitas formas de trabalho remunerado fora de casa, tarefas domésticas são fáceis, seguras, agradáveis e livres de estresse. Afinal de contas, serviço doméstico geralmente envolve trabalho seguro e sem qualificação que, quando realizado fora da própria casa, é apenas modestamente remunerado pelo mercado de trabalho. Ele não requer nem a habilidade ou perícia de ocupações profissionais, nem implica a exerção física ou perigo de ocupações de trabalho manual, como mineração de carvão, solda ou construção civil.Além disso, ao contrário de alguém trabalhando fora de casa, uma dona-de-casa realiza serviço doméstico na segurança, conforto e proteção de sua própria casa e não existe empregado, supervisor ou gerente constantemente olhando pelo seu ombro, te falando que trabalho fazer, como fazer ou quando ele deve ser feito.
Porém, esses pontos já foram abordados por outros. De fato, desde 1915, o autor, poeta e ensaísta G. K. Chesterton escreveu em um ensaio largamente esquecido, com humor e perceptividade característicos:
Elas [as feministas] dizem eternamente … que a mulher ordinária é sempre um burro de carga. E o que, em nome dos Nove Deuses, é o homem ordinário? Estas pessoas parecem pensar que o homem comum é um Ministro de Gabinete … Duques, talvez, não sejam burros de carga; mas, daí, nem as duquesas o são. As Moças e Rapazes da Alta Sociedade são bastante livres para a alta cultura, que consiste principalmente de dirigir e jogar Bridge. Mas o homem ordinário que tipifica e constitui os milhões que constroem nossa civilização não é mais livre para a alta cultura que sua esposa. De fato, ele não é tão livre assim.Dos dois sexos, a mulher é a que está numa posição mais poderosa. Pois a mulher média está na cabeça de algo que ela pode fazer como bem deseja; o homem médio deve obedecer ordens e nada mais. Ele tem que colocar um tijolo fosco sobre o outro, e nada mais; ele tem que adicionar uma figura fosca a outra, e nada mais. O mundo da mulher é menor, talvez, mas ela pode alterá-lo. A mulher pode falar ao lojista com quem ela trata algumas coisas realistas sobre ele mesmo. O vendedor que faz isso para o gerente geralmente toma um pé na bunda, ou devemos dizer (para evitar o vulgarismo) encontra-se livre para a alta cultura. Acima de tudo … a mulher faz um trabalho que é em algum pequeno grau criativo e individual. Ela pode colocar as flores ou a mobília em arranjos extravagantes de próprio estro. Eu temo que o pedreiro não possa colocar os tijolos em arranjos extravagantes próprios dele, sem desastres para si mesmo e para os outros. Se a mulher está apenas colocando uma emenda num carpete, ela pode escolher a coisa acerca da cor. Temo que o mesmo não seria para o rapaz despachando um pacote escolher suas estampas olhando a cor; preferir malva tenra de seis pence a escarlate cru de um penny. Uma mulher cozinhando pode nem sempre estar cozinhando artisticamente; mesmo assim ela pode cozinhar artisticamente. Ela pode introduzir uma alteração pessoal e imperceptível na composição de uma sopa. Um funcionário não é encorajado a introduzir uma alteração pessoal e imperceptível nas cifras de uma caderneta. 7

 
  “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]

Comentários

  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    editado August 28
    Cuidar da própria casa e dos próprios filhos não é uma opção, é uma necessidade e uma obrigação.
    Casada ou não, a pessoa tem que fazer essas coisas.
    Ela está cuidando do que é dela, em benefício próprio.
    Se não o fizer, terá que pagar a alguém para fazer.
  • É questão de opção se prefere ter o trabalho de lavar o prato ou comer no prato sujo. Se prefere ter o trabalho de varrer a casa ou andar pela casa suja. E o homem solteiro? Ele também tem o direito de ser remunerado por dupla jornada?
  • Ainda bem que o mundo é governado e legislado pelos homens.
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.