Olá, bem-vind@!

Quer participar e contribuir? Clique no botão "Registrar-se" se é sua primeira vez aqui. Se você já é um dos nossos, clique em "Entrar".

A ingenuidade de combater o Islamismo proibindo legalmente toda imigração islâmica

135

Comentários

  • CameronCameron Member
    editado April 1
    Falando nisso, quantos refugiados brasileiros estão pedindo abrigo em outros países porque estão sendo perseguidos, ameaçados e mortos por outros brasileiros e cristãos? Por pior que sejam nossas condições elas não parecem assim tão ruins quando comparamos não é mesmo?
  • HuxleyHuxley Member
    editado April 1
    Cameron disse:
    O país com pior IDH do mundo é a República Centro Africana, que tem quase 70% da população cristã. Em que ser  nação cristã é fator impeditivo para o subdesenvolvimento?

    Não disse que Cristianismo seria impedimento de miséria, o que eu disse é que em vários lugares aonde eles são maioria absoluta não implica em problemas para as minorias, o mesmo não acontece com o Islã.


    Você disse "basta adeptos do Islamismo chegar a 10% para a vida de todo mundo no lugar virar um inferno". Mas porque as mulheres estrangeiras que tomam banho de biquinis pequenos nas praias de Dubai fazem isso sem sofrer sanções da lei? Por que lá (EAU) expatriados da Europa, Austrália, América do Norte e América Latina compõem 500 mil pessoas de uma população total de 8 milhões (Fonte: Wikipédia)?
  • HuxleyHuxley Member
    Cameron disse:
    E você está comparando a chance de morrer na violência urbana no Brasil com a chance de morrer num atentado terrorista islâmico? É sério isso?

    Não fiz essa comparação, fiz uma comparação entre a qualidade de vida (especialmente se você for uma mulher) do Brasil e da maioria dos lugares do mundo dominados por essa religião maldita.

    O IDH do mundo é bem próximo do IDH do mundo árabe.
     
  • CameronCameron Member
    Os países dominados por islâmicos estão mais para Dubai ou Afeganistão? Você não pode pegar uma ou outra exceção e varrer o resto para debaixo do tapete.

    Disse a respeito dos 10% por causa das recentes crises com imigrantes na Europa, eles tinham vida tranquila, bastou a imigração e os islâmicos se tornarem estatisticamente relevantes (5% ou 10%) e pronto, a violência disparou, você não deve comparar com o Brasil e sim com o que o lugar era antes deles chegarem, essa é uma comparação justa para avaliar o impacto deles nas sociedades que, insana e irresponsavelmente, os receberam.
  • HuxleyHuxley Member
    editado April 1
    Os países dominados por islâmicos estão mais para Dubai ou Afeganistão? Você não pode pegar uma ou outra exceção e varrer o resto para debaixo do tapete.
     

    Eu não varri para debaixo de tapete coisa alguma, você é que citou o Afeganistão sem fazer o que eu fiz, por exemplo, que foi uma análise global. Eu já disse no post anterior que o IDH do mundo é bem próximo do IDH do mundo árabe.
  • HuxleyHuxley Member
    editado April 1
    Disse a respeito dos 10% por causa das recentes crises com imigrantes na Europa, eles tinham vida tranquila, bastou a imigração e os islâmicos se tornarem estatisticamente relevantes (5% ou 10%) e pronto, a violência disparou, você não deve comparar com o Brasil e sim com o que o lugar era antes deles chegarem, essa é uma comparação justa para avaliar o impacto deles nas sociedades que, insana e irresponsavelmente, os receberam.
     

    As taxas de violência dispararam nos EUA quando em tal país a imigração latino-americana disparou. As taxas de homicídios entre negros são bem maiores do que em outras etnias. Você quer comparar a figura do indivíduo médio de uma classe com a do indivíduo criminoso típico? Qual a diferença desse discurso para dizer, por exemplo, que "Negro é bandido"?.
  • PugIIPugII Member
    Quando eu chamei o Irã de ditadura você não concordou e veio cheio de resalvinhas.

    Seria uma boa fazer essa comparação. Entretanto, não mudei de opinião relativo ao Irão.
    Peguemos só no caso do líder supremo iraniano, eleito pela assembleia de peritos, que por sua vez são eleitos por sufrágio universal por mandatos de 8 anos.

     UE não se define entre ser uma federação ou uma instituição supra-nacional que assume poder executivo sobre as decisões dos eleitos pelos estados-membros. Enquanto não se assumir a verdade, desconfio desta democracia,ao passo que a outra referida é transparente nas regras.
  • PugIIPugII Member
    o que eu disse é que em vários lugares aonde eles são maioria absoluta não implica em problemas para as minorias, o mesmo não acontece com o Islã.

    Mentira. Por milénios a minoria cristã conviveu com os muçulmanos, já os muçulmanos não foram admitidos na Europa...
    Problemas que hoje existem em alguns lugares, muito se deve à política dos países ditos democráticos e as suas alianças com extremismo...

    Vc está a ajuizar pegando alguns exemplos, para mais todos retirados de guerras em criadas pelo Ocidente - todos os casos sem excepção...
  • JudasJudas Moderator
    editado April 1
    Cameron disse:

    Disse a respeito dos 10% por causa das recentes crises com imigrantes na Europa, eles tinham vida tranquila, bastou a imigração e os islâmicos se tornarem estatisticamente relevantes (5% ou 10%) e pronto, a violência disparou

    Este tipo de imigração, nestas condições específicas geraram estes problemas. (na verdade os agravaram)

    Isso deveria ter sido tratado de outra forma. A princípio, ao menos pra mim, imigrantes são diferentes de refugiados. Uns querem se mudar e outros apenas fugir dos conflitos e depois voltar, respectivamente.




     
  • PugIIPugII Member
    Não fiz essa comparação, fiz uma comparação entre a qualidade de vida (especialmente se você for uma mulher) do Brasil e da maioria dos lugares do mundo dominados por essa religião maldita.

    Quantas mulheres são violadas e assassinadas no Brasil.

    Não tem que andar a comparar, mas há casos e casos...havia países serenos, que as revoluções e invasões "humanitárias" criaram a decadência do nivel de vida global inclusive das mulheres....

    Mulheres muçulmanas foram chefes de Estado em várias nações, inclusive no pais mais populoso de maioria muçulmana.

    A sua raiva primaria merece compaixão, eu é que não ando lá muito compassivo, mesmo assim tome lá um bocado...
  • PugIIPugII Member
    Huxley disse:
    Cameron disse: Qual seria a solução "não ingênua" para a Europa para o problema da imigração e refugiados?

    Digo solução no sentido de que a Europa continue democrática daqui a 100 anos ao invés de ser outro lixo islâmico com ruínas, miséria e fanatismo.


    Uma para começar é abandonar essas fantasias paranoicas de que qualquer país de cultura cristã ocidental vai se tornar um Califado pobre se grande parte da população se tornar muçulmana. Como já demonstrei neste tópico citando Acemoglu e Robinson, há NENHUMA evidência forte de conexão entre islamismo e pobreza. E o fato de a maioria da população do Cazaquistão, país com taxa de homicídios menor do que o dos EUA, ter se tornado muçulmana não tornou tal país asiático num Califado. Pela sua lógica, Portugal estaria prestes a se transformar num grande Brasil se o aumento da imigração brasileira para lá crescer demais, uma vez que, por exemplo, todos  os atentados terroristas do mundo nos cinco primeiros meses de 2017 não superam o número de homicídios registrado no Brasil em três semanas de 2015.

     
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    PugII disse:
    Isso parece-me mais ou menos certo, se os espanhois existissem. O reino de Espanha foi criado só no século XV.
    Quem capturou Afonso Henriques foi o rei de Leão, Fernando II. Os reinos de Leão e Castela eram mais ou menos unidos, mas, com a morte do rei, cada filho ficou com um deles e brigaram entre si. 
    PugII disse:  Em 1640 Catalunha quer ser independente...Portugal aproveita a tensão e restaura a sua independência.

    Vc referiu a guerra dos 30 anos referindo-se a Espanha, não tenho presente a data desse período, creio que estes eventos se passam durante essa guerra. 
    A guerra dos 30 anos foi de 1618 a 1648. Portugal aproveitou-se do enfraquecimento da Espanha, ocupada em várias frentes de combate, e o duque de Bragança assumiu o trono.

    A Catalunha também, embora apenas por algum tempo, conseguiu ficar independente.
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    Huxley disse:
    O país com pior IDH do mundo é a República Centro Africana, que tem 70% de população cristã. Em que ser  nação cristã é fator impeditivo para o subdesenvolvimento?
    A RCA é o único país africano, se não me engano, em que são os cristãos que estão levando vantagem na guerra entre cristãos e islamitas.
  • ENCOSTOENCOSTO Member
    Em 711 não houve nenhum invasão, houve um jogo político que fez o exército africano entrar na Europa.

    Tipo as intervenções americanas nas terras dos muçulmanos. Geralmente algum lider local apoia.

    Então tá tudo beleza.
  • ENCOSTOENCOSTO Member
    de fato, os Mouros foram convidados a entrar por parte dos visigodos que queriam o poder. Confiaram na maometanada do norte da africa e se ferraram.
  • ENCOSTOENCOSTO Member
    Não fiz essa comparação, fiz uma comparação entre a qualidade de vida (especialmente se você for uma mulher) do Brasil e da maioria dos lugares do mundo dominados por essa religião maldita.

    Não acredito que a vida de uma mulher cristã, numa republica de maioria cristã na africa, seja infinitamente melhor do que a de uma muçulmana no Irã.

     
  • CameronCameron Member
    editado April 3
    Não acredito que a vida de uma mulher cristã, numa republica de maioria cristã na africa, seja infinitamente melhor do que a de uma muçulmana no Irã.

    Mas a de uma brasileira é, pelo menos não levamos tiro na cabeça só por querer estudar ou vivemos cobertas com um saco de lixo a vida inteira...

    EDIT: Ok, em alguns lugares no Brasil crianças levam tiro nas escolas por causa da violência urbana, resultado do fracasso completo da segurança pública dessa josta, não estamos em condições tão melhores, mas ainda assim prefiro viver no Brasil do que nesses lugares.
     
  • HuxleyHuxley Member
    Cameron disse:
    Não acredito que a vida de uma mulher cristã, numa republica de maioria cristã na africa, seja infinitamente melhor do que a de uma muçulmana no Irã.

    Mas a de uma brasileira é, pelo menos não levamos tiro na cabeça só por querer estudar ou vivemos cobertas com um saco de lixo a vida inteira...

    EDIT: Ok, em alguns lugares no Brasil crianças levam tiro nas escolas por causa da violência urbana, resultado do fracasso completo da segurança pública dessa josta, não estamos em condições tão melhores, mas ainda assim prefiro viver no Brasil do que nesses lugares.
     

    Para quem leva tiro na cabeça e morre, é completamente desimportante qual a causa que levou ao crime. E é muito mais provável você levar um tiro por ser uma vitima da violência urbana no Brasil do que por ser um herege religioso num país de maioria muçulmana.
  • CameronCameron Member
    Para quem leva tiro na cabeça e morre, é completamente desimportante qual a causa que levou ao crime. E é muito mais provável você levar um tiro por ser uma vitima da violência urbana no Brasil do que por ser um herege religioso num país de maioria muçulmana.

    As chances de ser mutilada quando criança são muito maiores nesses lugares, e uma vida sem liberdades mínimas não vale a pena ser vivida, mesmo que realmente tivessem menos riscos de morte.

    Repito a pergunta, quantas brasileiras estão fugindo desesperadas, com a roupa do corpo e crianças no colo, para outros países porque estão sofrendo perseguição, violência e morte de sua própria pátria? Como eu disse, o Brasil está loooooooooooooooooooooooooonge de ser um lugar decente para viver mas parece um paraíso quando comparamos com os lugares que esses refugiados estão fugindo... 
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    Cameron disse:  As chances de ser mutilada quando criança são muito maiores nesses lugares, e uma vida sem liberdades mínimas não vale a pena ser vivida, mesmo que realmente tivessem menos riscos de morte.
    A diferença é que, no Brasil, por pior que seja a violência, quase ninguém acha que seja uma coisa boa e que agrada a algum deus.

    Já nesses países, até mesmo as vítimas, em muitos casos, acham que tem que ser assim e pronto.
    As próprias mães levam as filhas para serem mutiladas.

    Isto não se conserta com mais policiamento e mais prisões. Pode levar gerações para mudar a mentalidade, o que é muito difícil com uma religião que diz que algum deus mandou fazer essas coisas.

     
  • HuxleyHuxley Member
    editado April 4
    Cameron disse:
    Para quem leva tiro na cabeça e morre, é completamente desimportante qual a causa que levou ao crime. E é muito mais provável você levar um tiro por ser uma vitima da violência urbana no Brasil do que por ser um herege religioso num país de maioria muçulmana.

    As chances de ser mutilada quando criança são muito maiores nesses lugares, e uma vida sem liberdades mínimas não vale a pena ser vivida, mesmo que realmente tivessem menos riscos de morte.

    Repito a pergunta, quantas brasileiras estão fugindo desesperadas, com a roupa do corpo e crianças no colo, para outros países porque estão sofrendo perseguição, violência e morte de sua própria pátria? Como eu disse, o Brasil está loooooooooooooooooooooooooonge de ser um lugar decente para viver mas parece um paraíso quando comparamos com os lugares que esses refugiados estão fugindo... 
    Mutilação genital feminina não é essencialmente questão muçulmana e nem questão tribal africana: http://internacional.estadao.com.br/blogs/gustavo-chacra/a-mutilacao-genital-e-um-problema-tribal-ou-islamico/

    O artigo acima é enfático em desmascarar esse mito. Se fosse verdade o mito, então os habitantes dos países majoritariamente cristãos da África citados não o praticariam com tanta freqüência. E, no caso do Egito, tanto os habitantes seguidores do islamismo quanto do cristianismo os praticam com bastante frequência.

    Mais uma relação de correlação que teve a alegação de causalidade não comprovada neste tópico.
  • HuxleyHuxley Member
    editado April 4
    Existem países majoritariamente cristãos onde a MGF é bastante frequente, enquanto existem países majoritariamente islâmicos onde tal fato descritivo mencionado não acontece. E ainda existe país onde habitantes das duas religiões monoteístas praticam a MGF com bastante frequência.​​​​​​ Eis um resumo do fracasso da prova correlacional mencionada.
  • JudasJudas Moderator
    Fernando_Silva disse:
    Cameron disse:  As chances de ser mutilada quando criança são muito maiores nesses lugares, e uma vida sem liberdades mínimas não vale a pena ser vivida, mesmo que realmente tivessem menos riscos de morte.
    A diferença é que, no Brasil, por pior que seja a violência, quase ninguém acha que seja uma coisa boa e que agrada a algum deus.

    Já nesses países, até mesmo as vítimas, em muitos casos, acham que tem que ser assim e pronto.
    As próprias mães levam as filhas para serem mutiladas.

    Isto não se conserta com mais policiamento e mais prisões. Pode levar gerações para mudar a mentalidade, o que é muito difícil com uma religião que diz que algum deus mandou fazer essas coisas.

     

    Com todos os transtornos que já temos por aqui relacionados até mesmo com o cristianismo (Malafaia, Macedo...) trazer este tipo de gente pra cá será adicionar mais uma pá de problemas.
    Islâmicos são bem vindos se vão trabalhar, pagar impostos e respeitar nossas leis.
    Islâmicos que criam guetos pra praticar "leis" deles que são consideradas crimes  aqui (tal como traficantes já fazem em favelas) não são.

    Usar Burca em Copacabana só pra esfregar na nossa cara como é a religião deles é apenas motivo pra críticas.
    Desobedecer leis deve ser tratado como motivo pra deportação.

    É simples mas na hora de aplicar aparecem defensores de contraventores e o problema vai aumentanto, vai se acostumando e se aceitando o argumento de que aplicar leis paralelas é crime se for feito por traficantes em favelas mas não é se for feito em nome de uma cultura diferente.

    Se tivessem feito valer a lei do país desde o início na Europa o problema não teria chegado a este ponto.
     
  • HuxleyHuxley Member
    Judas disse:
    Fernando_Silva disse:
    Cameron disse:  As chances de ser mutilada quando criança são muito maiores nesses lugares, e uma vida sem liberdades mínimas não vale a pena ser vivida, mesmo que realmente tivessem menos riscos de morte.
    A diferença é que, no Brasil, por pior que seja a violência, quase ninguém acha que seja uma coisa boa e que agrada a algum deus.

    Já nesses países, até mesmo as vítimas, em muitos casos, acham que tem que ser assim e pronto.
    As próprias mães levam as filhas para serem mutiladas.

    Isto não se conserta com mais policiamento e mais prisões. Pode levar gerações para mudar a mentalidade, o que é muito difícil com uma religião que diz que algum deus mandou fazer essas coisas.

     

    Com todos os transtornos que já temos por aqui relacionados até mesmo com o cristianismo (Malafaia, Macedo...) trazer este tipo de gente pra cá será adicionar mais uma pá de problemas.
    Islâmicos são bem vindos se vão trabalhar, pagar impostos e respeitar nossas leis.
    Islâmicos que criam guetos pra praticar "leis" deles que são consideradas crimes  aqui (tal como traficantes já fazem em favelas) não são.

    Usar Burca em Copacabana só pra esfregar na nossa cara como é a religião deles é apenas motivo pra críticas.
    Desobedecer leis deve ser tratado como motivo pra deportação.

    É simples mas na hora de aplicar aparecem defensores de contraventores e o problema vai aumentanto, vai se acostumando e se aceitando o argumento de que aplicar leis paralelas é crime se for feito por traficantes em favelas mas não é se for feito em nome de uma cultura diferente.

    Se tivessem feito valer a lei do país desde o início na Europa o problema não teria chegado a este ponto.
     

    Ser criminoso ou praticar crime no país para o qual imigrou é motivo para deportação independentemente da religião. Isso não seria, então, um problema de religiosidade imigrante e sim de criminalidade imigrante. A única política admissível é a intolerância com os intolerantes, postulado em que é inteiramente dispensável apelar a "valores cristãos" ou "princípios ocidentais".
  • JudasJudas Moderator
    Ser criminoso ou praticar crime no país para o qual imigrou é motivo para deportação independentemente da religião. Isso não seria, então, um problema de religiosidade imigrante e sim de criminalidade imigrante.

    É problema de religião quando tem relação com religião e é problema de droga quando tem relação com droga.
    Tudo é criminalidade sim.

    Só não é motivo pra condenar a religião toda nem todos os praticantes dela.

     
  • HuxleyHuxley Member
    Judas disse:
    Ser criminoso ou praticar crime no país para o qual imigrou é motivo para deportação independentemente da religião. Isso não seria, então, um problema de religiosidade imigrante e sim de criminalidade imigrante.

    É problema de religião quando tem relação com religião e é problema de droga quando tem relação com droga.
    Tudo é criminalidade sim.

    Só não é motivo pra condenar a religião toda nem todos os praticantes dela.

     

    Para a política de imigração, essas coisas de extrapolacao de fator de risco de grupo para o indivíduo não deveriam contar. Não se pode barrar a entrada de muçulmanos por causa da religião pela mesma razão pela qual não se pode barrar a entrada de negros por causa da etnia.
  • PugIIPugII Member
    editado April 3
    Passei para dizer que continuo assistindo :)
  • JudasJudas Moderator
    Huxley disse:
    Judas disse:
    Ser criminoso ou praticar crime no país para o qual imigrou é motivo para deportação independentemente da religião. Isso não seria, então, um problema de religiosidade imigrante e sim de criminalidade imigrante.

    É problema de religião quando tem relação com religião e é problema de droga quando tem relação com droga.
    Tudo é criminalidade sim.

    Só não é motivo pra condenar a religião toda nem todos os praticantes dela.

     

    Para a política de imigração, essas coisas de extrapolacao de fator de risco de grupo para o indivíduo não deveriam contar. Não se pode barrar a entrada de muçulmanos por causa da religião pela mesma razão pela qual não se pode barrar a entrada de negros por causa da etnia.
    Não sugerir barrar ninguém.
     
  • JudasJudas Moderator
    editado April 4
    O problema só pode ser tratado lá onde ocorre. De fato não dá pra colocar o fator religião no calculo. Entendi melhor agora o que quis dizer embora reitero que nao disse que isso fosse feito.
  • JudasJudas Moderator
    Jesus toma conta! Escrever no celular e uma merda. Nem eu me entendi e não sei como editar.
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.