Olá, bem-vind@!

Quer participar e contribuir? Clique no botão "Registrar-se" se é sua primeira vez aqui. Se você já é um dos nossos, clique em "Entrar".

ACOMPANHANDO LULA ATÉ A CADEIA

1235»

Comentários

  • PercivalPercival Member
    TELEVISÃORepórter da Band, Sonia Blota é agredida por militantes do PT


    A repórter Sonia Blota, da Band, foi agredida com ovadas por militantes do PT na noite desta quinta-feira.

    Em sua conta no Twitter, a jornalista lamentou o ataque e escreveu que sentia orgulho da militância política dos tempos de faculdade e que sempre zelou, profissionalmente, pela informação sem tendências.

    “Infelizmente tomei uma ovada de militantes do PT que gritavam “mídia golpista”.Que pena! Logo com uma profissional que sempre lutou contra a censura”, postou.

    Para proteger seus funcionários, a Globo não expôs canoplas e recorreu a imagens aéreas na cobertura do ato pró-Lula.

    http://teleguiado.com/televisao/2018/04/reporter-da-band-sonia-blota-e-agredida-por-militantes-do-pt.html?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • PercivalPercival Member
    TELEVISÃOPara evitar agressões em ato pró-Lula, Globo esconde logo e usa helicóptero


    Para proteger repórteres e cinegrafistas, a Globo limitou a cobertura do ato em apoio ao ex-presidente Lula realizado na noite de quinta-feira, 5 de abril, no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo.

    O “Jornal Nacional” e o “Jornal da Globo” exibiram imagens aéreas do prédio, recorrendo a fotos da agência Reuters e algumas poucas cenas gravadas “in loco”.

    O “Jornal das Dez”, da GloboNews, exibiu um link ao vivo com Victor Ferreira. O repórter, no entanto, usava lapela – não portava microfone e, consequentemente, não exibia a canopla com a marca da emissora, ameaçada formalmente por um líder do MST.

    http://teleguiado.com/televisao/2018/04/para-evitar-agressoes-em-ato-pro-lula-globo-evita-canopla-e-reporter-in-loco.html?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter

      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    editado April 7
    Guiazinho básico pra galera poder opinar sem pagar micão:

    1- "Ah, mas e o Aécio?"

    O Aécio é Senador, possui Foro Privilegiado, somente o STF tem o poder julgá-lo. Seus 9 processos não podem ser sequer tocados por Sérgio Moro.

    2- "Ah, mas o Moro podia mandar prender a irmã do Aécio, que não tem foro privilegiado"

    A irmã do Aécio, caso não saibam, foi investigada e presa. Só foi solta porque entrou com um Habeas Corpus no STF e o ministro Marco Aurélio Mello concedeu sua liberdade, o mesmo ministro que quer fazer de tudo p/ soltar o Lula.

    3- "Ah, mas não tem nenhum político do PSDB preso"

    Sim, e também não tem nenhum político do PMDB, do PT, do PP, etc. preso, pois todos possuem FORO PRIVILEGIADO, e só podem ser julgados e presos pelo STF. Os políticos que estão na cadeia hoje, como Cunha, Sérgio Cabral, Geddel, José Dirceu, Antônio Palocci e em breve Lula, só foram presos porque perderam seus cargos e mandatos antes, e com isso perderam o Foro Privilegiado, que os protegia da Justiça.

    4- "Ah, mas prender o Lula não acaba com a corrupção, que hipocrisia"

    Sim, e prender o Maníaco do Parque não acaba com os estupros, prender o Casal Nardoni não acaba com a violência infantil, prender o Goleiro Bruno não acaba com a violência contra a mulher, prender o Maluf não acaba com a roubalheira, quer eles soltos, também?

    5- "Ah, mas o Temer, o Serra, o Renan, o Collor, o Alckmin?"

    Todos possuem algo que Dilma quis dar a Lula transformando-o em Ministro e que ele busca desesperadoramente agora, candidatando-se à presidência: FORO PRIVILEGIADO. Quer ver esse pessoal ser punido? Simples, lute pelo fim do foro privilegiado, isso é muito mais eficaz do que pedir pra soltarem seu político favorito.

    6- "Ah mas o Lula é injustiçado, perseguido, preso sem provas"

    Filho(a), Lula foi condenado por 01 juiz de primeira instância, depois teve sua pena aumentada por 03 juízes de segunda instância, depois teve um Habeas Corpus negado por 05 ministros do STJ e anteontem teve seu Habeas Corpus negado por 06 ministros do STF. Se você acha que entende mais de direito e processo penal do que 01 juiz, 03 desembargadores, 05 ministros do STJ e 06 ministros do STF juntos, então corre pro próximo concurso, pois você é o gênio perdido do direito brasileiro.

    (Henrique Martins)

    Sugestão: copiar e colar em todo post de retardados que ainda tiver a cara de pau de defender o Lula.
    https://www.facebook.com/celio.cordeiro.7/posts/1851481234913996
  • LeandroLeandro Member
    Sugestão: copiar e colar em todo post de retardados que ainda tiver a cara de pau de defender o Lula.

    Passando pro face em 3.. 2.. 1.
     
  • PugIIPugII Member
    que os protegia da Justiça

    Expressão horrível, parece que assim o Lula é vítima dessa tal de Justiça.
    Foro privilegiado não é uma protecção da Justiça, mas uma distinção de lugar onde se é julgado.
     
    Lula é injustiçado, perseguido, preso sem provas

    Esta é a parte chata, parece que sempre vai haver pessoas dizendo isso, nem adiante argumentar.
  • LeandroLeandro Member
    Esta é a parte chata, parece que sempre vai haver pessoas dizendo isso, nem adiante argumentar.

    Tentei argumentar com um primo até que ele compartilhou 2 pérolas: 
    "Vou votar no Lula sim e quem não não gostar que me exclua dos amigos!"
    "Voto até numa cabrita se Lula indicar!"

    Pra quem votou num molusco e uma anta, uma cabrita seria até uma evolução. : ) 
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    PugII disse:
    Foro privilegiado não é uma protecção da Justiça, mas uma distinção de lugar onde se é julgado.
    Deveria ser, mas, na prática, pelo menos no Brasil, significa o mesmo que "imunidade parlamentar".
    Significa que a Justiça não o alcança devido ao cargo.
    PugII disse:
    Lula é injustiçado, perseguido, preso sem provas
    Esta é a parte chata, parece que sempre vai haver pessoas dizendo isso, nem adiante argumentar.
    Para seus adoradores, Lula é inocente mesmo diante de todas as provas em contrário.
    No máximo, admitem que ele fez o que era necessário pelo suposto bem do povo e dane-se a Lei.
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    PIORES MOMENTOS

    A prisão de Lula acabou sendo um episódio de pequenez

    Por J.R. Guzzo, Veja, 7 abr 2018, 20h28

    Tudo em que Lula encosta a mão, já há muito tempo, fica estragado na hora. Neste seu momento de desgraça, quando não podia mais evitar a prisão e sua única saída era tentar manter a cabeça erguida, fez o contrário – baixou a cabeça e acabou entrando na cadeia como um homem pequeno. Teve a oportunidade plena de fazer alguma coisa mais decente. Foi ajudado pela gentileza extrema da Polícia Federal e demais autoridades encarregadas de cumprir a ordem judicial, que lhe deram todo o tempo do mundo para preparar uma apresentação às autoridades que tivesse um pouco mais de compostura. Foi tratado com uma paciência que não está à disposição de nenhum outro brasileiro. Teve o privilégio de uma “negociação” sem pé nem cabeça para se entregar, como se o cumprimento da ordem dependesse da sua concordância. Mas acabou, apenas, estragando tudo. Conseguiu tornar a sua biografia, que já está para lá de ruim, ainda pior – este capítulo da sua ida para o xadrez, condenado a doze anos por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, concorre, certamente, para ser um dos piores da sua triste passagem pela política brasileira.

    O PT, a esquerda em geral e o próprio Lula imaginavam, talvez, uma despedida com mais cara de cinema, ou pelo menos de novela de televisão. O problema, como sempre acontece, é que esses planos bonitos exigem coragem para ser colocados em prática. E onde encontrar coragem, na hora de enfrentar a dureza? Nada de Salvador Allende e de sua heroica resistência até a morte, no Palácio de La Moneda em Santiago do Chile, onde enfrentou à bala a tropa do exército chileno que veio prendê-lo. Allende? Imaginem. O que o brasileiro viu pela televisão, durante as vinte e tantas horas de tumulto que se seguiram ao prazo concedido para o ex-presidente se apresentar à prisão, foi um homem confuso, vacilante, amedrontado, tentando pequenas espertezas – nada que lembrasse um líder em modo de “resistência”. Uma hora parecia querer uma coisa. Dali dez minutos estava querendo o contrário. Sua “trincheira” durante as horas que antecederam a prisão, o prédio do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, não era uma trincheira de verdade. Entravam engradados de cerveja, sacos de carvão e carne para churrasco. E que trincheira é esta, que só resiste porque a tropa do outro lado não aparece? Lula, mais uma vez, ficou fingindo que queria briga – mas amarelou, como sempre, na hora em que teria mesmo de ir para o pau.

    O único gesto do ex-presidente e o seu entorno foi aproveitar a moleza da polícia encarregada de prendê-lo para dar a impressão de que ele se “recusava” a ser preso. Não se recusava coisa nenhuma – só ficou entocado dentro do prédio porque a Polícia Federal não foi buscá-lo. Que valentia existe nisso? O que houve de verdade, na vida real, foi o arrasta-pé de um político assustado, sem ação e obcecado com a própria pele, escondendo-se atrás da moita para ver se a confusão passa e ele pode sair ao céu aberto. As últimas horas que Lula passou em seu esconderijo, antes de tomar o avião que enfim o levou já preso para Curitiba, deixaram claro, também, que nem ele e nem toda a estrutura do seu partido tinham a menor noção do que estavam fazendo. Não tinham um plano, A, B ou C. Não tinham uma única ideia a respeito do que fazer. Não tinham nada. Até a última hora, na verdade, não imaginavam que fosse expedida, realmente, uma ordem de prisão contra ele; não conseguiam acreditar, simplesmente, no que estava acontecendo. Lula e o PT contavam, isto sim, com os escritórios de advocacia milionários que iriam salvá-lo no STF. Contavam com um Marco Aurélio, Lewandovski ou Gilmar Mendes para dar um golpe de última hora no tapetão. Contavam com qualquer coisa – menos a ordem de prisão que acabou por levá-lo ao xadrez da Laja Jato. Na hora que a realidade teve de ser encarada, entraram em parafuso.

    O final desta comédia foi uma tristeza. Durante um dia inteiro, e a maior parte do dia seguinte, um bolinho de gente ficou em volta do sindicato — era o apoio popular que foi possível juntar. Às vezes, nas imagens aéreas da televisão, parecia uma concentração mais encorpada. Mas assim que o helicóptero se afastava um pouco ficava claro que a mobilização do povo brasileiro para defender Lula era só aquele bolinho mesmo – em Mauá, por exemplo, a quinze minutos dali, não havia um único manifestante à vista. Nem em Santo André, ou São Caetano, ou no resto do Brasil. A população estava trabalhando. No carro de som, falando para si próprios, sucediam-se dinossauros velhos e novos, de Luisa Erundina a Manoela D’Ávila, gritando coisas desconexas. Ninguém, ali, tinha qualquer relação com o mundo do trabalho. Nem na plateia, formada por sindicalistas, desocupados ou professores que faltaram ao serviço, com a coragem de quem não pode ser demitido do emprego. Dentro do prédio Lula limitou-se a não resolver nada, cercado por um cardume de puxa-sacos e mediocridades. Não havia, na hora máxima, ninguém de valor, mérito ou boa reputação em torno dele – só os serviçais de sempre, gente que sabe gritar, sacudir bandeira vermelha e atrapalhar o trânsito, mas não é capaz de ter uma única ideia ou fazer uma sugestão que preste. Como o nosso grande líder de massas pode acabar cercado, numa hora dessas, por figuras como Gleisi Hoffman e Eduardo Suplicy? Muita coisa, positivamente, deu muito errado.

    O heroísmo da “resistência” de Lula acabou limitado à agressão de um infeliz que despertou a ira dos “militantes” e foi surrado até acabar no hospital com traumatismo craniano. Ou à depredação no prédio da ministra Carmen Lucia em Belo Horizonte, mais pixações aqui e ali. Quanto ao próprio Lula, o que deu para verificar é que a soma total de suas ações no momento de ir para a cadeia resumiu-se a empurrar as coisas com a barriga até a hora de entregar os pontos — depois de fingir que “não estava conseguindo” se render por causa de um tumulto barato encenado pela turma que cercava o sindicato. Esperou escurecer para não ser preso à noite, no dia seguinte inventou uma espécie de missa, um discurso que não acabava mais, um almoço “com parentes” e, por fim, armou a farsa do tal bloqueio dos portões de saída por parte dos seus “apoiadores”, o que o “impediria” de se entregar. Chegou ao limite extremo da irresponsabilidade, mais uma vez – e só quando não deu para continuar fazendo a polícia de idiota, como fez durante dois dias seguidos, embarcou no camburão da PF, e depois, no avião rumo à Curitiba. No tal discurso, com frases mal copiadas de Martin Luther King, chegou a dizer que é a favor – isso mesmo, a favor – da Lava Jato, depois de passar os últimos dois anos fazendo os ataques mais enfurecidos contra a operação anti-corrupção. Agora, na hora de ir para a cadeia, diz que é contra a roubalheira, e que só está preso por causa “da imprensa” – o que, além de falso, é mais uma demonstração de que está cuspindo no prato no qual tem comido há anos. Afirmou, enfim, que estava indo para a “prisão deles”. Mentira. Não é prisão deles. É do Brasil inteiro e do sistema legal que ainda existe por aqui.

    A história está cheia de políticos que crescem com a própria prisão. Não foi o caso de Lula.
    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1939046649460857&set=a.234462913252581.65192.100000666218375&type=3

     
  •   “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • A prisão de Lula acabou sendo um episódio de pequenez

    Que mais se esperaria deste cara?

    Meu triplex... É o que dá fazer discurso quando se está de foguetz: é nessa hora que a verdade aparece... Ei, Sr Ignorácio, o Geddel está em cana e antes de você e pelo mesmo motivo: não tem foro privilegiado. Se está se queixando dos outros colegas políticos, é só acabar o mandado que a vez deles chega... Ou não! Como é mesmo aquele lance de que proibiram de investigar o Sarney?
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    Foi a Dilma que escreveu este discurso?
  • PugIIPugII Member
    Lula está certo, não há direito de ser acusado de suicídio, estando vivo, a família do outro, isto é, do próprio, quer vingança por pensar que ele teria sido o suicida responsável da morte daquele que iria fazer herdar a família, ninguém merece esta desilusão.

    hahaha
     
  • Não tenho motivos pra acreditar em uma Divindade .
    O campo do saber é denso e inesgotável , isso é fascinante e muitas vezes frustrante .
    O futuro é = 1 e não pode ser outro .Que a sorte nos acompanhe amém .
    "Eu canto com a minha alma, com o meu corpo, com o meu sexo... Eu canto inteira! "
     Janis Joplin
    Azafatas-a-todo-o-nada.jpg
     
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    Lula e os seus ricos

    Elites adoram quando mais pessoas voam e entram na universidade porque são donas de faculdades e de companhias aéreas

    Lula repetiu em seu último discurso: estava sendo preso porque promove os pobres contra os ricos, já que estes, das elites, odeiam quando os pobres melhoram de vida.

    Demagógico e falso.

    Falso porque os ricos adoram quando mais pessoas, pobres ou não, entram nas faculdades, especialmente as particulares, e viajam de avião. Isso mesmo, adoram, porque as elites são donas das escolas, cujas ações subiram às nuvens com os programas de financiamento e bolsas pagas pelo governo. Assim como são donas das companhias aéreas — e dos hotéis e das lojas — cuja demanda disparou nos anos de ouro dos países emergentes.

    Verdade que a vida dos pobres melhorou nos anos do governo Lula. Mas melhorou em todo o mundo emergente, dando origem à nova classe média. Isso resultou de uma feliz combinação de crescimento global, que puxou a demanda e os preços das commodities, com políticas econômicas que preservaram a estabilidade da moeda e das contas públicas.

    Ou seja, não é que o Brasil de Lula cresceu porque ele aplicou políticas a favor dos mais pobres. Foi um puro ciclo de expansão capitalista, baseada na renda das commodities (soja, minério de ferro, carnes) e na ampliação do consumo, via renda e crédito. Isso aconteceu no Brasil, na Índia, no Chile, na Tailândia, no Peru e por todos os países parecidos.

    Os capitalistas adoraram. O agronegócio decolou, a indústria automobilística dobrou sua capacidade, os shoppings se multiplicaram, as vendas no varejo esquentaram.

    A diferença entre os governos do PT, Lula e Dilma, foi para pior. Reparem: na época de ouro, primeira década dos anos 2000, todos os emergentes cresceram forte. Depois da crise financeira global, o Brasil teve uma breve recuperação e depois afundou numa crise de recessão e inflação alta. Isto, sim, foi inédito. Tirante os bolivarianos Venezuela e Argentina, isso não aconteceu em nenhum outro emergente importante. Todos mantiveram um nível de crescimento, ainda que menor, e mantiveram a estabilidade da moeda e equilíbrio das contas públicas, com juros baixos, muito baixos.

    Como os governos petistas conseguiram estragar tudo?

    Porque o dinheiro público acabou, e a renda externa das commodities caiu. Lula do segundo mandato, Dilma, seus economistas e estrategistas continuaram acreditando que ampliar o número de beneficiados do Bolsa Família e elevar o salário mínimo, mandando os bancos públicos conceder crédito a torto e a direito — isso seria a mágica do eterno bem-estar.

    Quando as famílias, endividadas e vítimas dos juros altíssimos, para combater uma inflação crescente, pararam de consumir, Lula colocou a culpa no ódio dos ricos.

    Ora, os ricos estavam bravos era com a recessão. Quiseram se livrar do governo Dilma porque a gestão petista estava tirando os pobres das faculdades, dos aviões e das lojas.

    Não foi porque Lula atacou os capitalistas. Mas porque estabeleceu uma relação espúria com boa parte do capital. Foi a perversa combinação de capitalismo de Estado com capitalismo de amigos, cujo resultado é corrupção e ineficiência. Isso não foi novo. Está nos livros.

    Acontece assim: o governo amplia seu controle na economia, via estatais, aumento do gasto público direto e regulações, que dirigem crédito favorecido e isenção de impostos para setores selecionados. O governo entrega obras, compra serviços e mercadorias — de remédios e pontos de exploração de petróleo — das empresas amigas. Estas cobram preço superfaturado e devolvem parte de seus ganhos para os que controlam o governo.

    O governo petista não foi o governo dos ricos. Foi o governo de parte dos ricos, os seus amigos. Quem mais se beneficiou não foi o pobre do Nordeste, mas a maior empreiteira nacional, a Odebrecht, levada por Lula (e pelo BNDES) a se tornar uma multinacional de obras e de corrupção.

    O pobre do Nordeste ganhou mais Bolsa Família, mas não foi isso que o levou para a classe C. Foi a expansão das commodities, o crescimento e a consequente geração de empregos.

    Essas pessoas voltaram à pobreza com a recessão e inflação — e, sobretudo, com a destruição de estatais como a Petrobras e Eletrobras. Estas foram levadas a gastar recursos de que não dispunham e obrigadas a entrar no maior esquema de corrupção do mundo emergente, um verdadeiro produto brasileiro de exportação.

    A corrupção também foi global, mas pelo menos os governos de outros países mantiveram uma estabilidade macroeconômica.

    Por aqui, ainda bem que surgiu a Lava-Jato. Ao contrário do que diz Lula, não se trata da reação dos ricos contra os pobres. A Lava-Jato só pega ricos — e de todos os lados da política.

    E o povo não foi às ruas para defender Lula. De algum modo, entendeu que salvar Lula nesse processo é como salvar Odebrecht, Temer, Renan, Aécio e por aí vai.

    Carlos Alberto Sardenberg é jornalista
    https://oglobo.globo.com/opiniao/lula-os-seus-ricos-22581326
     

     
  • ENCOSTO disse: O Reinaldo Azevedo aponta para um erro que pode sim dar tempo para o Lula. A denúncia diz que o tiprequis do Guarujá é propina paga ao lula com recursos da Petrobrás. Isso não foi provado. Esse detalhe, segundo o Reinaldo, seria o suficiente para inocentar o Lula. 

    A QUESTÃO MAIS GRAVE ,  que o MP ainda não se apercebeu que na verdade este imovel teve  sua planta adulterada , onde  originalmente  constava apartamento do tipo dupréxis, deixando claro ser mais uma obra irregular do PT  do tipo "puxadinho"!
  • Pergunta aí pra esse Reinado Azedo (ops! Azevedo) se a OAS fez alguma obra superfaturada para a Petrobras. Se fez, fim de papo: está caracterizado o benefício. Mas o caso é que ultimamente o pessoal aí do Judiciário tem levado em conta o presentinho, a propina, o agrado, o favor, o raio que o parta que o agente público tenha recebido, mesmo que nenhum ato de ofício tenha dado em troca. É pura inocência alguém acreditar que um agente público receba triplex, sítio, etc e tal sem de quem se espere algum favor em troca.

    O Descolorido de Melo foi absolvido no Supremo em 1997 pois embora tenha ganho uma Fiat Elba e um jardim reformado na Casa da Dinda, não ficou provado nenhum ato de ofício da parte dele em favor dos gentis favorecedores.

    Nesse rumo, os corruptos só vão se salvar com foro privilegiado e cadeia só depois do tal transitado e julgado...
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.