Olá, bem-vind@!

Quer participar e contribuir? Clique no botão "Registrar-se" se é sua primeira vez aqui. Se você já é um dos nossos, clique em "Entrar".

Notícias E Variedades.

14567810»

Comentários

  • PercivalPercival Member
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    Máquinas de escrever desempregaram os escrivãos (mas deram emprego às mulheres)

    Carros desempregaram os fabricantes de carroças e carruagens

    Impressoras pequenas e baratas foram compradas por jornais, revistas e editoras e desempregaram os tipógrafos

    Impressoras domésticas e computadores desempregaram datilógrafas e reduziram mercado de empresas de impressão

    AutoCAD e similares acabaram com os empregos de desenhistas e copistas
     
  • PercivalPercival Member
    Julia-Silva-YouTuber.jpgVídeo mais antigo da youtuber Julia Silva, em que anuncia o encontro com os fãs em uma das lojas da Ri Happy (Crédito: Reprodução)Na semana passada, o YouTube foi o assunto único na reunião do Conselho de Ética do Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária). Em reunião da Câmara, o órgão julgou oito processos movidos pelo Ministério Público do Estado de São Paulo, em janeiro deste ano.A razão da reclamação de todas essas ações era a mesma: de acordo com avaliação do Ministério, a associação de marcas a conteúdos no YouTube que têm, como público-alvo, as crianças, não eram adequadas. Por se tratar da mesma reclamação, que envolvia diferentes vídeos, o relator dos casos achou que era mais produtivo avaliar todas as campanhas em uma única seção. RELACIONADOFelipe-Neto-Video-275x170.jpgEm primeira reunião de 2018, Conar pune Felipe Neto
    Não é a primeira vez que o Conar julga casos envolvendo influenciadores. Na reunião que inaugurou os trabalhos do Conselho em 2018, o órgão puniu uma ação feita pelo youtuber Felipe Neto, que oferecia aos espectadores a oportunidade de passar um dia em sua casa, via sorteio. Na ocasião – e na maior parte dos trabalhos com influenciadores que chegam ao Conar – a grande questão levantada pelo Conar é o fato de que o patrocínio da marca nem sempre ser sinalizado da maneira devida. No caso dos influenciadores, por exemplo, é bem comum a exibição de produtos enviados por marcas sem qualquer registro de que se trata de uma ação publicitária. Em sua defesa, muitos anunciantes dizem que o ato de enviar produtos aos youtubers (que na linguagem da plataforma ganham o nome de “Recebidos”) não configura publicidade pois não houve pagamento por aquele espaço. Na interpretação do Conar, no entanto, algumas exibições de produtos e marcas contém apelo de compra e, por isso, deveriam ser sinalizadas como conteúdo publicitário.Dessa vez, a sentença do Conar foi unânime para os oito casos julgados: alteração da peça publicitária, agradava por advertência aos anunciantes. Nesse caso, o Conar avalia a conduta da marca e não, diretamente, dos influenciadores.Veja, abaixo, a lista das ações punidas pelo Conar (todos os vídeos foram retirados do ar nos canais):Ri Happy Brinquedos – “Encontrinho YouTubers”
    Influenciadores: Julia Silva, Marina Bombonato, Carol Santina, Felipe Calixto, Long Jump e Manoela AnteloMcDonald’s – “Presente McDonald’s”
    Influenciador: Felipe CalixtoBic Graphic – “Pré-material escolar – 2016 recebidos e acumulados”
    Influenciadores: Manoela Antelo e Amanda CarvalhoLokas Puket – “Festa do Pijama youtubers mirins”
    Influenciador: Carol SantinaPampili
    Influenciadores: Julia Silva e Manoela AnteloTurner – “Encontro com personagens do Cartoon Network”
    Influenciadores: Felipe Calixto e Manoela AnteloSBT – “Carrossel – O Filme”
    Influenciadores: Julia Silva e Felipe CalixtoForoni – “Desafio Foroni”
    Influenciadores: Julia Silva, Felipe Calixto, Manoela Antelo e Amanda Carvalho

    http://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/2018/06/06/conar-condena-8-acoes-de-influenciadores-no-youtube.html
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • PercivalPercival Member
    Ministro inglês quer identidade digital única contra bullyingPostado por Nick Ellis, 12/06/2018 às 17:30, em Meio BitSegurança

     20180612big_brother_1984-634x309.jpg

    Em entrevista concedida ao The Times, o ministro da Segurança do Reino Unido, Ben Wallace, disse que quer criar uma identidade digital única para aumentar a segurança da população, citando investigações policiais frustradas por tecnologias de encriptação.

     Wallace, que é ex-soldado do exército inglês, declarou: “Uma grande parte do bullying e aliciamento nas redes sociais acontece pois estas pessoas sabem que você não pode identificá-las. É a lei da selva na internet. Você não deveria poder se esconder atrás da anonimidade como você pode hoje em dia. Os bancos autenticam seus clientes, então as empresas de internet também deveriam poder fazer isto.”

     Para ele, o sistema de verificação digital poderia acabar com a anonimidade online poderia funcionar de duas formas, a primeira com a identidade digital sendo fornecida mediante a apresentação de um documento de identificação com foto, como a carteira de identidade ou de motorista ou o passaporte para a organização responsável, que criaria a conta no seu nome, e a outra com os próprios sites criando mecanismos para verificar a identidade dos usuários.

     O problema dessa proposta é bem simples, quem realmente quer ficar anônimo para fazer algo errado, certamente vai encontrar uma outra maneira de fazer isto, enquanto a maioria das outras pessoas que não estão fazendo nada de errado, estarão sendo automaticamente vigiadas o tempo inteiro em todas as suas atividades online. Sim, o sistema vai custar uma fortuna e na prática, não vai resolver nada, muito pelo contrário, vai criar mais confusão ainda, mas quero ver alguém conseguir explicar ao ministro Wallace.

     Falando em custos, o ministro também acredita que serviços como o Whatsapp deveriam reembolsar a sociedade pelo “impacto negativo da sua tecnologia” (palavras dele), e aproveita para dar uma cutucada nos bilionários do Silicon Valley, que segundo ele são os verdadeiros vilões: “Eles acusam o estado de vigilância ao mesmo tempo em que vendem os meus detalhes para ganhar dinheiro.” 

     Este desejo de unificação de identidades é parecido com a proposta do do “ministro digital” da Austrália, Michael Keenan, que quer criar uma “identidade digital” para todos os australianos até 2025. A identidade ficará sob responsabilidade do Australian Tax Office e supostamente vai proteger a privacidade dos cidadãos.

     Pelo menos lá na terra dos cangurus, o sistema não seria obrigatório e a motivação parece ser a desburocratização do sistema, mas apesar das boas intenções, eu ainda fico com o pé atrás, pois acho que existe o potencial para que algo assim se transforme em algum tipo de abuso por parte do governo, ou ainda pior, em um estado de vigilância.

     20180612v_for_vendetta-634x390.jpg
    Se a novidade se tornar mesmo lei e entrar em vigor no Reino Unido, George Orwell e Alan Moore que me perdoem, mas teremos a confirmação de que o Big Brother está de olho, e só o V pode nos salvar!

    https://meiobit.com/385774/ministro-ingles-quer-identidade-digital-unica-contra-bullying/
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    Big Brother pega os criminosos, mas também pega os que lutam contra corruptos e ditadores.
  • PercivalPercival Member
    editado June 16
    Corte decide que gente muito burra não tem direito a privacidade

    Postado por Carlos Cardoso, 14/06/2018  em CelularSegurança
     20180614image023.jpg
    É um fenômeno interessante. Se você pega um carro sem saber dirigir e atropela uma tropa de pandinhas órfãos indo pro colégio, todo mundo cai de pau. Acho até correto. Se você entrar em uma usina nuclear, começar a mexer no painel de controle e explodir tudo por falta de conhecimento, a culpa é sua, mas se fizer qualquer tipo de bobagens envolvendo computadores, tá liberado.
     Nada é culpa do usuário, ele é sempre o coitadinho e a Microsoft é responsável por só ter perguntado 5 vezes se ele tinha CERTEZA que queria autorizar a execução do programa EvilMalware2000.exe baixado do ehtudovirus.com.

     Agora parece que finalmente, em um raro alinhamento planetário o Universo resolveu punir pessoas por sua própria estupidez, e o alvo da punição é este abestado aqui:

     201806145b215c1aba018.image_.jpg
    O nome da cavalgadura é Lamar Sequan Brown, um elemento com uma capivara enorme, e que em dezembro de 2011 resolveu fazer um ganho em um condomínio em Charleston, Carolina do Sul. Achando um apartamento vazio, ele quebrou a janela, entrou e fugiu levando uma TV, três laptops e jóias. Só que na pressa ele deixou pra trás… seu celular.

     O aparelho foi descoberto pelo dono do apartamento, quando constatou o roubo. Entregue pra polícia, não puderam fazer nada pois estava protegido por senha e a polícia de Charleston não tem Abby, Garcia ou muito menos o Hackerman trabalhando em sua perícia.

     Felizmente tinham um policial curioso que via esses seriados e sabia que pessoas costumam ser burras. Depois de quase uma semana ele pegou o aparelho no armário de provas do distrito, e começou a pensar nas combinações possíveis. Não custava tentar. Há gente estúpida o bastante pra usar 1234 como senha, e não deu outra:

     1 2 3 4

     A foto no fundo de tela era do próprio Lamar e, fuçando nos contatos, os detetives acharam um contato “avó”. Uma ligação e a casa do cidadão caiu. Ele foi preso, julgado e condenado a 18 anos de cadeia, mas seu advogado (sempre eles) tinha uma carta na manga.

     O celular foi investigado sem um mandado, a privacidade do acusado foi violada, as provas não são admissíveis, xeque-mate, LET MY PEOPLE GO!

    Os policiais de Charleston não são bobos. Depois de muitos anos nessa indústria vital de combate ao crime eles conhecem todas as manhas e mumunhas. Por isso levaram 6 dias para mexer no celular.

     A questão é que, legalmente, depois de 6 dias um celular não-reclamado se torna abandonado. Se Lamar tivesse dado queixa da perda do celular seria estabelecida uma relação de posse, legalmente os policiais saberiam que o aparelho era dele então não poderiam tentar acessar sem ordem judicial.

     Caso eles quebrassem o código do aparelho e então identificassem Lamar, seu advogado diria que o aparelho foi invadido sem ordem judicial e não poderia ser usado contra ele, e a maioria dos juízes concordaria.

     Como ele não deu queixa, perdeu direito à defesa por privacidade.

     A alternativa seria usar uma senha decente, e nunca um simples código de 4 dígitos 1234.

     Ok a alternativa mesmo seria não levar celular quando for roubar a casa dos outros.

     Agora a segunda apelação saiu e por 4 a 1 os juízes decidiram que “só lamento, playboy”. Lamar se for bem-comportado tem chances de sair da cadeia em 2027.

     Esperamos que não seja.

     Fonte: Courthouse News.
      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]
  • CameronCameron Member
    Nada é culpa do usuário, ele é sempre o coitadinho e a Microsoft é responsável por só ter perguntado 5 vezes se ele tinha CERTEZA que queria autorizar a execução do programa EvilMalware2000.exe baixado do ehtudovirus.com.

    :P
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    É um fenômeno interessante. Se você pega um carro sem saber dirigir e atropela uma tropa de pandinhas órfãos indo pro colégio, todo mundo cai de pau. Acho até correto. Se você entrar em uma usina nuclear, começar a mexer no painel de controle e explodir tudo por falta de conhecimento, a culpa é sua, mas se fizer qualquer tipo de bobagens envolvendo computadores, tá liberado.
    Considerando o estrago que usuários burros podem fazer (e eu conheço vários...), deveria haver algum tipo de licenciamento, tipo carteira de motorista, que impediria certas operações potencialmente destrutivas no caso de pessoas sem experiência.

    Os ataques de negação de acesso, por exemplo, partem de computadores infectados sem que o dono sequer desconfie.
     
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.