Olá, bem-vind@!

Quer participar e contribuir? Clique no botão "Registrar-se" se é sua primeira vez aqui. Se você já é um dos nossos, clique em "Entrar".

BE vs CDS Ou Esquerda esmagando a direita

A segunda parte do título era provocação aos meus caros leitores.


A imprensa portuguesa apresentou o embate entre Catarina Martins e Assunção Cristas como o choque entre Keynes e escola de Chicago.


Olhei com atenção e vi algo tão simples como:

CDS, a direita portuguesa que afirma querer baixar impostos para as empresas ao nível da Irlanda, assim como os impostos sobre pessoa singular.

Na esquerda querem investimento público.

A direita, ao baixar os impostos afirma querer providenciar espaço para a iniciativa privada. Mas como?

No estilo de Keynes mas privado.


Contratar os privados para fazer o que hoje é feito pelo público.

Ou seja, isto para dizer, que ambos são iguais.

Uns criam um aparelho de compadrio de um estilo ( público) e outros o compadrio é mais tapado pelo manto do privado.
Só um idiota acredita no sistema de pagar a privados, pois é o que tem sido feito. O político contrata a empresa dos familiares do amigo outro político ali da esquina...

..............



Não aprecio o capitalismo, mas a haver capitalismo sou radical:

Público e privado não se mistura PONTO.


Se o Estado quer conceder o serviço ao privado, este deve arcar com o custo total. Pois, tal como está é incomportável. I.e., Estado investe, o privado colhe. Perdas para o Estado, lucros para o privado.

Se for separado, então há transparência e ética empresarial...

Comentários

  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    PugII disse:
    Se o Estado quer conceder o serviço ao privado, este deve arcar com o custo total. Pois, tal como está é incomportável. I.e., Estado investe, o privado colhe. Perdas para o Estado, lucros para o privado.

    Se for separado, então há transparência e ética empresarial...
    No Brasil, temos o "capitalismo de compadrio". As grandes empresas e o governo andam de braços dados e o contribuinte paga a conta.

    Daí vem a esquerdalha criticar o capitalismo como se tivéssemos algo parecido com isto.
  • Fernando_Silva disse:
    PugII disse:
    Se o Estado quer conceder o serviço ao privado, este deve arcar com o custo total. Pois, tal como está é incomportável. I.e., Estado investe, o privado colhe. Perdas para o Estado, lucros para o privado.

    Se for separado, então há transparência e ética empresarial...
    No Brasil, temos o "capitalismo de compadrio". As grandes empresas e o governo andam de braços dados e o contribuinte paga a conta.

    Daí vem a esquerdalha criticar o capitalismo como se tivéssemos algo parecido com isto.

    O capitalismo pode ser criticado. Para mim, deve ser criticado. É criticado.
    Mas, que seja fundamentado, coisa que a esquerda portuguesa faz pouco.


    Do meu ponto de vista de empreendedor, quero é menos Estado. Regulação para garantir a igualdade de oportunidades, i.e., sem distorção do mercado.

    Recentemente, por ter recomeçado a vida empreendedora em Portugal descobri coisas incríveis:
    -isenção de IVA para formações certificas por entidades oficiais ( concorrência desleal).
    - isenção...para médicos, psicólogo...( mais concorrência desleal):

    Por fim, Ordens profissionais, outras, a pressionar o governo para contratar os seus profissionais para o serviço nacional de saúde.

    Se sou a favor de SNS, oponho-me a contratações numeradas. Quando se pretende contratar x profissionais, sendo estes a decidir o número, dificilmente são imprescindíveis.
  • PugII disse:

    Recentemente, por ter recomeçado a vida empreendedora em Portugal descobri coisas incríveis:
    -isenção de IVA para formações certificas por entidades oficiais ( concorrência desleal).
    - isenção...para médicos, psicólogo...( mais concorrência desleal):

    Não está clara essa estória, aguardando o contexto completo da coisa.

    Meu PC é Pai, Filho, e Espírito Santo. O pai é o hardware, o filho, o software, e o ES, a energia elétrica.
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    editado September 6
    PugII disse:
    O capitalismo pode ser criticado. Para mim, deve ser criticado. É criticado.
    Mas, que seja fundamentado, coisa que a esquerda portuguesa faz pouco.
    Para muitos esquerdistas brasileiros, se o sujeito abre um barzinho, já virou empresário capitalista. Se contratar um funcionário, torna-se patrão malvado explorador.

    Se a fiscalização descobre uma barata no estabelecimento ou um produto fora da validade, o povo logo quer crucificá-lo, mas nem se pergunta de onde vieram ou como foram feitas as refeições que o outro sujeito traz na mala do carro para vender.

    O cara que tem um estabelecimento legalizado e paga todos os impostos é um criminoso, o cara que vende comida na rua em condições precárias de higiene é um herói que só está tentando ganhar a vida honestamente.


  • Fernando_Silva disse:
    PugII disse:
    O capitalismo pode ser criticado. Para mim, deve ser criticado. É criticado.
    Mas, que seja fundamentado, coisa que a esquerda portuguesa faz pouco.
    Para muitos esquerdistas brasileiros, se o sujeito abre um barzinho, já virou empresário capitalista. Se contratar um funcionário, torna-se patrão malvado explorador.

    Se a fiscalização descobre uma barata no estabelecimento ou um produto fora da validade, o povo logo quer crucificá-lo, mas nem se pergunta de onde vieram ou como foram feitas as refeições que o outro sujeito traz na mala do carro para vender.

    O cara que tem um estabelecimento legalizado e paga todos os impostos é um criminoso, o cara que vende comida na rua em condições precárias de higiene é um herói que só está tentando ganhar a vida honestamente.



    Isso.

    Creio que o motivo maior é a inveja.
    Há pessoas que não fazem ( ou não conseguem) e sentem mesmo raiva de quem faz algo bem feito.

    Habitualmente, quando temos uma ideia diferente do habitual, tendemos a ser mal vistos...
  • Morreu recentemente um dos grandes empresários portugueses, depressa vieram os adoradores e os que o odiavam a terreiro. Independentemente do que se pense do senhor, foco no detalhe que mais vi:
    Ele enriqueceu explorando os trabalhadores, sem os quais ele não era nada.

    Deixando de lado detalhes acerca de como ele enriqueceu, pelo menos podemos dizer algo objectivamente - o grupo por ele criado gerou milhares de empregos em Portugal.

    https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/alexandre-soares-dos-santos-isto-e-uma-terra-de-primos-e-os-primos-passaram-a-vida-a-fazer-jeitos-uns-aos-outros-depois-estouraram-se-todos







  • Era para ter feito vida no Brasil, mas veio para o nosso lado...
  • PugII disse: Morreu recentemente um dos grandes empresários portugueses, depressa vieram os adoradores e os que o odiavam a terreiro. Independentemente do que se pense do senhor, foco no detalhe que mais vi:
    Ele enriqueceu explorando os trabalhadores, sem os quais ele não era nada.

    Quem enriquece comandando e/ou coordenando outrem apenas é um trabalhador competente naquilo que decide fazer. Há neste mundo inevitavelmente as pessoas que precisam ser dirigidas.


    Meu PC é Pai, Filho, e Espírito Santo. O pai é o hardware, o filho, o software, e o ES, a energia elétrica.
  • Senhor disse:
    PugII disse: Morreu recentemente um dos grandes empresários portugueses, depressa vieram os adoradores e os que o odiavam a terreiro. Independentemente do que se pense do senhor, foco no detalhe que mais vi:
    Ele enriqueceu explorando os trabalhadores, sem os quais ele não era nada.

    Quem enriquece comandando e/ou coordenando outrem apenas é um trabalhador competente naquilo que decide fazer. Há neste mundo inevitavelmente as pessoas que precisam ser dirigidas.



    Discordo.

    O mundo está sendo gerido por pessoas que aproveitam as circunstâncias para dominar outras, mas o mundo não tem que ser deste modo.

    No entanto, o facto de haver pessoas a dirigir, não tem mal nenhum em si mesmo.
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    PugII disse:
    Senhor disse: Quem enriquece comandando e/ou coordenando outrem apenas é um trabalhador competente naquilo que decide fazer. Há neste mundo inevitavelmente as pessoas que precisam ser dirigidas.
    Discordo.

    O mundo está sendo gerido por pessoas que aproveitam as circunstâncias para dominar outras, mas o mundo não tem que ser deste modo.

    No entanto, o facto de haver pessoas a dirigir, não tem mal nenhum em si mesmo.
    Eu nunca tive talento empresarial e nem mesmo capacidade de liderança. Nunca quis ser chefe de nada.
    Ainda bem que houve um maluco que arriscou suas economias e sua saúde para montar uma empresa onde eu trabalhei até me aposentar.

  • NadaSeiNadaSei Administrator, Moderator
    PugII disse:
    Na esquerda querem investimento público.

    A direita, ao baixar os impostos afirma querer providenciar espaço para a iniciativa privada. Mas como?

    No estilo de Keynes mas privado.


    Contratar os privados para fazer o que hoje é feito pelo público.

    Ou seja, isto para dizer, que ambos são iguais.

    Uns criam um aparelho de compadrio de um estilo ( público) e outros o compadrio é mais tapado pelo manto do privado.
    Só um idiota acredita no sistema de pagar a privados, pois é o que tem sido feito. O político contrata a empresa dos familiares do amigo outro político ali da esquina...

    No Brasil a parceria publico-privada é uma invenção da esquerda. Como já ficou mais do que provado que empresas estatais viram cabide de emprego e não funcionam, a solução da esquerda para não privatizar foram as parcerias publico privadas.

    Funciona assim:
    O Metrô é tecnicamente publico, então POVO através dos impostos paga pela multibilionária construção de novas linhas e estações, com os políticos escolhendo as construtoras amigas para realizar as obras superfaturadas que sempre ficam 4 vezes mais caras do que o originalmente estimado em licitações fraudadas.

    Daí quando tá tudo pronto e é só ganhar dinheiro, o POVO tem que pagar caro por uma sistema de transporte cartelizado pelo estado com o argumento de que apesar de ser "publico" é administrado pela iniciativa "privada", portanto tem que dar lucro privado.

    É o pior dos dois mundos. Quando da lucro é privado, mas quando da prejuízo é publico.

    Esse esquema na verdade é antigo e de capitalista não tem nada.
    Tire o estado da jogada e deixe a iniciativa privada arcar com 100% dos custos e ficar com 100% dos lucros.
    Funcionaria melhor assim porque seria 4 vezes mais barato construir e seria muito mais difícil formar cartél.
    “A violência comunista não foi mera aberração da psique eslava, mas sim algo diabolicamente inerente à engenharia social marxista, que, querendo reformar o homem pela força, transforma os dissidentes primeiro em inimigos, e depois em vítimas.” - Roberto Campos
  • JudasJudas Moderator
    NadaSei disse:

    Esse esquema na verdade é antigo e de capitalista não tem nada.
    Tire o estado da jogada e deixe a iniciativa privada arcar com 100% dos custos e ficar com 100% dos lucros.
    Funcionaria melhor assim porque seria 4 vezes mais barato construir e seria muito mais difícil formar cartél.

    Quem é usuário de Uber e afins já sabe disso, ou deveria saber.

    Também usei o Blablacar que é um aplicativo de carona pra viagens longas. Paguei 85 reais de BH pra Cabo Frio, era 140 de ônibus fora a demora a mais. Fui de Toyota Corolla.


    Minha Namorada que precisa ver a família de vez em quando estava pagando 85 reais por viagem (170 ida e volta)
    Agora com o "Buser" que é o Uber ônibus pagará 100 reais ao todo. Ônibus melhor, com wifi, água.

    Isso mesmo com eles enfrentando provavelmente um inferno jurídico pra operar. A viagem inaugural do Buser ao menos aqui em BH estava marcada pra uns dois anos atrás mas foi embargada em cima da hora. Parece que dessa vez deu certo mesmo e já está operando.


  • Fernando_Silva disse:
    PugII disse:
    Senhor disse: Quem enriquece comandando e/ou coordenando outrem apenas é um trabalhador competente naquilo que decide fazer. Há neste mundo inevitavelmente as pessoas que precisam ser dirigidas.
    Discordo.

    O mundo está sendo gerido por pessoas que aproveitam as circunstâncias para dominar outras, mas o mundo não tem que ser deste modo.

    No entanto, o facto de haver pessoas a dirigir, não tem mal nenhum em si mesmo.
    Eu nunca tive talento empresarial e nem mesmo capacidade de liderança. Nunca quis ser chefe de nada.
    Ainda bem que houve um maluco que arriscou suas economias e sua saúde para montar uma empresa onde eu trabalhei até me aposentar.

    Por mais malucos assim.

      “Não fortalecerás os fracos, por enfraquecer os fortes.    Não ajudarás os assalariados, se arruinares aquele que os paga.    Não estimularás a fraternidade, se alimentares o ódio.” [Abraham Lincoln]


  • PugII disse:


    O capitalismo pode ser criticado. Para mim, deve ser criticado. É criticado.
    Mas, que seja fundamentado, coisa que a esquerda portuguesa faz pouco.


    E você faz nada.
  • NadaSeiNadaSei Administrator, Moderator
    editado September 9
    Judas disse:
    Quem é usuário de Uber e afins já sabe disso, ou deveria saber.

    (...)
    Isso mesmo com eles enfrentando provavelmente um inferno jurídico pra operar. A viagem inaugural do Buser ao menos aqui em BH estava marcada pra uns dois anos atrás mas foi embargada em cima da hora. Parece que dessa vez deu certo mesmo e já está operando.

    Exato e a Uber ainda abriu o mercado para outros aplicativos de viagem.
    O pessoal adora achar que CONCORRÊNCIA é o mesmo que COMPETIÇÃO e afirmam que os pequenos não tem como competir com os grandes, mas a gigante Uber prova que não só concorrência não é o mesmo que competição, já que concorrentes podem tanto COOPERAR entre si quanto competir, como além disso a cooperação muitas vezes é involuntária.

    A Uber criou a OFERTA de um monte de motórias de aplicativo e a DEMANDA de um monte de passageiros, isso permitiu que outras empresas menores pudessem se aproveitar da existência desse mercado criado inteiramente pela Uber e pra eles bastava lançar um App concorrente que já tinha motorista e passageiro pronto pra usar.

    Hoje os motoristas todos usam 2 ou 3 apps duma só vez e assim não estão presos a Uber.
    “A violência comunista não foi mera aberração da psique eslava, mas sim algo diabolicamente inerente à engenharia social marxista, que, querendo reformar o homem pela força, transforma os dissidentes primeiro em inimigos, e depois em vítimas.” - Roberto Campos
  • Fernando_Silva disse:
    PugII disse:
    Senhor disse: Quem enriquece comandando e/ou coordenando outrem apenas é um trabalhador competente naquilo que decide fazer. Há neste mundo inevitavelmente as pessoas que precisam ser dirigidas.
    Discordo.

    O mundo está sendo gerido por pessoas que aproveitam as circunstâncias para dominar outras, mas o mundo não tem que ser deste modo.

    No entanto, o facto de haver pessoas a dirigir, não tem mal nenhum em si mesmo.
    Eu nunca tive talento empresarial e nem mesmo capacidade de liderança. Nunca quis ser chefe de nada.
    Ainda bem que houve um maluco que arriscou suas economias e sua saúde para montar uma empresa onde eu trabalhei até me aposentar.

    Alguns, talvez a maioria, só deseja ser liderado.

    Hitler foi uma bênção e entusiasmante para estas massas.

    A maioria, não será muito dada a loucuras como as de Hitler, mas acredito, sem quaisquer dados outros que estudos acerca do comportamento humano, que há imensa repressão na sociedade a inibir a repetição da história.


    Quando lemos com atenção o que se diz, vemos isso com facilidade. Sempre apontam alvos fáceis, que sejam de difícil defesa.

    Os judeus no passado foram o alvo fácil, mas impossível no nosso tempo. Pagaram um preço elevado para chegar onde estão hoje.

    Mas, tantos outros, serão tão facilmente abatidos sem que ninguém reclame...



    Voltando mais ao foco principal.

    Adoro ser independente, por isso meti-me muitas vezes com negócios, prejudicando-me, pois a vida é mais fácil (para mim) sendo empregado. Todavia, a liberdade é algo que prezo, acima do bem estar e facilidade.

    Mas, não gosto de liderar, por ser cansativo. Os meus projectos são limitados por este facto, o meu apreço pela individualidade e crescimento limitado.
    Assim, acaba sendo bom para terceiros, que podem ocupar igualmente o espaço deixado vago...
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    editado September 10
    PugII disse:Adoro ser independente, por isso meti-me muitas vezes com negócios, prejudicando-me, pois a vida é mais fácil (para mim) sendo empregado. Todavia, a liberdade é algo que prezo, acima do bem estar e facilidade.
    Eu tinha a liberdade de largar o emprego a qualquer momento, mas:
    - Eu gostava do que fazia. E, não sendo chefe ou dono do negócio, não precisava me preocupar com assuntos alheios à minha função.
    - Gostando ou não gostando, eu precisava trabalhar para poder me sustentar. Quem tira minha liberdade não é o patrão, mas minha necessidade de comer, de ter um lugar para morar etc.
    - Jovem acha que nunca vai ficar velho, que vai ter energia física e entusiasmo pelo resto da vida. Que tudo tem jeito.
    Acontece que a idade chega, o cansaço físico e mental se instala, a saúde se torna precária e a gente aprende que não, que nem tudo se resolve.
    Chega um momento em que a aventura não nos atrai mais e o conforto e a estabilidade financeiras se tornam as coisas mais importantes do mundo. Quem não se preparou para essa fase com antecedência ... sifu.



  • PugIIPugII Member
    editado September 12
    "Chega um momento em que a aventura não nos atrai mais e o conforto e a estabilidade financeiras se tornam as coisas mais importantes do mundo. Quem não se preparou para essa fase com antecedência ... sifu."


    Você devia falar com muitos jovens que me rodearam durante o meu retorno à universidade. Ou, para todos aqueles que dizem que o importante é aproveitar a juventude, para justificar festas, viagens, etc sem amanhã.


    No geral compreendo-o e concordo com você.
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrator, Moderator
    PugII disse: "Chega um momento em que a aventura não nos atrai mais e o conforto e a estabilidade financeiras se tornam as coisas mais importantes do mundo. Quem não se preparou para essa fase com antecedência ... sifu."

    Você devia falar com muitos jovens que me rodearam durante o meu retorno à universidade. Ou, para todos aqueles que dizem que o importante é aproveitar a juventude, para justificar festas, viagens, etc sem amanhã.

    No geral compreendo-o e concordo com você.
    Os jovens não estão interessados na experiência dos mais velhos. Querem cometer suas próprias loucuras.

    O que não deixa de ser útil. A cada geração, um bando de jovens irresponsáveis tenta as coisas que os mais velhos evitam por serem perigosas demais. Eles morrem ou sofrem as consequências pelo resto da vida, mas, em alguns casos, a sociedade avança um pouco às custas deles.

  • Fernando_Silva disse:
    PugII disse: "Chega um momento em que a aventura não nos atrai mais e o conforto e a estabilidade financeiras se tornam as coisas mais importantes do mundo. Quem não se preparou para essa fase com antecedência ... sifu."

    Você devia falar com muitos jovens que me rodearam durante o meu retorno à universidade. Ou, para todos aqueles que dizem que o importante é aproveitar a juventude, para justificar festas, viagens, etc sem amanhã.

    No geral compreendo-o e concordo com você.
    Os jovens não estão interessados na experiência dos mais velhos. Querem cometer suas próprias loucuras.

    O que não deixa de ser útil. A cada geração, um bando de jovens irresponsáveis tenta as coisas que os mais velhos evitam por serem perigosas demais. Eles morrem ou sofrem as consequências pelo resto da vida, mas, em alguns casos, a sociedade avança um pouco às custas deles.


    A complexidade da vida é isso. Cada um com a sua função, mesmo que involuntária.

    De facto, não há fórmulas mágicas. Aos pais ( educadores) a função de fazer o melhor por transmitir os valores. O resultado vê-se adiante.
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.