Liberalismo não existe mais

editado April 2020 em Religião é veneno
As empresas em dificuldade devem todos falir sem excepção.
O Estado devia tomar o controlo devido a urgência.

O poder deve mudar de mãos, mas este (bancos, empresas, políticos que só vêem "economia") vai espoliar o povo para manter os benefícios...

Se a correcto fosse feito:
Uma vez passada a crise, o Estado privatiza de novo por um custo preço mais vantajoso para o bem comum.

Pronto, é isto, poucos têm coragem dizer: és capitalista, assume a perda como na hora de assumir o ganho.


Ajudar as empresas pagando salários não é ajudar os trabalhadores. Muito menos ajuda a sociedade a evoluir...

Comentários

  • editado April 2020
    PugII escreveu: »
    As empresas em dificuldade devem todos falir sem excepção.
    O Estado devia tomar o controlo devido a urgência.

    O poder deve mudar de mãos, mas este (bancos, empresas, políticos que só vêem "economia") vai espoliar o povo para manter os benefícios...

    Se a correcto fosse feito:
    Uma vez passada a crise, o Estado privatiza de novo por um custo preço mais vantajoso para o bem comum.

    Pronto, é isto, poucos têm coragem dizer: és capitalista, assume a perda como na hora de assumir o ganho.


    Ajudar as empresas pagando salários não é ajudar os trabalhadores. Muito menos ajuda a sociedade a evoluir...

    [/quot
    PugII escreveu: »
    As empresas em dificuldade devem todos falir sem excepção.
    O Estado devia tomar o controlo devido a urgência.

    O poder deve mudar de mãos, mas este (bancos, empresas, políticos que só vêem "economia") vai espoliar o povo para manter os benefícios...

    Se a correcto fosse feito:
    Uma vez passada a crise, o Estado privatiza de novo por um custo preço mais vantajoso para o bem comum.

    Pronto, é isto, poucos têm coragem dizer: és capitalista, assume a perda como na hora de assumir o ganho.


    Ajudar as empresas pagando salários não é ajudar os trabalhadores. Muito menos ajuda a sociedade a evoluir...
    Mas o Estado ajudando as empresas está "tomando" o controle e visando
    o trabalhador.
  • PugII escreveu: »
    As empresas em dificuldade devem todos falir sem excepção.
    O Estado devia tomar o controlo devido a urgência.

    O poder deve mudar de mãos, mas este (bancos, empresas, políticos que só vêem "economia") vai espoliar o povo para manter os benefícios...

    Se a correcto fosse feito:
    Uma vez passada a crise, o Estado privatiza de novo por um custo preço mais vantajoso para o bem comum.

    Pronto, é isto, poucos têm coragem dizer: és capitalista, assume a perda como na hora de assumir o ganho.

    Ajudar as empresas pagando salários não é ajudar os trabalhadores. Muito menos ajuda a sociedade a evoluir...
    Crise é crise. Algo fora de controle.
    Em situação normal, o certo é deixar falir empresas que não farão tanta falta porque há muitas outras do mesmo ramo.
    Em situação de crise, o Estado tem que fazer o que for preciso usando o dinheiro que extorquiu dos cidadãos ao longo dos anos.

    Se a solução mais eficiente, com mais benefícios sociais, for ajudar as empresas privadas para que não fechem enquanto dura a crise, dane-se a ideologia estatista.
  • Não conseguem ver que ajudar a empresa é ajudar a manter a riqueza quem a tem, sem que corra os riscos que dizem correr...

    Eu atrasaria com todas as empresas que em 15 dias não sobrevivem...nacionalizado.

    Depois, levaria a leilão para as devolver á iniciativa privada.


    É simples de entender, mas aparentemente não perceptível a quem se habituou ao status quo do poder instalado, já admira que a corrupção seja tão difícil combater...
  • editado April 2020
    Fernando_Silva escreveu: »
    PugII escreveu: »
    As empresas em dificuldade devem todos falir sem excepção.
    O Estado devia tomar o controlo devido a urgência.

    O poder deve mudar de mãos, mas este (bancos, empresas, políticos que só vêem "economia") vai espoliar o povo para manter os benefícios...

    Se a correcto fosse feito:
    Uma vez passada a crise, o Estado privatiza de novo por um custo preço mais vantajoso para o bem comum.

    Pronto, é isto, poucos têm coragem dizer: és capitalista, assume a perda como na hora de assumir o ganho.

    Ajudar as empresas pagando salários não é ajudar os trabalhadores. Muito menos ajuda a sociedade a evoluir...
    Crise é crise. Algo fora de controle.
    Em situação normal, o certo é deixar falir empresas que não farão tanta falta porque há muitas outras do mesmo ramo.
    Em situação de crise, o Estado tem que fazer o que for preciso usando o dinheiro que extorquiu dos cidadãos ao longo dos anos.

    Se a solução mais eficiente, com mais benefícios sociais, for ajudar as empresas privadas para que não fechem enquanto dura a crise, dane-se a ideologia estatista.

    Há uma contradição evidente entre a penúltima e a última frase do post acima. Pois a última frase só consegue coerência se o final for “dane-se a ideologia libertária”. O governo fazer nada na situação citada só seria permitido numa ideologia libertária - que é uma doutrina política distinta do liberalismo clássico.

    O governo está fazendo o certo na “economia do socorro”. Ele não está estatizando as empresas. Ele está evitando a descapitalização das empresas fornecendo empréstimos, pois fazer isso não afeta apenas essas empresas, uma vez que estão envolvidas externalidades.
  • Sabem tudo ...
    file.php?id=344&t=1
  • Estado é um engodo na maioria das vezes e permite empresas ineficientes funcionando e usando dinheiro de impostos.
  • editado February 3
    cu
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.