Pergunta a Patolino e a quem mais interessar

«13

Comentários

  • Senhor escreveu: »
    Por quê?
    Explicar a Pandemia para espíritas não é difícil pois aceitam a existência de Deus e sua justiça pela Lei do Carma, identificada na reencarnação.

    Mas para certas inteligências questionadoras sem aquelas premissas de crença, é como abrir uma picada em mata densa, há de ser passo a passo.

    Alguém tem tempo ou paciência, para isso? ... agora temos.

    Num famoso programa de TV o Pinga Fogo, (julho, 1971) o médium Francisco Xavier, trazendo informações das esferas espirituais, anuncia que em meados do século XXI (2057) o mundo estrearia uma nova fase evolutiva cujo parto doloroso prenunciava uma época de grande paz e progresso para a humanidade.
    Este parto doloroso tem na mídia atual seu ponto de forte expressão quando diariamente nos mostra imagens perturbadoras e chocantes; mas acontecimentos de maior evidência se materializam nas catástrofes coletivas, e alcançam sua concepção final na atual pandemia.

    Mas porquê?

    É que pessoas existem sem a menor noção de responsabilidade social, e são focos de angústia e tensão para os demais. Outras dedicam seu tempo à cínica pratica do mal, enquanto há uma grande maioria de desajustados aproveitadores para os quais o que importa é gozar a vida.
    A pandemia traz à tona a proximidade do fim, e o caos. Materializa o medo.
    Não somente desperta a consciência para a fragilidade da vida, mas faz refletir sobre a sempre misteriosa “pós-morte”.

    Quem é bom, torna-se melhor e quem é mal torna-se temeroso... até pensa em Deus.


  • É verdade. O Caiballion diz que o que está por cima é como o que está por baixo, e de fato é assim. Estão aí o ar da sustentação dos aviões que assim como que é por cima, é por baixo. E o reflexo de um espelho colocado de barriga pra cima reflete exatamente isso. É de se espantar como os textos hermetistas suprem a humanidade com o divino.
  • Toda hermenêutica está reveleda.
  • patolino escreveu: »
    Explicar a Pandemia para espíritas não é difícil pois aceitam a existência de Deus e sua justiça pela Lei do Carma, identificada na reencarnação.
    Eles não aceitam a existência de Deus, eles têm fé na existência de Deus.

    "Aceitar" dá a impressão de que os outros estão rejeitando uma verdade comprovada por simples cegueira ou teimosia.
  • Amigos as discussões devem ser abertas na área "Religião é Veneno"

    A área "ô psit" seria mais pra reportar problemas de funcionamento, fazer reclamações sobre usuários, denunciar algum conteúdo abusivo etc...

    Podem conversar a vontade por aqui só peço que passem a fazer assim daqui pra frente.
    Isso serve pra ajudar a dar prioridade por parte da moderação e da administração na hora de visualizar algum problema.

    Sempre foi assim, não me perguntem "por quê". =)
  • editado August 11
    Eu pus a opção do Didi por engano. Se quiser pode remover pra área adequada.


  • Senhor escreveu: »
    opção do Didi .

    =) =) =)
  • Fernando_Silva escreveu: »
    patolino escreveu: »
    Explicar a Pandemia para espíritas não é difícil pois aceitam a existência de Deus e sua justiça pela Lei do Carma, identificada na reencarnação.
    Eles não aceitam a existência de Deus, eles têm fé na existência de Deus.

    "Aceitar" dá a impressão de que os outros estão rejeitando uma verdade comprovada por simples cegueira ou teimosia.
    Foi-se o tempo em que cegueira e teimosia tinham essa força exclusivista. Havia uma grande maioria religiosa e apenas os mais intelectualizados recusavam a crença e eram tidos como obstinados. Hoje já é escola.
    Mas,Aceitar, não tem essa forte conotação que vc atribui, somente.
    Basta dizer que mesmo entre os espíritas existem aqueles que têm dificuldades de lidar com o conceito de Deus, pois afirmam que é a reencarnação que leva à essa crença, e não o contrário.
    Claro que é uma minoria.
  • editado August 11
    O conceito reencarnação é de uma tosquice de ruborizar um vampiro.
  • editado August 11
    Estendendo-me um pouco mais sobre a Pandemia, muitos questionam: quem morrerá?... somente os maus?

    Na verdade, sob um ponto de vista geral, muitas vezes pessoas boas morrem em circunstâncias inesperadas, surpreendentes; e os maus prosperam.
    É que para estes últimos, desencarnar na condição de criaturas más trará a elas muitos sofrimentos pós-morte. Então diversas oportunidades e alertas lhes cercam os passos, visando sua regeneração; mas se persistem...

    Essa Pandemia traz um alerta coletivo, é uma clarinada final.
    Não significa que todos se converterão ao Bem, mas definitivamente os maus terão sua última oportunidade no planeta.
    E isto não se circunscreve ao aspecto religioso, mas ao comportamento ético/moral.

    Podem imaginar um mundo sem a maldade e o egoísmo? Pois é isto que a Pandemia promete.
    Então, para se chegar ao resultado previsto pelas esferas espirituais, muita água há de passar sob a ponte.
  • patolino escreveu: »
    para se chegar ao resultado previsto pelas esferas espirituais

    São como as esferas do dragão do Dragon Ball?

  • Quase isso, caro amigo. kkkk
  • editado August 11
    patolino escreveu: »
    Quase isso, caro amigo. kkkk

    Eu quero fazer um desejo, posso?
  • Percival escreveu: »
    patolino escreveu: »
    Quase isso, caro amigo. kkkk

    Eu quero fazer um desejo, posso?

    Ficará melhor se eu puder satisfazê-lo.
  • 🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔🤔
  • editado August 11
    😲
  • patolino escreveu: »
    Percival escreveu: »
    patolino escreveu: »
    Quase isso, caro amigo. kkkk

    Eu quero fazer um desejo, posso?

    Ficará melhor se eu puder satisfazê-lo.

    Tá bom, fiz.
  • patolino escreveu: »
    Estendendo-me um pouco mais sobre a Pandemia, muitos questionam: quem morrerá?... somente os maus?

    Na verdade, sob um ponto de vista geral, muitas vezes pessoas boas morrem em circunstâncias inesperadas, surpreendentes; e os maus prosperam.
    Exatamente o que se espera da ação do acaso.
  • Fernando_Silva escreveu: »
    patolino escreveu: »
    Estendendo-me um pouco mais sobre a Pandemia, muitos questionam: quem morrerá?... somente os maus?

    Na verdade, sob um ponto de vista geral, muitas vezes pessoas boas morrem em circunstâncias inesperadas, surpreendentes; e os maus prosperam.
    Exatamente o que se espera da ação do acaso.

    O acaso, meu caro, é sempre a primeira resposta da observação menos acurada e sob a ótica do Espiritismo o acaso não existe.
    Se o homem acredita na existência de um Deus, o acaso seria a negação de sua crença.

    Se tivermos o completo conhecimento das forças que atuam sobre o fenômeno seremos capazes de prever qual face da moeda se apresentará em cada lançamento.
    E a vida de um homem não tem menos valor que o lançamento de uma moeda.

    Este é o Deus em que acredito, é o Deus que o Espiritismo nos ensina a conhecer.
  • Aguardando meu pedido.
  • editado August 12
    patolino escreveu: »
    Fernando_Silva escreveu: »
    patolino escreveu: »
    Estendendo-me um pouco mais sobre a Pandemia, muitos questionam: quem morrerá?... somente os maus?

    Na verdade, sob um ponto de vista geral, muitas vezes pessoas boas morrem em circunstâncias inesperadas, surpreendentes; e os maus prosperam.
    Exatamente o que se espera da ação do acaso.

    O acaso, meu caro, é sempre a primeira resposta da observação menos acurada e sob a ótica do Espiritismo o acaso não existe.
    Se o homem acredita na existência de um Deus, o acaso seria a negação de sua crença.

    Se tivermos o completo conhecimento das forças que atuam sobre o fenômeno seremos capazes de prever qual face da moeda se apresentará em cada lançamento.
    E a vida de um homem não tem menos valor que o lançamento de uma moeda.

    Este é o Deus em que acredito, é o Deus que o Espiritismo nos ensina a conhecer.
    O fato de o acaso nao existir não tem relação com o espiritismo. Isso é um non sequitur.
  • E uma visao mais acurada de qualquer coisa também pode significar contaminação por viés.
  • Senhor escreveu: »
    patolino escreveu: »
    Fernando_Silva escreveu: »
    patolino escreveu: »
    Estendendo-me um pouco mais sobre a Pandemia, muitos questionam: quem morrerá?... somente os maus?

    Na verdade, sob um ponto de vista geral, muitas vezes pessoas boas morrem em circunstâncias inesperadas, surpreendentes; e os maus prosperam.
    Exatamente o que se espera da ação do acaso.

    O acaso, meu caro, é sempre a primeira resposta da observação menos acurada e sob a ótica do Espiritismo o acaso não existe.
    Se o homem acredita na existência de um Deus, o acaso seria a negação de sua crença.

    Se tivermos o completo conhecimento das forças que atuam sobre o fenômeno seremos capazes de prever qual face da moeda se apresentará em cada lançamento.
    E a vida de um homem não tem menos valor que o lançamento de uma moeda.

    Este é o Deus em que acredito, é o Deus que o Espiritismo nos ensina a conhecer.
    O fato de o acaso nao existir não tem relação com o espiritismo. Isso é um non sequitur.
    Não com o Espiritismo, mas com o Deus que o Espiritismo prega.

  • Senhor escreveu: »
    E uma visao mais acurada de qualquer coisa também pode significar contaminação por viés.

    Cabe ao interlocutor se precaver contra isto.
  • Percival escreveu: »
    Aguardando meu pedido.

    Boa oportunidade para esclarecer um ponto: costuma-se dizer que Deus nos atende conforme nosso merecimento. Equívoco grave.
    Ele atende segundo as necessidades envolvidas e a circunstância adequada.
    Não raras vezes alguém é beneficiado em situações em que seu merecimento não importa, mas o daqueles com quem convive.
  • patolino escreveu: »
    Percival escreveu: »
    Aguardando meu pedido.

    Boa oportunidade para esclarecer um ponto: costuma-se dizer que Deus nos atende conforme nosso merecimento. Equívoco grave.
    Ele atende segundo as necessidades envolvidas e a circunstância adequada.
    Não raras vezes alguém é beneficiado em situações em que seu merecimento não importa, mas o daqueles com quem convive.

    Mas eu pedi a você, não a Deus. Informe-se.
  • patolino escreveu: »
    Senhor escreveu: »
    E uma visao mais acurada de qualquer coisa também pode significar contaminação por viés.

    Cabe ao interlocutor se precaver contra isto.
    Não cabe. A própria precaução é viés.

  • editado August 12
    patolino escreveu: »
    Senhor escreveu: »
    patolino escreveu: »
    Fernando_Silva escreveu: »
    patolino escreveu: »
    Estendendo-me um pouco mais sobre a Pandemia, muitos questionam: quem morrerá?... somente os maus?

    Na verdade, sob um ponto de vista geral, muitas vezes pessoas boas morrem em circunstâncias inesperadas, surpreendentes; e os maus prosperam.
    Exatamente o que se espera da ação do acaso.

    O acaso, meu caro, é sempre a primeira resposta da observação menos acurada e sob a ótica do Espiritismo o acaso não existe.
    Se o homem acredita na existência de um Deus, o acaso seria a negação de sua crença.

    Se tivermos o completo conhecimento das forças que atuam sobre o fenômeno seremos capazes de prever qual face da moeda se apresentará em cada lançamento.
    E a vida de um homem não tem menos valor que o lançamento de uma moeda.

    Este é o Deus em que acredito, é o Deus que o Espiritismo nos ensina a conhecer.
    O fato de o acaso nao existir não tem relação com o espiritismo. Isso é um non sequitur.
    Não com o Espiritismo, mas com o Deus que o Espiritismo prega.
    Não, tem relação com o determinismo, lembrando que "Deus" é também um eufemismo para acaso. Tem jeito não, fio.

  • editado August 12
    O pior cego é aquele que quer ver.
    Stevie Wonder
  • E os gurmentu?
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.