GUESTAPO-19

editado January 3 em Religião é veneno


Olha, cancelar eventos públicos como Carnaval e comemorações de Natal em praças etc... Vá lá...É ainda da esfera de decisões do poder público.

Invadir a casa dos outros alimentados por denúncia anônima de vizinhos por estarem fazendo uma comemoração como o Natal ou um aniversário é coisa de China, União Soviética, STASI, KGB...

E se olharmos com mais cuidado poderemos encontrar neste tipo de denúncia muito mais motivação política do que preocupação com a vida das pessoas.

É óbvio que a situação da pandemia virou disputa política e que alguns ditadores, tanto no poder público quanto da própria população achoaram legal poder usar a força do estado pra forçar suas conclusões e soluções em todo mundo.

Não teve Natal aqui em casa. Não fui a lugar nenhum no Reveillon também. Dai a eu denunciar o vizinho que eu detesto inclusive porque todo ano toca funk até de manhã vai uma distância enorme.

Comentários

  • editado January 3
    "E se o Felipe Neto fosse eleito presidente"?

    Fizeram isso no Canadá:

  • Ate o Nelipe Feto foi vítima de seu próprio discurso.
  • O Felipe Neto é muito patife.

    Merece os antagonistas patifes que tem, como no caso do Nando Moura.
  • Todo ato que puder ser feito para parar som alto dentro da lei e respeitando a pessoa eu apoio. Mas eu conpreendo a empatia do Judas ele sendo músico. É valido.
  • Som alto é uma mazela que é comparável ao costume da idade média de jogar excrementos nas ruas.
  • Senhor escreveu: »
    Som alto é uma mazela que é comparável ao costume da idade média de jogar excrementos nas ruas.

    KKKKKKKKKKKKKKKK

    Mas eu acho isso também.

    Aqui em casa não tem som alto, às vezes de dia quando estou praticando mas nunca é alto a ponto de precisar chamar a polícia. Eu mesmo não gosto de praticar com som alto, o faço porque os equipamentos precisam ser regulados pra som alto, ou para o volume que vou tocar ao vivo. Eu mesmo, depois que faço estes acertos e vou só praticar coloco tudo bem baixinho a ponto de dar pra ouvir a TV mais alta que a guitarra.

    Forçar sua música em cima dos outros é escroto demais e normalmente um costume associado a funkeiros, sertanejeiros, pagodeiros e demais sub-raças.
  • A sensação de ser um X-9 é inquietante pra mim.

    Denunciar um vizinho maconheiro talvez, mas denunciar porque ele está se divertindo com algo lícito e principalmente que nem sequer me incomoda é meio escroto.

    O ponto é que se decidiram comemorar o Natal mesmo com pandemia o problema é deles.

    Eu não comemorei, não apoiei que nada fosse feito aqui em casa como todo ano fazemos e nada foi feito.

    Se no futuro ficar provado que não faria mal, ou ao menos não faria diferença, paciência. Eu não pago pra ver depois de tantos relatos de mortes em lares de idosos.

    Por outro lado se fosse uma reunião de pessoas fora dos grupos de risco e com capacidade de se isolarem dos mais velhos após a comemoração não vejo problema.
    E é por aí que eu acho que essas medidas draconianas não deveriam ser impostas. Cada um a essa altura do campeonato é capaz de saber de si.
  • editado January 4
    Concordo com tudo o que você disse, exceto sua última frase: "E é por aí que eu acho que essas medidas draconianas não deveriam ser impostas. Cada um a essa altura do campeonato é capaz de saber de si."
    Muitas pessoas, no mundo inteiro, burlam conscientemente as regras da Pandemia porque não acreditam que possam vir a ser as próximas vítimas, ou, nem ligam se estão levando para pais e avós, a doença. São ignorantes e indiferentes.
    Alguém já disse: a estupidez e o Hidrogênio são os elementos mais abundantes do Universo.
  • editado January 4
    Quais os limites das liberdades individuais?

    Essa é uma pergunta bem espinhosa e parece que todas as respostas são ruins.

    Liberdade total e não nos importarmos que ações irresponsáveis em uma crise como essa causem as mortes de milhares de inocentes? Não me parece uma resposta adequada ou moralmente aceitável, e pelo visto esperar que as pessoas tenham consciência, respeito pela vida alheia, senso de responsabilidade e visão de médio e longo prazo é pura fantasia.

    O Estado decidindo tudo podendo invadir casas? Sabemos pela História que ditadores adoram um bom pretexto como esse e infelizmente essa doença maldita está dando isso para eles de bandeja.
  • O fator obesidade é a principal comorbidade no caso do COVID e tentas outras doenças que matam muito mais.

    Dá pra fechar McDonalds, rodízios etc...Ou da pra exigir que o frequentador passe em testes de peso, colesterol e etc... pra poder frequentar estes lugares.
    Governos não podem ter este tipo de poder, se for oferecido, eles aceitam.

    E estamos em 2021, veja, não há limites para o que esta geração de políticos e consequentemente seus eleitores apoiem em nome de ideologias.
    E é disso que se trata o vírus, ideologia.
    O vírus entrou no "FlaXFlu" em que a política já estava antes dele, logo:
    Ser a favor do distanciamento = Esquerda, bonzinhos, se importam com a vida, Petistas, canalhas, defensores da China...
    Ser contra = Bolsonaristas, Trump, Olavo de Carvalho...

    Em outros tempos sem essa polarização acho que o mundo teria se saído melhor e a negociação de meios termos para as medidas teria sido mais fácil.


    Era uma piada do Felipe Neto quando ele apareceu no YT e dizia que no futuro acabaria ser obrigatório ser gay.

    O STF já jogou a constituição no lixo acerca disso, já existem banheiros neutros, já existem lugares onde um barbudo autodeclarado mulher usa o mesmo banheiro de uma menina de 8 anos, isso na era das câmeras pequenas e smartphones.

    Agora, hoje em 2021:
    O deputado americano Emanuel Cleaver, do Partido Democrata, procurou ser inclusivo em termos de gênero e encerrou a oração de abertura do 117º Congresso americano, no domingo (3), com as palavras "Amen... and Awoman" - introduzindo a palavra 'mulher' na tradicional expressão.
    Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/mundo/democrata-encerra-prece-amen-and-awoman-congresso-americano/
    Copyright © 2021, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.


    O vírus será controlado pelas vacinas assim eu acredito.

    Mas estes insanos já têm o caminho das pedras e já testaram as resistências às suas pretensões de poder.

    Prefiro ter que lidar com más escolhas de cidadãos a ter que lidar com governos tiranos.
  • editado January 4
    patolino escreveu: »
    Concordo com tudo o que você disse, exceto sua última frase: "E é por aí que eu acho que essas medidas draconianas não deveriam ser impostas. Cada um a essa altura do campeonato é capaz de saber de si."
    Muitas pessoas, no mundo inteiro, burlam conscientemente as regras da Pandemia porque não acreditam que possam vir a ser as próximas vítimas, ou, nem ligam se estão levando para pais e avós, a doença. São ignorantes e indiferentes.
    Alguém já disse: a estupidez e o Hidrogênio são os elementos mais abundantes do Universo.

    É verdade.
    E é o preço a se pagar pra deixar o governo fora disso e, a meu ver, ter que arcar consequências piores caso este se sinta no direito de fazer o que fez no vídeo.

    Cada caso é um caso. Drogas são proibidas e existem razões pra isso, não da pra fazer analogias disso com aborto, ou a ideia de que a polícia pode entrar na sua casa no Natal porque haviam mais de 6 pessoas na casa.

    Em uma realidade um pouco melhor que a nossa só haveria o certo e o errado. Seria fácil dizer que cada um faz o que quer com a própria vida. Na nossa realidade existem zonas cinzentas e situações onde a solução que serve pra uma coisa não serve pra outra teoricamente análoga.
  • Judas escreveu: »
    O fator obesidade é a principal comorbidade no caso do COVID e tentas outras doenças que matam muito mais.

    Dá pra fechar McDonalds, rodízios etc...Ou da pra exigir que o frequentador passe em testes de peso, colesterol e etc... pra poder frequentar estes lugares.
    Governos não podem ter este tipo de poder, se for oferecido, eles aceitam.

    E estamos em 2021, veja, não há limites para o que esta geração de políticos e consequentemente seus eleitores apoiem em nome de ideologias.
    E é disso que se trata o vírus, ideologia.
    O vírus entrou no "FlaXFlu" em que a política já estava antes dele, logo:
    Ser a favor do distanciamento = Esquerda, bonzinhos, se importam com a vida, Petistas, canalhas, defensores da China...
    Ser contra = Bolsonaristas, Trump, Olavo de Carvalho...

    Em outros tempos sem essa polarização acho que o mundo teria se saído melhor e a negociação de meios termos para as medidas teria sido mais fácil.


    Era uma piada do Felipe Neto quando ele apareceu no YT e dizia que no futuro acabaria ser obrigatório ser gay.

    O STF já jogou a constituição no lixo acerca disso, já existem banheiros neutros, já existem lugares onde um barbudo autodeclarado mulher usa o mesmo banheiro de uma menina de 8 anos, isso na era das câmeras pequenas e smartphones.

    Agora, hoje em 2021:
    O deputado americano Emanuel Cleaver, do Partido Democrata, procurou ser inclusivo em termos de gênero e encerrou a oração de abertura do 117º Congresso americano, no domingo (3), com as palavras "Amen... and Awoman" - introduzindo a palavra 'mulher' na tradicional expressão.
    Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/mundo/democrata-encerra-prece-amen-and-awoman-congresso-americano/
    Copyright © 2021, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.


    O vírus será controlado pelas vacinas assim eu acredito.

    Mas estes insanos já têm o caminho das pedras e já testaram as resistências às suas pretensões de poder.

    Prefiro ter que lidar com más escolhas de cidadãos a ter que lidar com governos tiranos.

    Isso virou um joguete de chantagem.
  • South Park fazia o que achávamos que eram piadas mas na verdade não passavam de profecias mórbidas sobre a estupidez em marcha e infelizmente autoconcretizáveis, por mais que fosse difícil de acreditar...
  • Preveram mais que os Simpsons.
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.