Positividade tóxica

Tristeza e infelicidade são vistas como doenças a serem tratadas com medicamentos ou autoilusão.
Fazem a pessoa se sentir culpada por estar triste.
Positividade tóxica: o que é, como se manifesta e de que maneira nos atinge

Invalidar sentimentos aumenta a dor de quem sofre e mascara confrontos: 'Se somos humanos, frequentamos os dois lados', diz a psicóloga Marta Monteiro

Marcia Disitzer 24/02/2021

x91388917_EL-exclusivo-positividade-toxica-Shutterstock.jpg.pagespeed.ic.tmJRebTK8N.jpg
Positividade em excesso pode mascarar dores

No último dia de 2020, Ligia Parreira escreveu um post no Facebook que começava assim: “Poderia fazer um textão, como em todos os anos, falando de gratidão e aprendizado. Não vai rolar, porque não sou grata a p. nenhuma que aconteceu neste ano. Não tem essa de positividade tóxica. Esse ano, quem está vivo está um pouco morto. Se você está feliz, efusivo e completo, a probabilidade de você ser um psicopata é grande”. O desabafo da estilista carioca de 39 anos foi consequência de um sofrimento intenso num curto espaço de tempo: em seis meses, ela perdeu o padrinho, vítima da Covid-19, e o pai, que teve um infarto fulminante. Uma tia, muito abalada com a morte do irmão, sofreu um AVC e está em recuperação. Enquanto se permitia vivenciar o luto, Ligia esbarrou em conselhos inócuos de pessoas que sugeriam que ela mantivesse o “pensamento positivo”. “Chega a ser falta de empatia, além de refletir um olhar superficial sobre a vida. E ainda faz a gente sentir culpa por estar sofrendo”, analisa.

A positividade tóxica citada por Ligia é como está sendo chamado um tipo de comportamento que invadiu as redes sociais e também a vida real. “São mensagens prontas e conceitos rasos difundidos muito rápido na internet. É uma espécie de imposição da gratidão”, explica a gaúcha Julia Cazuny, de 29 anos. Professora de inglês e português e mãe de santo, ela trouxe o assunto à baila em postagens no Instagram. “O tema já me incomodava antes de 2020. Porém, a partir da pandemia, passei a ler com mais frequência frases do tipo ‘o coronavírus veio para nos transformar e nos elevar’, ‘tem que vibrar coisas boas, do contrário, vai atrair tristeza’ ou ‘a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional’. Em paralelo, observava a desestruturação, em vários níveis, de pessoas ao meu redor”, relata. Depois de uma sessão de terapia, Julia conseguiu definir o que estava presenciando: “A invalidação do sentir do ser humano. Eu, por exemplo, atravessei questões emocionais muito duras no ano passado. O que se espera dos outros, nesses momentos de dor, é acolhimento”, pondera.
[...]
O escritor André Carvalhal, que compartilhou publicações de Julia, frisa que as críticas feitas à positividade tóxica não são contra o otimismo. “Mas não dá para cair numa falsa noção de positividade sem considerar fatores internos e externos”, avalia. Questões estruturais da sociedade, diz Carvalhal, não serão transformadas somente por meio de “boas vibrações”. “A força do pensamento não vai ser maior do que as estatísticas que revelam quem são as maiores vítimas da Covid-19. A construção e a mudança da realidade também devem estar relacionada às ações”, emenda.

Psicanalista e membro da Escola Lacaniana de Psicanálise do Rio de Janeiro, Abílio Ribeiro Alves lembra que vivemos numa cultura em que há o imperativo da urgência e da felicidade. “Saídas rápidas fazem oposição ao sofrimento, sobretudo em tempos difíceis. Além disso, superpõe-se a culpabilidade moral, como se a positividade tivesse que estar sempre à mão”, avalia. Segundo Abílio, ao colocar todas as fichas no pensamento positivo, o indivíduo crê que será recompensado pelo universo com uma melhora. “Já a psicanálise acredita que é a partir do atravessamento da dor que se dará a promoção da ‘cura’”, compara.

Para a psicóloga Marta Monteiro, a geração das redes sociais sofre de positividade, além de tóxica, compulsiva. “Se somos humanos, frequentamos os dois lados. Sentimos, além de dor, raiva, angústia, frustração... Não adianta fugir. Uma hora a conta chega”, finaliza.
https://oglobo.globo.com/ela/gente/positividade-toxica-que-como-se-manifesta-de-que-maneira-nos-atinge-24895453

Comentários

  • Essa é boa...
  • editado February 24
    Saudaçōes Fernando
    Fernando disse:
    Poderia fazer um textão, como em todos os anos, falando de gratidão e aprendizado. Não vai rolar, porque não sou grata a p. nenhuma que aconteceu neste ano. Não tem essa de positividade tóxica. Esse ano, quem está vivo está um pouco morto.
    Se você está feliz, efusivo e completo.

    Neste caso falo por mim...
    Foi um ano atípico em minha vida...
    Alguns aqui sabem que tenho certa sensibilidade (um tipo de mediunidade, digamos assim)...

    Como sabem tbm sou uma estudante das ciências da saúde o que me leva a estudar tudo em todos os lugares do mundo... Além de que epidemiologia sempre foi uma predileção de meus estudos, tipo, acompanhar a evolução do ebola, o surgimento do Chapare na Bolívia, etc...

    Enfim... Desde o início percebi a gravidade do Sars-Cov2 dado a via de transmissão. Além de ser uma pessoa solidária, sempre.

    Não dá pra gente ficar insensível ao que acontecia com os chineses... Eu principalmente, pois estudo a língua...

    Para encurtar...

    Sabia que essa doença estava atacando pessoas com propensão a processos inflamatórios e com deficiências vitamínicas e minerais...

    Então... Sabia que o que eles sofriam por lá era questão de tempo (curto prazo) estar por aqui. Batata, acertei...rs

    Nem precisei apelar para o mundo espiritual. Dado que as visões que me chamavam de lá, eram bem complicadas.

    Resumo...

    Peguei o treco antes das autoridades de vigilância sanitária suspeitarem que já circulava por aqui antes do carnaval.

    Minha sorte...

    Um anjo me passou uma receita... Foi o que salvou a mim e minha família...

    Para mim não bastaria somente reforçar meu sistema imunológico.

    Eu creio ter reclamado sobre o carnaval.
    Entendo que "morrer" por antecipação é besteira e histeria tbm não ajuda.
    Mas... Tirando a empatia... Quem iria deixar de se aglomerar no carnaval por um vírus que já matava na China ?
    O problema é deles... :(
    Pois é... O problema é que não !
    O problema é de todo mundo sempre..

    Do ponto de vista pessoal, sou grata ao meu anjo guerreiro, sou grata a vida, tento manter o estado de tranquilidade e mesmo de alegria por estar viva.

    Mas, do ponto de vista humanitário...
    Estou me sentindo de ressaca... Triste, por perceber que o julgamento alheio segue como sempre.

    Estar feliz ou triste independe de direito alheio... O estado de espírito é seu (e ponto).
    Ninguém tem de "xerifar" os outros.
    Se a pessoa está triste, caramba, direito absoluto dela... Se incomoda, saia de perto, vá ser feliz em outro lugar...
    Pois quando se está triste, aí queremos ser respeitados em nossa dor.
    Mas... Se a pessoa está em estado de gratidão, que seja um alento aos que estejam sofrendo...

    O problema é que em algumas situaçōes
    se está tão triste, que o outro e sua alegria incomoda.

    Creio que a máxima sirva para o bom senso... Seja permitido estar no estado que estiver, obedeça sua realidade e verdade.

    Fique solidária a dor alheia sem julgamentos, mas, seja tbm respeitado pelos demais se vc é grato por estar vivo, após sobreviver a uma doença em que as chances de vc sobreviver seriam mínimas... Como no meu caso.

    Por isso, sinto ânimo para colocar minhas sandálias de prata e ter ido análogamente ao samba (tópico do Samba), pois mesmo triste, estou grata.


    [Fraternos]
  • editado February 24
    Srª Silvana escreveu: »
    Não dá pra gente ficar insensível ao que acontecia com os chineses... Eu principalmente, pois estudo a língua...
    👍👍👍
    Eu sei
    "obrigado"
    e
    "psicografia"!

    [Recevez &c.]

  • Ssudaçōes Gorducho
    "Eu sei". "obrigado" e. "psicografia"!

    太阳的后裔

    A morte não existe... É uma ilusão. Vc sabe bem. Aguardando o cálice entrar no mundo. Haziel.

    Missão.

    [Fraternos]
  • editado February 24
    Não, meu putonghua não chega lá... eu sei literalmente só "obrigado" + "psicografia"
    mrgreen.png
    Brincadeirinhas: sei outras coisas isoladas como falar o dinheiro... mas sem articulação.
  • editado February 24
    Saudaçōes Gorducho

    Hahaha



    Vai entender um pouco melhor agora.


    Claro, a missão aqui é abertura de um selo...

    Talvez, eu receba a graça. Muitos precisam. Coletivo.


    [Fraternos]
  • Gorducho... O povo aqui não entende nada... Isso tudo é mandarim...rs
  • Claro, tbm... Que o selo ao qual estou desenvolvendo o conhecimento... É um titãn... E eu... Pobre de mim...rs

    Isso me fez lembrar uma vez em que eu estava em um seminário no início da facul do cálice da serpente... Ainda tinha muitas dúvidas... Se eu estava no caminho certo... Se seria capaz de concluir (dado que me acho burrinha em algumas práticas).

    Daí... Ele me surgiu... Bem no tablado...
    Sorriu pra mim. É um anjo magnífico.

    Fiquei sem palavras e os pensamentos confusos, apesar de esperar que ele me desse algum sinal do caminho a seguir...

    Estava com o celular virado para a frente, justo onde ele estava...

    Depois em casa abri as fotos do evento... E lá estava um registro que ele deixou pra mim.

    Só o início de uma longa jornada.

    [Fraternos]
  • Saudações Gorducho

    太阳的后裔
    Descendentes do sol.

    [Fraternos]

    Obs.: Consegui fazer voltar o colchete no teclado do Cel...rs
  • Agora assim posso postar.

    Como todos sabem aqui, ou pelo menos acredito eu, eu tenho histórico de depressão. Então, no caso geralmente as pessoas adoram tentar te forçar alimentar uma positividade quando não se tem o pior é te imputar culpa como se isso fosse uma frescura. Viver é frustrante, acho que o primeiro passo que você tem que aceitar se quiser viver é essa máxima.
  • editado March 10
    Comparo a "positividade tóxica" às flores. De modo que se não houvesse a primeira, criticarariam as segundas. =)
  • Excesso de positividade na filosofia do Byung-Chul Han de quem tenho falado.

    A sociedade capitalista empurra para a máxima eficiência, retirar o mais possível de cada indivíduo. Neste contexto nasce toda uma gama de produtos do bem-estar (ex. coaching).
    Pessoalmente, sinto algum incómodo, pois estou neste campo do Aconselhamento /terapia sério (pessoas formadas em filosofia, psicologia), mas em paralelo temos pessoas que fazem um workshop num fim de semana e auto-designam-se terapeutas, coaches, etc.

    Seja como for, sempre respondo a alguém que me procura: tristeza, raiva, medo são emoções com as quais devemos aprender a viver e não a evitar escolhendo só a alegria (confundida em felicidade). Esta minha forma de fazer, não tem tanto sucesso junto das pessoas, porém é ética e de resultados mais profundos e duráveis.


  • editado March 10
    PugII escreveu: »
    Excesso de positividade na filosofia do Byung-Chul Han de quem tenho falado.

    A sociedade capitalista empurra para a máxima eficiência, retirar o mais possível de cada indivíduo. Neste contexto nasce toda uma gama de produtos do bem-estar (ex. coaching).
    Pessoalmente, sinto algum incómodo, pois estou neste campo do Aconselhamento /terapia sério (pessoas formadas em filosofia, psicologia), mas em paralelo temos pessoas que fazem um workshop num fim de semana e auto-designam-se terapeutas, coaches, etc.

    Seja como for, sempre respondo a alguém que me procura: tristeza, raiva, medo são emoções com as quais devemos aprender a viver e não a evitar escolhendo só a alegria (confundida em felicidade). Esta minha forma de fazer, não tem tanto sucesso junto das pessoas, porém é ética e de resultados mais profundos e duráveis.


    O que isso tem a ver com positividade? Nada.

    “Uma boa pista para saber o caráter dos homens: Aquele que amaldiçoa o dinheiro o obtém de modo desonroso; aquele que o respeita o ganha honestamente. Fuja do homem que diz que o dinheiro é mau. Essa afirmativa é o estigma que identifica o saqueador, assim como o sino indicava o leproso. Enquanto os homens viverem juntos na Terra e precisarem de um meio para negociar, se abandonarem o dinheiro, o único substituto que encontrarão será o cano de um fuzil”

    Não é estranho que tanta gente amaldiçoe o dinheiro e viva em busca dele? Quantos você já viu afirmando que o dinheiro é o pai de todos os males do mundo e ao mesmo tempo fazendo uma “fezinha” na mega sena… O dinheiro é a forma que os homens encontraram para materializar seus esforços. Quando eu vou ao mercado e compro um quilo de feijão e pago com o meu dinheiro, estou na verdade trocando o meu esforço pelo esforço de todos os homens que trabalharam desde o plantio do feijão até a colocação dele na gôndola daquele mercado. O dinheiro é apenas um simbolismo, um facilitador. Amaldiçoar o dinheiro é amaldiçoar o trabalho, o suor e luta de muita gente.
  • editado March 16
    Caramba, pieguice é que é a verdadeira positividade tóxica.

  • O que mais tem é pessoas dizendo que valorizam você, falam o quanto você é incrível da boca pra fora.
  • Autoajuda babaca
    file.php?id=372&t=1
  • Pior positividade tóxica é a dos crentolhos que tudo foi Deus, mas é bom ter um objetivo na vida palpável. E também depende do fator sorte também, sou a prova viva dessas coisas.
  • editado March 28
    Eu diria que isso foi uma ironia sensacional.

  • Senhor escreveu: »
    Eu diria que isso foi uma ironia sensacional.

    Mas é.
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.