Marx Foi Vítima Das Circunstâncias Históricas? Será Mesmo?

editado July 7 em Religião é veneno
«1

Comentários

  • Ele próprio foi uma circunstância histórica. Então, sim.
  • Senhor escreveu: »
    Ele próprio foi uma circunstância histórica. Então, sim.
    Ele estaria se revirando no túmulo se soubesse a desgraça que o Socialismo se tornou na prática.

  • editado July 8
    Marx não tinha a menor noção das leis básicas que regem a economia. Foi um bom filósofo e sociólogo, mas de economia Marx sabia pouco. Não é nenhum problema isso, ninguém sabe tudo, mas o problema é que Marx pensava que sabia muito.
  • Volpiceli escreveu: »
    Marx não tinha a menor noção das leis básicas que regem a economia. Foi um bom filósofo e sociólogo, mas de economia Marx sabia pouco. Não é nenhum problema isso, ninguém sabe tudo, mas o problema é que Marx pensava que sabia muito.

    Eu achava que ele tinha um descrição precisa do funcionamento do capitalismo mas no quesito previsões sobre ele falhou miseravelmente.

    Mas isso eu li por ai, não li Marx pra opinar com propriedade.

  • Mas isso eu li por ai, não li Marx pra opinar com propriedade.[/quote]

    Você não perdeu nada, Judas. Eu tentei ler Marx por duas vezes. Não dá, muito prolixo e chato. Péssimo autor!
  • O que me surpreendeu é que se trata de um canal entusiasta de investimento e capitalismo, achava que a opinião dele sobre Marx é que ele seria o próprio Lúcifer encarnado mas até que não.
  • Cameron escreveu: »
    O que me surpreendeu é que se trata de um canal entusiasta de investimento e capitalismo, achava que a opinião dele sobre Marx é que ele seria o próprio Lúcifer encarnado mas até que não.

    Mentes tem essa coisa de contradizer e adaptar pensamentos de diversas naturezas.
  • Judas escreveu: »

    Eu achava que ele tinha um descrição precisa do funcionamento do capitalismo mas no quesito previsões sobre ele falhou miseravelmente.

    Mas isso eu li por ai, não li Marx pra opinar com propriedade.

    O problema é que o Marx deu fórmulas econômicas prontas para seguir (coletivização da agricultura, estatização total da economia e etc.) que se mostraram catastróficas.
  • editado July 8
    "Pelas árvores conhecereis seus frutos", é o apropriado aforismo para a presente questão.
  • Senhor escreveu: »
    "Pelas árvores conhecereis seus frutos", é o apropriado aforismo para a presente questão.

    Lembro-me de você ter dito que o que é de todo mundo na verdade não é de ninguém.
  • Além disto, Marx era racista e acreditava que os povos inferiores deveriam desaparecer.
  • Percival escreveu: »
    Senhor escreveu: »
    "Pelas árvores conhecereis seus frutos", é o apropriado aforismo para a presente questão.

    Lembro-me de você ter dito que o que é de todo mundo na verdade não é de ninguém.
    E é verdade.

  • Senhor escreveu: »
    Percival escreveu: »
    Senhor escreveu: »
    "Pelas árvores conhecereis seus frutos", é o apropriado aforismo para a presente questão.

    Lembro-me de você ter dito que o que é de todo mundo na verdade não é de ninguém.
    E é verdade.

    Ai vem coletivização que quer que tudo seja de todo mundo: ninguém quer ter responsabilidade só quer colher o bom resultado. Acaba não sendo de ninguém porque ninguém quer assumir, só quer que aquilo o sirva.
  • Judas escreveu: »
    Volpiceli escreveu: »
    Marx não tinha a menor noção das leis básicas que regem a economia. Foi um bom filósofo e sociólogo, mas de economia Marx sabia pouco. Não é nenhum problema isso, ninguém sabe tudo, mas o problema é que Marx pensava que sabia muito.

    Eu achava que ele tinha um descrição precisa do funcionamento do capitalismo mas no quesito previsões sobre ele falhou miseravelmente.

    Mas isso eu li por ai, não li Marx pra opinar com propriedade.

    Não leu Marx, mas tem opinião...
  • Fernando_Silva escreveu: »
    Além disto, Marx era racista e acreditava que os povos inferiores deveriam desaparecer.

    Onde está isso escrito - gostaria perceber essas ideias, mas preciso de informação correcta e não de ideias soltas.


    Marx foi um pensador interessante, que qualquer pessoa culta deve estudar pelo menos uma parte em profundidade. Falar dele sem nunca ter estudado nada é orgulho de ostentar a ignorância e estupidez.




  • PugII escreveu: »
    Judas escreveu: »
    Volpiceli escreveu: »
    Marx não tinha a menor noção das leis básicas que regem a economia. Foi um bom filósofo e sociólogo, mas de economia Marx sabia pouco. Não é nenhum problema isso, ninguém sabe tudo, mas o problema é que Marx pensava que sabia muito.

    Eu achava que ele tinha um descrição precisa do funcionamento do capitalismo mas no quesito previsões sobre ele falhou miseravelmente.

    Mas isso eu li por ai, não li Marx pra opinar com propriedade.

    Não leu Marx, mas tem opinião...

    Basta o seguidores falar dele como você, Xenófobo.
  • PugII escreveu: »
    Fernando_Silva escreveu: »
    Além disto, Marx era racista e acreditava que os povos inferiores deveriam desaparecer.

    Onde está isso escrito - gostaria perceber essas ideias, mas preciso de informação correcta e não de ideias soltas.


    Marx foi um pensador interessante, que qualquer pessoa culta deve estudar pelo menos uma parte em profundidade. Falar dele sem nunca ter estudado nada é orgulho de ostentar a ignorância e estupidez.

    “As classes e raças demasiado fracas para dominar as novas condições de vida precisam ceder [às mais fortes]”.

    Karl Marx, 1853, em texto publicado na “New York Tribune”, deixando claro o que aconteceria com quem não se adaptasse ao socialismo.
  • Sete citações racistas de líderes e pensadores comunistas

    Por Tiago Cordeiro, especial para a Gazeta do Povo 18/06/2020


    Em suas origens, a militância negra no Brasil esteve ligada a grupos de direita – foi o caso do partido político fundado pela Frente Negra Brasileira, em 1936, que estava alinhado com o integralismo. Num segundo momento, entre o fim da Segunda Guerra e o início da ditadura militar, o movimento, nas palavras do historiador Petrônio Domingues, no artigo Movimento Negro Brasileiro: Alguns Apontamentos Históricos, “ficou isolado politicamente, não podendo contar efetivamente com o apoio das forças políticas, seja da direita, seja da esquerda marxista”.

    A partir de metade dos anos 1970, boa parte dos grupos de defesa das pautas voltadas à questão da etnia migrou para grupos de esquerda. “O embrião do Movimento Negro Unificado”, prossegue o pesquisador em seu artigo, citando um grupo influente no Brasil da época, “foi a organização marxista, de orientação trotskista, Convergência Socialista. Ela foi a escola de formação política e ideológica de várias lideranças importantes dessa nova fase do movimento negro”.

    Ao aderir aos grupos de esquerda, o movimento teve que ignorar um fato: várias das principais lideranças socialistas e comunistas que surgiram desde o século 19 eram racistas e expressavam seu preconceito abertamente.

    Confira agora seis citações que indicam o grau de desprezo que essas personalidades históricas alimentavam pelos negros – e também latinos e eslavos.

    “Sem a escravidão, os Estados Unidos, o mais avançado dos países, teria se transformado num país patriarcal. Elimine a América do Norte do mapa do mundo e você vai ter anarquia – a completa decadência do comércio moderno e da civilização. Elimine a escravidão e você vai eliminar a América do mapa das nações.”

    Karl Marx, 1847, em carta em que ele argumenta que a força escrava negra sustentou a plantações de algodão, fundamentais para a industrialização dos Estados Unidos.

    “As classes e raças demasiado fracas para dominar as novas condições de vida precisam ceder [às mais fortes]”.

    Karl Marx, 1853, em texto publicado na “New York Tribune”, deixando claro o que aconteceria com quem não se adaptasse ao socialismo.

    “É um golpe de azar que a magnífica Califórnia tenha sido tomada [pelos americanos] dos preguiçosos mexicanos que não sabiam o que fazer com isso? ”

    Karl Marx, satirizando os mexicanos pela perda do território da Califórnia na Guerra Mexicano-Americana (1846-1848). A fala foi ratificada no quinto congresso da Internacional Comunista, que afirmou ser "direito daqueles provenientes de países civilizados se estabelecerem em países cuja população permanece em um estágio mais baixo de desenvolvimento."

    "...está claro para mim que ele, pelo formato de seu crânio e por seu cabelo, descende de negros do Egito (...) O jeito chamativo do sujeito é parecido com o de um negro."

    Karl Marx, 1862, em carta a Friedrich Engels, se referindo ao político rival socialista Ferdinand Lassale.

    “Entre nós os axiomas matemáticos parecem evidentes para toda criança de oito anos, e não precisam ser comprovados pela experiência, são apenas o resultado de herança acumulada. Mas seria difícil ensiná-los para um sul-africano ou um aborígene australiano.”

    Friedrich Engels, 1877, argumentando que as capacidades intelectuais dos povos são diferentes.

    "Em sua qualidade de negro, um nível mais próximo do reino animal que o resto de nós, ele é sem dúvida o candidato mais adequado desse distrito."

    Friedrich Engels, 1887, se referindo a Paul Lafargue, genro de Marx, que concorria a uma vaga no conselho de um distrito de Paris que abrigava um zoológico.

    “O negro indolente e sonhador gasta seu dinheirinho em qualquer frivolidade ou diversão, ao passo que o europeu tem uma tradição de trabalho e de economia que o persegue até estas paragens da América e o leva a progredir.”

    Ernesto Che Guevara, 1952, em seu livro de memórias de juventude, os Diários de Motocicleta. O comentário se referia a moradores pobres da Venezuela.

    Bônus: Genocídio

    “Os alemães e magiares austríacos serão libertados e se vingarão sangrentamente dos bárbaros eslavos. A próxima guerra mundial resultará no desaparecimento da face da terra não apenas das classes e dinastias reacionárias, mas também de povos reacionários inteiros. E isso também constitui um passo adiante.”

    A fala genocida acima é de Engels, em artigo publicado em 1849 no jornal Neue Rheinische Zeitung, condenando as populações rurais do Império Austríaco por não terem participado com entusiasmo das Revoluções de 1848, que começaram na França e provocaram rebeliões em toda a Europa, inclusive na Alemanha e Áustria.
    https://outline.com/tBFR9R

    Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/ideias/sete-citacoes-racistas-de-lideres-e-pensadores-comunistas/



  • Muito interessante Fernando, se tivesse tempo investigaria o tema com o cuidado e rigor que merece.

    O pessoal da direita deveria estudar e apresentar estas informações ao público (de preferência, sem deturpação). Mas estão mais preocupados em berrar e/ou apoiar bostanaro.
  • PugII escreveu: »
    O pessoal da direita deveria estudar e apresentar estas informações ao público (de preferência, sem deturpação). Mas estão mais preocupados em berrar e/ou apoiar bostanaro.

    Você é tão ignorante quanto eles.

  • editado July 9
    Pessoas se organizando enquanto cor é uma auto discriminação social. A constituição proibe... =)



  • editado July 10
    PugII escreveu: »
    Muito interessante Fernando, se tivesse tempo investigaria o tema com o cuidado e rigor que merece.

    O pessoal da direita deveria estudar e apresentar estas informações ao público (de preferência, sem deturpação). Mas estão mais preocupados em berrar e/ou apoiar bostanaro.
    Isto foi feito em incontáveis debates aqui e em outros lugares, mas fundamentalistas, de esquerda ou direita, sempre dão um jeito de relativizar as coisas.

    Aliás, estes trechos apareciam no site www.marxism.org.
  • É gozado... Pegam textos de Kardec onde se sugere racismo e descem a lenha. Pra ele não vale dizer que foi inserido no momento da sua época. Até parece que nós espíritas dizemos que foi infalível...
  • editado July 10
    É que consciência não tem época, ué...
  • Botânico escreveu: »
    É gozado... Pegam textos de Kardec onde se sugere racismo e descem a lenha. Pra ele não vale dizer que foi inserido no momento da sua época. Até parece que nós espíritas dizemos que foi infalível...
    Não se "sugere" racismo. O racismo é escancarado.
    Aliás, o espírito de São Luíz também era racista.

    Trecho de debate no Clube Ceticismo:
    Para Kardec autistas, deficientes visuais praticamente não tinham utilidade alguma, apenas serem punidos por erros de vidas passadas.

    Há um livro dos anos 80 ou 90 chamado "Instituto de Confraternização Universal" editado pela Federação Espírita do Estado de São Paulo , que até anões desencarnados são discriminados. Dizem que estão dessa forma no plano espiritual pois ainda não foram capazes de moldar uma forma melhor por causa da inteligência reduzida deles...
  • Fernando_Silva escreveu: »
    Botânico escreveu: »
    É gozado... Pegam textos de Kardec onde se sugere racismo e descem a lenha. Pra ele não vale dizer que foi inserido no momento da sua época. Até parece que nós espíritas dizemos que foi infalível...
    Não se "sugere" racismo. O racismo é escancarado.
    Aliás, o espírito de São Luíz também era racista.

    Trecho de debate no Clube Ceticismo:
    Para Kardec autistas, deficientes visuais praticamente não tinham utilidade alguma, apenas serem punidos por erros de vidas passadas.

    Há um livro dos anos 80 ou 90 chamado "Instituto de Confraternização Universal" editado pela Federação Espírita do Estado de São Paulo , que até anões desencarnados são discriminados. Dizem que estão dessa forma no plano espiritual pois ainda não foram capazes de moldar uma forma melhor por causa da inteligência reduzida deles...
    São interpretações maldosas. Dentro do contexto percebe-se a deturpação.
    Olhos de ver... ouvidos de ouvir.
    Procure, no Livro dos Espíritos, referências ao racismo. Não encontrará. E esta é a literatura mainstream, sob a qual os espíritos se responsabilizariam.

    Em 1857 não havia ambiente para revelações espiritualistas e o cuidado em afrontar a hegemonía católica exigia prudência... certa conformação ao entendimento da época, sem contrariar a verdade a que se propunha. (Veja se referências sobre o "Auto de Fé de Barcelona")
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Auto_de_fé_de_Barcelona
  • Fernando_Silva escreveu: »
    PugII escreveu: »
    Muito interessante Fernando, se tivesse tempo investigaria o tema com o cuidado e rigor que merece.

    O pessoal da direita deveria estudar e apresentar estas informações ao público (de preferência, sem deturpação). Mas estão mais preocupados em berrar e/ou apoiar bostanaro.
    Isto foi feito em incontáveis debates aqui e em outros lugares, mas fundamentalistas, de esquerda ou direita, sempre dão um jeito de relativizar as coisas.

    Aliás, estes trechos apareciam no site www.marxism.org.

    Fernando Silva,
    Li, na seção de comentários do www.uol.com.br, o seguinte: "quem acredita no socialismo deveria viver com os salários de Cuba, sob a liberdade da Coreia do Norte, com a abundância material da Venezuela e justiça da China".
    O comentário não é de minha autoria, mas eu não diria melhor.
  • No tempo em que Kardec viveu, dizer que havia raças superiores e raças inferiores, e determinar quais eram elas, era uma coisa "tão na cara" que dispensava pesquisa científica. Afinal qual poderia ser feita? Na OPINIÃO de Kardec, se uma criança hotentote fosse tirada bebê do seu meio e levada para ser educada nos melhores liceus, dela não sairia nenhum Newton. Bem, onde houve este experimento?

    Posso dar é o exemplo nazista. Jovens nórdicas, alemãs ou norueguesas, foram estupradas por escolhidos soldados da SS tidos como de melhor estirpe, e os bebês nascidos desses estupros foram criados em institutos na esperança de dali saírem os mais bem dotados indivíduos da raça ariana pura. Deveriam ser os mais bem dotados física e intelectualmente...
    No final, de todos os que puderam ser descobertos deste infeliz experimento, só DOIS chegaram a cursar universidade e sem nenhum destaque. E a tal Anne Fridi, do ABBA, foi produto deste experimento. Parece que só ela deu muito certo...
  • editado July 12
    Botânico escreveu: »
    No tempo em que Kardec viveu, dizer que havia raças superiores e raças inferiores, e determinar quais eram elas, era uma coisa "tão na cara".
    Por isso é que tem aquele ditado que diz que: "quem vê cara não vê coração".

Entre ou Registre-se para fazer um comentário.