Milhares saem às ruas para protestar contra o governo em Cuba

Milhares saem às ruas para protestar contra o governo em Cuba
Manifestantes demandam vacinas contra Covid e fim de apagões diários na ilha

Aos gritos de "liberdade" e "abaixo a ditadura", milhares de pessoas foram neste domingo (11) às ruas de diferentes cidades de Cuba, entre as quais Havana, para expressar frustração por meses de crise, restrições devido à Covid e o que acusam ser negligência do governo. Atos do tipo são raros na ilha.
Em um discurso exibido em rede nacional, o dirigente do país e primeiro-secretário do Partido Comunista de Cuba, Miguel Díaz-Canel, acusou os Estados Unidos de serem responsáveis pelos atos. "Estamos convocando todos os revolucionários do país, todos os comunistas, a irem às ruas onde existirem esforços para produzir essas provocações", disse Díaz-Canel.

No fim da tarde, jipes das forças especiais, equipados com metralhadoras, circularam por Havana. Milhares de pessoas se reuniram no centro da cidade e ao longo da estrada que beira o mar, e houve alguns episódios de tumulto, com prisões e brigas.

Um repórter da agência de notícias Reuters presenciou a polícia lançando spray de pimenta e batendo com cassetete em manifestantes, mas as forças de segurança não tentaram parar a multidão, que entoava gritos de "liberdade!" e abafava opositores que tentavam rebater gritando "Fidel!".

​As manifestações começaram no povoado de San Antonio de los Baños, um pequeno município rural da província de Artemisa, vizinha de Havana, com cerca de 50 mil habitantes, e se espalharam.
Um destacamento militar foi enviado à cidade, que também recebeu a visita de Díaz-Canel junto com militares do Partido Comunista Cubano. Vídeos nas redes sociais mostram centenas de moradores entoando slogans contra o governo e exigindo vacinas contra o coronavírus e o fim de apagões diários.

“Fui comprar comida na cidade e vi várias pessoas com cartazes, protestando. Elas estão protestando devido aos cortes de energia elétrica e porque não há remédios”, disse a moradora Claris Ramirez, por telefone, à Reuters.

Também ocorreram protestos no domingo em Palma Soriano, na província de Santiago de Cuba, onde um vídeo, confirmado por um morador, mostrava centenas de pessoas marchando pelas ruas.

Os atos aconteceram em um dia em que Cuba registrou um novo recorde diário de infecções e mortes pelo coronavírus, com 6.923 casos notificados de um total de 238.491, além de 47 mortes em 24 horas, somando, ao todo, desde o início da crise sanitária, 1.537 mortes.

A ilha caribenha passa por uma profunda crise econômica intensificada pela pandemia de coronavírus e pelo fortalecimento do embargo que os EUA mantêm ao país há 60 anos —ambos impactam o turismo, principal fonte de renda. No ano passado, durante a crise da Covid, cidades turísticas se esvaziaram.

https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2021/07/milhares-saem-as-ruas-para-protestar-contra-o-governo-em-cuba.shtml

Comentários

  • editado July 12
    Ao que parece, Cuba lançando novos paradigmas para o conceito de "ditadura".
  • Essa manifestação é financiada pelo zamericanos e cubanos que vivem na Florida. Logo, não vale.
  • Agora os petistas e comunistas daqui vão dizer pra quem é de direita: _ Vá pra Cuba!
  • Só porque está faltando comida, eletricidade e a pandemia está matando geral?
    60 anos de "revolução" e eles ainda não se acostumaram com isso?
  • Interessante, estes protestos em Cuba. E a gente começa a pensar: "Por que tem mais gente fugindo DE Cuba para os Estados Unidos, do que DOS Estados Unidos para Cuba?"
    Por que a esquerda caviar gosta de passear nos EUA, França, Inglaterra etc. mas PASSA BEM LONGE da Coreia do Norte, Venezuela, Haiti, China?
  • editado July 13
    Judas,
    Ben Shapiro é um ótimo analista político. Obrigado por compartilhar.
  • Judas,
    Ben Shapiro é um ótimo analista político. Obrigado por compartilhar.

    B)
  • editado July 13
    EUA deviam surpreender e organizar o fim do bloqueio - enviar navios com bens para o povo de Cuba - uma enorme chapada num regime que já devia ter caído.
  • O que a Europa fez por Cuba?
  • editado July 13
    PugII escreveu: »
    EUA deviam surpreender e organizar o fim do bloqueio - enviar navios com bens para o povo de Cuba - uma enorme chapada num regime que já devia ter caído.
    Muito melhor a recomendação do Shapiro, trocar 1 por 1 os manifestantes em Cuba por manifestantes esquerdistas nos EUA.

  • PugII escreveu: »
    EUA deviam surpreender e organizar o fim do bloqueio - enviar navios com bens para o povo de Cuba - uma enorme chapada num regime que já devia ter caído.
    Isto já foi feito, em outras ocasiões.
    Quando a mercadoria chega, o povo é impedido de recolhê-la. O que o governo faz é confiscar todo o alimento e remédio, distribuindo entre os apaniguados.

  • editado July 14
    Cuba não pode culpar os Estados Unidos pela própria incompetência

    Por Editorial 13/07/2021

    Cai mais um mito sobre a ditadura cubana, que ainda encanta parcela expressiva da esquerda brasileira: a balela de que a população apoia em peso o regime castrista, responsável não apenas pela pobreza endêmica que assola a ilha há décadas, mas por uma gestão desastrada da pandemia. Milhares de cubanos foram às ruas protestar no domingo, na maior manifestação contra o governo desde o Maleconazo, a revolta de 1994 decorrente da crise econômica provocada pela desintegração da União Soviética.

    Aos gritos de “liberdade”, “abaixo a ditadura” e “Pátria e vida”, nome de canção crítica ao regime, os manifestantes foram vistos primeiro em San Antonio de los Baños, 33 km a sudoeste de Havana. Por quase uma hora, vídeos transmitiram o que acontecia nas ruas por uma rede social, até serem bloqueados. Em pouco tempo, protestos semelhantes irromperam noutras cidades. Em Havana, mesmo sob forte presença policial, também houve registro de aglomerações contra o governo. Seguindo a cartilha das ditaduras, as autoridades cubanas cortaram a internet e o telefone nas regiões mais agitadas.

    A situação atual desmente a narrativa daqueles que ainda consideram que Cuba tem lições a dar na área da saúde ou do combate à fome (o Chile, com seus próprios protestos, segue sendo o melhor exemplo da América Latina). Mesmo para um país com um longo histórico de problemas crônicos de abastecimento e com uma população acostumada a conviver com filas sem fim para obter alguma comida, a situação atual supera o padrão. Nem o pão se salva. Nas padarias estatais, o governo mandou economizar farinha de trigo, importada, fazendo uma mistura com farinhas de produtos locais. Quem consegue pão tem reclamado do sabor de milho empapado.

    O presidente Miguel Díaz-Canel, que assumiu o poder há três anos, foi rápido ao culpar o embargo americano pela situação do país. É uma acusação ridícula. É certo que, segundo a ONU, a economia cubana perdeu cerca de US$ 130 bilhões em seis décadas em virtude do embargo. Mas Díaz-Canel erra de forma deliberada ao culpar os americanos pela falta de alimentos. Desde 1992, comida é uma das exceções às sanções econômicas. Os Estados Unidos são os maiores exportadores de alimentos para Cuba, que importa 70% do que consome.

    Com a pandemia, o turismo na ilha, responsável por 10% do PIB e fonte de dólares, sofreu forte retração. O total de turistas caiu para um quarto do que era em 2019. Com a redução dos voos comerciais entre Miami e Cuba, outro efeito da pandemia, diminuiu também o envio de dólares de cubanos que vivem nos Estados Unidos. Para completar o quadro, os preços dos alimentos subiram no mercado internacional nos últimos tempos. Sem dólares, com uma economia sem capacidade de gerar riquezas, Cuba só tem a si mesma para culpar pela fome de seu povo.
    https://blogs.oglobo.globo.com/opiniao/post/cuba-nao-pode-culpar-os-estados-unidos-pela-propria-incompetencia.html
  • Como Cuba vê a prostituição e o turismo sexual?
    "Não diga que as universitárias se prostituem em Cuba. Pega mal, fale que até as prostitutas têm curso universitário em Cuba!"
    Pronto. Problema resolvido .
  • Como Cuba vê a prostituição e o turismo sexual?
    "Não diga que as universitárias se prostituem em Cuba. Pega mal, fale que até as prostitutas têm curso universitário em Cuba!"
    Pronto. Problema resolvido .

    Esse não é um bom exemplo, nos EUA, pornografia entre universitárias não é incomum - modo de pagar as elevadas propinas (não sei se no Brasil esta palavra existe neste sentido, custo anual de estudar na universidade).

  • Confundido um ambiente livre com um ditatorial. Quem faz porn no segundo é por necessidade.
  • PugII escreveu: »
    Como Cuba vê a prostituição e o turismo sexual?
    "Não diga que as universitárias se prostituem em Cuba. Pega mal, fale que até as prostitutas têm curso universitário em Cuba!"
    Pronto. Problema resolvido .

    Esse não é um bom exemplo, nos EUA, pornografia entre universitárias não é incomum - modo de pagar as elevadas propinas (não sei se no Brasil esta palavra existe neste sentido, custo anual de estudar na universidade).
    Aqui no Brasil, usamos o termo "mensalidade" ou "anuidade". Concordo com você que muitas mulheres se voltam para a pornografia ou a prostituição para se manter nas universidades americanas. Mas depois acho que elas param. Ver mulheres com diploma de curso superior se prostituindo (as famosas jineteras ) é muito triste. E comprova a FALÊNCIA do socialismo cubano - se houvessem empregos com salários decentes, então por que advogadas, professoras e etc. se voltariam para a prostituição em Cuba?
  • Cuba culpa o bloqueio dos Estados unidos pela sua situação econômica mas o fato é que para cada produto americano há similares de outros países, similares e as vezes até melhores, muitas vezes por menos da metade do preço.
  • Senhor escreveu: »
    Cuba culpa o bloqueio dos Estados unidos pela sua situação econômica mas o fato é que para cada produto americano há similares de outros países, similares e as vezes até melhores, muitas vezes por menos da metade do preço.
    Os EUA não impedem a venda de alimentos e medicamentos a Cuba. Inclusive são os maiores fornecedores.
    Quem causa a escassez é a ditadura, que, curiosamente, diante dos protestos, reduziu as tarifas de importação e liberou itens antes proibidos.
  • Embargo dos EUA? Sim, mas é parcial e não envolve comida nem medicamentos.
    Além disto, o resto do mundo não participa do embargo.
    Cuba não tem desculpa. É incompetência, mesmo.
    file.php?id=420&t=1
  • Cuba - Uma ilha sem canoas

    Por Eurípedes Alcântara 17/07/2021

    Vi em Cuba cenas só explicáveis pela existência de um governo opressor. A mais marcante foi não existirem pescadores artesanais nas cidades costeiras. Cuba é a única ilha do planeta em que construir uma canoa é uma atitude altamente suspeita. A pesca marítima é feita por empresas estatais comandadas pelos militares. “O velho e o mar”, o clássico de Ernest Hemingway, foi escrito em Cayo Blanco, na costa cubana, em 1951. Narra a luta vã de um velho pescador, Santiago, contra um marlim, que ele fisga e tenta rebocar de volta ao cais só para descobrir, abismado, que os tubarões devoraram toda a carne, deixando apenas o esqueleto imprestável do peixe. Um Santiago hoje preferiria atravessar o Estreito da Flórida e rumar com seu barco para os Estados Unidos. Cuba não tem canoas pela mesma razão que as prisões têm grades.
    https://blogs.oglobo.globo.com/opiniao/post/uma-ilha-sem-canoas.html
  • editado July 18
    Pesquisem no youtube sobre a Carolina Cox, ativista comunista do Chile, foi para Cuba e não aguentou ficar no país, foi embora depois de 1 mês. Mais informações nesse vídeo: https://youtube.com/watch?v=CK16VZb7jbQ
  • Volpiceli escreveu: »
    Pesquisem no youtube sobre a Carolina Cox, ativista comunista do Chile, foi para Cuba e não aguentou ficar no país, foi embora depois de 1 mês. Mais informações nesse vídeo: https://youtube.com/watch?v=CK16VZb7jbQ

    =) =) =)
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.