Discussões Econômicas

O que acham deste react crítico,talvez alguns de vocês já o conheçam mas queria começar o tópico por ele;creio que as afirmações dele entram em conflito com as suas opiniões sobre o tema.


Comentários

  • editado May 1
    Como ninguém vai ter saco pra assistir os vídeos de horas onde um esquerdista BURRO e IGNORANTE em economia monta espantalhos, aqui vai um resumo do quão desonesto esse cara é.


    Sim. O estado por conta de sua PRINCIPAL RAZÃO DE EXISTIR investe em pesquisa militar.
    Só que sem a INICIATIVA PRIVADA essas tecnologias não virariam video-games, Iphones e tudo o mais e não virariam sequer as tecnologias as quais o estado estava pagando pra desenvolver não fossem as mesmas EMPRESAS PRIVADAS.
    Aviões na segunda guerra voavam com motores Rolls Royce, eram produzidos nas fábricas da Ford etc...

    É só pegar um lugar onde era o estado quem produzia os bens com a tecnologia herdada dos financiamentos direcionados à guerra e comparar com outro onde as tecnologias herdadas foram parar nas mãos de empresas privadas:

    Carro Russo modelo 1987
    600px-Lada_2107_aka_Lada_Riva_October_1995_1452cc.jpg

    Carro capitalista modelo 1987

    1987-ferrari-f40-12.jpg

    "Ahh mas você pegou um dos melhores carros do mundo e comparou com um carro russo barato pra uso doméstico"

    Sim. Porque já custei a achar um carro russo 1987, que dirá um que prestasse.

  • Estes caras são muito bons em monólogos onde que falam com a própria bolha e o interlocutor não reage.
    Em debates escritos ou com regras levam tomadas no rabo épicas.
    Mas o Rafael por vezes age como ideólogo e fala bobagem também.
    Ele defendeu a venda de crianças.
    Então o esquerdinha aí escolheu bem onde ia montar seus espantalhos.
  • editado May 1
    Judas escreveu: »
    Estes caras são muito bons em monólogos onde que falam com a própria bolha e o interlocutor não reage.
    Em debates escritos ou com regras levam tomadas no rabo épicas.
    Mas o Rafael por vezes age como ideólogo e fala bobagem também.
    Ele defendeu a venda de crianças.
    Então o esquerdinha aí escolheu bem onde ia montar seus espantalhos.

    Então já viu as capas de videos de outros reacts dele?
  • Deus escreveu: »
    Judas escreveu: »
    Estes caras são muito bons em monólogos onde que falam com a própria bolha e o interlocutor não reage.
    Em debates escritos ou com regras levam tomadas no rabo épicas.
    Mas o Rafael por vezes age como ideólogo e fala bobagem também.
    Ele defendeu a venda de crianças.
    Então o esquerdinha aí escolheu bem onde ia montar seus espantalhos.

    Então já viu as capas de videos de outros reacts dele?

    Cheguei a abrir alguns mas não todos. Não queria formar opinião apenas pelas capas dos vídeos então escolhi o primeiro que era pequeno e já me mostrou por que tipo de caminho o cara tem a coragem de seguir.
    É desanimador.
    Amanhã talvez eu de mais uma olhada provavelmente já sabendo o que vou achar.
  • Eu acabei de ouvir o video inteiro jogando Quake 1 e realmente o sujeito é prepotente e fala bastante abobrinha percebida mesmo por quem como eu pouco sabe sobre economia.

    Era de se esperar de um economista que se diz socialista, já que é o mesmo que assistir um vídeo de um astrônomo que se diz terraplanista.

    Pra citar duas abobrinhas das mais grosseiras sobre economia:
    1 - Por duas vezes ele cita que Böhm Bawerk não refutou Marx, na segunda citação ele menciona um suposto artigo pequeno que ele faz chacota.
    Bom, ele escreveu um livro chamado capital e juros que é enorme e eu não li, mas do qual foi retirado uma seção completa que virou um livro chamado "A teoria da exploração do socialismo comunismo" e que eu li.
    Esse livro é fantástico porque ele aborda e refuta todas as teorias de exploração socialistas, não só a de Marx.
    A teoria marxista é a ultima da fila porque ele a considera como sendo a mais sofisticada e como tendo base ideológica nas anteriores.

    Então ele começa refutando o socialismo antes de Marx e chega até ele.
    Nesse livro ele se concentra na parte central do livro "O Capital" de Marx e percebe ali alguns erros fundamentais na teoria marxista que eu mesmo quando li o Capital (essa versão resumida que vendem aqui no Brasil) não consegui perceber.

    Basicamente Marx percebe que a "teoria" do valor trabalho, usada por Ricardo e Adam Smith, era uma hipótese sem fundamentação.
    Marx então se dedica a tentar fundamentar a teoria do valor trabalho demonstrando que o trabalho é a única coisa que os produtos de valor no mercado têm em comum. Depois que Marx fundamenta a teoria do valor trabalho ele constrói todo o castelo de cartas da teoria dele em cima dessa fundamentação, em especial a teoria da mais-valia que é o alvo de refutação do Böhm Bawerk.

    Böhm Bawerk então ao perceber que Marx constroi sua teoria tomando a teoria do valor trabalho de base, e então se foca em avaliar se a fundamentação de Marx da teoria procede ou não.
    Böhm Bawerk demonstra cabalmente como Marx falha na sua tentativa, ele faz isso pré-selecionando somente os produtos com valor que tenham sido fruto de trabalho e inventando desculpas para descartar os que não são, para então apontar que a única coisa que eles têm em comum é o trabalho.

    Isso como argumenta Böhm Bawerk seria o mesmo que afirmar que a origem do peso dos objetos é a transparência deles, ao selecionar somente objetos transparentes, dando justificativas para descartar os que não são transparentes, e, depois demonstrar que todos os objetos são diferentes entre si em todas as características exceto pela transparência e então concluir que é ela que explica a razão dos objetos terem peso.

    Ele portanto aponta e desmonta a exata falácia usada por Marx em O Capital quando ele tenta fundamentar a teoria do valor trabalho, que ele usa de base para a teoria da mais-valia que provaria a existência de exploração nas relações capitalistas de trabalho.

    2 - Ele cita Milton Friedman e diz que ele usa o termo "neoliberal" e escreveu livros usando o termo e faz chacota de quem diz que neoliberalismo não existe.
    Isso vindo de um economista é de lascar.
    Não existe neoliberalismo como teoria econômica.
    Neoliberalismo é um termo usado por leigos e críticos do capitalismo e não era usado por Milton Friedman em seus livros como ele afirma.

    Milton Friedman usou o termo uma única vez em um artigo para leigos escrito em 1951, onde o termo aparecia uma vez no título e três vezes no texto em si no seguinte contexto: "A doutrina que algumas vezes é chamada de neo-liberalismo".
    Ou seja, ele se dirige a leigos e fazia uma referência a um termo que algumas vezes era ouvido por aí, provavelmente na midia, mas que não era um termo científico nem o nome de uma teoria econômica.
    O termo neoliberalismo por não ser um termo econômico e ser usado pelos críticos do liberalismo, foi mudando de significado e hoje está associado as políticas do chamado "Consenso de Washington".

    Esse uso do termo por ele é tão único e inusitado que quando recentemente publicaram um livro contendo o tal artigo, o fato dele usar o termo era o grande assunto sobre o livro.

  • editado May 1
    Judas escreveu: »
    Como ninguém vai ter saco pra assistir os vídeos de horas onde um esquerdista BURRO e IGNORANTE em economia monta espantalhos, aqui vai um resumo do quão desonesto esse cara é.

    Se você assistir ao vídeo todo vai ver que no final ele se quer entende o argumento final do Rafael e não entende o contexto do que ele passou o vídeo inteiro falando.

    O basicamente Rafael explica que industrias artificialmente criadas distorcem os investimentos de mercado as custas do consumidor.
    Ele explica que um carro que custaria 20 mil sendo importando, sai na indústria nacional pela bagatela de 60 mil, sendo pago pelo coitado do consumir que com isso perde o acesso a carros de 20 mil.
    Seria muito melhor deixar o povo importar os carros e usar o resto dos 40 mil em outras coisas mais produtivas, do que dar esses 40 mil para o dono de uma industria nacional.

    A princípio ele não entende o argumento e pergunta: "Mas usar o dinheiro como em coisas mais produtivas como se você destruiu 3 mil empregos"?
    Quando o Rafael cita que esses empregos perdidos com essa indústria artificial são redirecionados para absorver os 40 mil que serão gastos não mais com carros artificialmente caros, mas com outros tipos de consumo, daí ele faz chacota dos empregos que seriam gerados como se os empregos em uma montadora fossem muito melhores, como se fosse ele quem tivesse que decidir isso ao obrigar toda a população a pagar 60 mil em um carro e ficar proibida de ter acesso a carros de 20 mil.

    Só que em economia sempre existe aquilo que você vê e aquilo que você não vê, como por exemplo, o cara que trabalha na cozinha de um restaurante e ao ter acesso a veículos mais baratos percebe que pode se dar bem montando um food-truck, por exemplo, o que por sua vez abre as portas para o surgimento de outras indústrias.

    Quando o Rafael então cita que sem essas indústrias artificialmente criadas pelo estado existiria uma outra melhor em seu lugar ele cai na chacota geral, mostrando que desde o início não entendeu o que estava em discussão.

    Aliás ele faz isso por diversas vezes, ao acusar o Rafael, por exemplo, de não considerar o agronegócio uma indústria, o que é simplesmente falso.

    Ele acha que o Rafael estava argumentando contra a indústria em si e fazendo uma defesa do comércio, quando na verdade o video é uma crítica a indústrias artificialmente criadas e a argumentação de que o comércio em si poderia absorver e acrescer o que é criado por essas indústrias e assim permitir a base de sustentação para indústrias furto de demandas REAIS da sociedade que não sejam criações artificiais do estado feitas ao custo de privar o consumidor de produtos mais baratos.

    Esse cara é um imbecil. Foram 2 horas fazendo um espantalho de um video de 7 minutos.
  • editado May 1
    Judas escreveu: »
    Sim. O estado por conta de sua PRINCIPAL RAZÃO DE EXISTIR investe em pesquisa militar.
    Só que sem a INICIATIVA PRIVADA essas tecnologias não virariam video-games, Iphones e tudo o mais e não virariam sequer as tecnologias as quais o estado estava pagando pra desenvolver não fossem as mesmas EMPRESAS PRIVADAS.
    Aviões na segunda guerra voavam com motores Rolls Royce, eram produzidos nas fábricas da Ford etc...

    É só pegar um lugar onde era o estado quem produzia os bens com a tecnologia herdada dos financiamentos direcionados à guerra e comparar com outro onde as tecnologias herdadas foram parar nas mãos de empresas privadas:

    Exato, mas a premissa antes de tudo é falsa. O estado ter feito certas tecnologias não significa que elas não existiriam sem ele.

    Isso seria o mesmo que dizer que não existiriam navios e comércio global sem que os estados do passado tivessem financiado as grandes navegações.

    Mas o ponto que você bateu é mais importante.
    A ideia de que o Iphone é uma criação do estado é de uma imbecilidade fenomenal.

    A comparação entre a capacidade de inovação dos EUA em competição com a URSS durante a guerra fria já ilustra bem a diferença entre os resultados do monopólio estatal e da concorrência privada, mas especificamente falando sobre o Iphone, ele não é simplesmente um celular, um GPS ou um computador, ainda que faça uso de tudo isso.

    Se o estado inventasse a roda, isso significaria inventar o Ford modelo T ou então que carros sendo montados em uma linha de produção não existiria sem o estado?

    Um Iphone usa peças que tem sua história ligada a investimentos do estado que poderiam ter surgido de outro modo, mas um Iphone em si não é produto da mera existência dessas peças que já existiam muito antes de um Iphone existir.
    O Iphone é o resultado da livre concorrência, da liberdade do Steve Jobs poder perseguir um design específico sem ter que ficar pedindo aprovação do seu projeto a um agência estatal.

    Mesmo no mercado grandes ideias são jogadas forma pela falta de visão da diretoria de certas empresas, a propria Microsoft e Apple se beneficiaram disso quando a Xerox não entendeu o valor das interfaces gráficas e basicamente jogou ela no colo do Steve Jobs (Mac OS) e do Bill Gates (Windows).

    Se ao invés disso ocorrer nos EUA, fosse uma empresa estatal russa a inventar o primeiro sistema operacional grafico, ao invés disso ser repassado para a Apple, teria sido tudo encaixotado em um porão em algum prédio estatal e esquecido.
    Os computadores continuariam sendo usados apenas por nerds digitando comandos de texto em telas pretas e não existiria Iphone nenhum.

    Não existe Iphone sem interface gráfica, as peças inventadas por empresas privadas ele convenientemente esquece de citar.
  • editado May 1
    Ah é, tem um momento hilário onde ele tenta refutar uma afirmação do Rafael sobre o comércio ter maior resiliência do que a indústria artificial as crises, dai ele cita como refutação o exemplo da pandemia, onde o comércio fechou e quem se manteve funcionando foi justamente a indústria... Ele só esqueceu que não foi o comércio que fechou, foi o estado que obrigou o comércio a fechar.
  • Tecnologias nas maos do estado passam por burocracia para se utilizar que impediria sua evolução.
  • NadaSei escreveu: »
    Ah é, tem um momento hilário onde ele tenta refutar uma afirmação do Rafael sobre o comércio ter maior resiliência do que a indústria artificial as crises, dai ele cita como refutação o exemplo da pandemia, onde o comércio fechou e quem se manteve funcionando foi justamente a indústria... Ele só esqueceu que não foi o comércio que fechou, foi o estado que obrigou o comércio a fechar.

    Pois é. Pra início de conversa é isso, o estado fechou todas as lojas físicas que escolheu. Açougues ficaram abertos etc...
    Fica pior quando você vai adiante. O pequeno só tem a loja física, o grande tem a venda digital.
    O governo deu dinheiro para as pessoas gastarem mais não tinha comércio aberto então eles só tinham a opção de gastar nos grandes, estes se beneficiaram com a crise às custas da concorrência a qual o governo tratou de QUEBRAR boa parte com esta medida estúpida.
  • NadaSei escreveu: »
    Judas escreveu: »
    Como ninguém vai ter saco pra assistir os vídeos de horas onde um esquerdista BURRO e IGNORANTE em economia monta espantalhos, aqui vai um resumo do quão desonesto esse cara é.

    Se você assistir ao vídeo todo ...
    Eu assisto vídeos longos mas quando o cara já começa sendo desonesto e monta espantalhos confesso que desanimo.
    Aí procurei um vídeo menos e vi que ele estava fazendo a mesma coisa. Por fim deu uma olhada nas visualizações de cada vídeo e apesar de achar que é pouco vi que alguns tinha bem mais que outros.
    Qualquer retardado com um celular na mão consegue espalhar um monte de besteiras e isso é perturbador porque são muitos fazendo a mesma coisa, e pra piorar eles difamam pessoas como o Rafalel que deve cometer muitos erros mas nenhum do nível dos espantalhos que esse idiota monta.

    Desmontam argumentos bons sem ter argumentos pra isso, apenas difamando e montando espantalhos.
  • NadaSei escreveu: »



    Um Iphone usa peças que tem sua história ligada a investimentos do estado que poderiam ter surgido de outro modo, mas um Iphone em si não é produto da mera existência dessas peças que já existiam muito antes de um Iphone existir.
    O Iphone é o resultado da livre concorrência, da liberdade do Steve Jobs poder perseguir um design específico sem ter que ficar pedindo aprovação do seu projeto a um agência estatal.
    A União Soviética era isso.
    A cúpula do partido com número muito restrito de membros tenta medir forças com a criatividade de milhões de pessoas.
    É como você querer escrever um livro de piadas com mais umas 10 pessoas pra te ajudar, competindo com toda a internet que é uma siderúrgica de piadas e memes do mundo inteiro.

  • editado May 2
    Acho que estes dois vídeos possam resumir seus argumentos sem que eu precise ficar mandando vários vídeos acerca do que ele comenta,um de longa e de curta duração respectivamente;creio que já são mais do que o suficiente para vocês.



  • editado May 3
    Deus escreveu: »
    Acho que estes dois vídeos possam resumir seus argumentos sem que eu precise ficar mandando vários vídeos acerca do que ele comenta,um de longa e de curta duração respectivamente;creio que já são mais do que o suficiente para vocês.




    O video longo eu não assisti, mas deve ser engraçado, já que é um marxista falando sobre neoliberalismo, algo que não existe em economia, mas se trata de um termo político aplicado de modo pejorativo as ideias liberais.

    O segundo é a tipica inversão da realidade, dizendo que o estado deve ser o agente produtor, daquilo que o proprio estado impede de existir.

    É o estado quem emperra a economia e impende o desenvolvimento científico e tecnológico.
    Ele afirma que o estado tem que se meter naquilo que o estado já esta metido e só atrapalhando.

    Desde quando o estado já não é o grande maestro do desenvolvimento científico e tecnológico no Brasil?
    O estado é. Se não temos nada sendo produzido é justamente porque o estado é EXTREMAMENTE INCOMPETENTE nisso.

    O estado regulamenta tudo, desde o currículo das universidades até a especificação dos padrões de um parafuso.

    O raciocínio desse cara é o de que o governo deve fazer o que ele já faz, mas ele pensa: "Se eu fosse o governante supremo saberia decretar o currículo certo e as especificações certas".

    Ele não discorda do sistema como ele é, só discorda dos detalhes de implementação.

    Seria como eu olhar a imbecilidade do estado decretar que cursos de TI precisam ensinar Visual Basic no currículo como fazem hoje, linguagem essa que se tornou irrelevante já nos anos 90, e, então decidir que impor o currículo está certo, então eu ir lá no currículo e trocar o visual basic pelo JavaScript.

    Daqui 30 anos outros estarão sofrendo com essa decisão e vão dizer: "O governo é burro, se eu fosse o governante trocaria o JavaScript por XYZ".

    E assim seguiremos eternamente fazendo sempre a mesma coisa estupida sem nunca perceber que o erro real não é a linguagem escolhida no momento, mas sim a imposição de um currículo pra começo de conversa.

    Como o mercado vai inovar se são os políticos e burocratas cegos, incompetentes e sem capacidade de inovação, quem determinam qual o caminho a ser percorrido para se inovar?

    Isso é uma obvia contradição.
  • editado May 3
    O cara quer basicamente criar um "shark tank" estatal, onde os burocratas do estado financiam e escolhem quais são os projetos "inovadores".

    Eu já posso imaginar os burocratas indicados pelo PSOL ao ministério da inovação, rindo do projeto de um "neoliberal" que teve a ideia de como criar um reator nuclear mais barato, dando os bilhões de recursos para financiar o outro projeto, que trata da criação de uma criptomoeda indígena.
  • Sobre o vídeo longo.

    Na primeira hora ele se sai muito bem dando uma pincelada no pensamento de certos autores, ainda que alguns não sejam exatamente economistas austríacos.
    Nessa primeira parte ele está falando de economia e pensamento econômico.

    O vídeo no entanto desanda completamente uma hora depois, quando ele começa a falar de "neoliberalismo", pois ele foge da mera apresentação do pensamento econômico de certos autores e começa a falar sobre o "neoliberalismo" como um movimento POLÍTICO misturando como influencias desse movimento desde Ayn Rand a Ordoliberalismo.

    Então ele chama de "neoliberalismo" um mundo de políticas feita por governantes, em muitos casos desconexas umas com as outras, e bota tudo como se fosse parte de um movimento "neoliberal" e tenta agrupar pseudoexplicações do que seriam as justificativas dessas políticas como sendo parte de uma ideologia neoliberal.
    Essa segunda parte é um show de horrores.

    Não faz o menor sentido tratar no mesmo vídeo uma escola econômica e uma suposta ideologia política, sendo que essa suposta ideologia nem mesmo possui autores e na pratica é o oposto do liberalismo, já que se trata de uma suposta ideologia baseada no planejamento estatal e na implantação de um "estado neoliberal".
  • editado May 3
    Ah é, só pra ver a sopa que o cara fez.
    Como exemplo do pensamento neoliberal no Brasil, os "think tanks" do neoliberalismo no Brasil segundo ele são:

    Instituto Mises.
    instituto Millenium.
    MBL.
    Brasil Paralelo.

    Isso tudo seriam exemplos do neoliberalismo no Brasil...
  • NadaSei escreveu: »
    Ah é, só pra ver a sopa que o cara fez.
    Como exemplo do pensamento neoliberal no Brasil, os "think tanks" do neoliberalismo no Brasil segundo ele são:

    Instituto Mises.
    instituto Millenium.
    MBL.
    Brasil Paralelo.

    Isso tudo seriam exemplos do neoliberalismo no Brasil...

    Brasil Paralelo neoliberal...
    Meu Deus.

    Esse cara deve ter uma opinião bem peculiar a respeito da China que eu adoraria conhecer.
  • Sobre o vídeo mais curto que foi o que consegui assistir eu ia mencionar exatamente o estrago que o estado faz nas bases necessárias pra se criar um ambiente mais parecido com o ambiente onde nascem a Apple, A Tesla, SpaceX...

    A educação medíocre e atrasada daqui que ferra com o progresso. Isso está a cargo do estado.
    Hoje é exigido formação em filosofia pra segundo grau. Pra quê? Pra enfiar um monte de porcaria ideológica na prova do ENEM e perder o tempo dos alunos com essa porcaria.
    Mais do que nunca o estudo precisa ser especializado. Se o cara vai trabalhar com TI a biologia pode ficar só no básico mesmo.
    Química que exige um monte de nomenclatura específica e diagramação de Enol, Fenol...Jamais usei isso na minha vida.
    Se eu fosse programar algo que precisasse de conhecimento básico sobre isso eu recorreria À Internet e com 5 minutos saberia o que preciso pra montar um Power Point por exemplo.

    Mas isso é só uma das muitas maneiras que o estado atrapalha as coisas.
    Temos a saúde e a reserva de mercado da classe médica.
    Preços proibitivos nas faculdades daqui pra esta área levam ao mercado procurar um jeito como de costume.
    É comum brasileiros se mudarem pra Argentina pra cursar medicina por lá que é mais barato, depois fazem o revalida.
    Se você quer mais saúde, mais médicos a preços melhores, precisa incentivar a formar mais destes profissionais.

    Aliás se você quer qualquer coisa mais barata precisa fazer mais dessa coisa, incentivar isso.

    Mas temos o governo fazendo o contrário.

    Ele incentiva diplomas que não servem pra nada, cria faculdades que dão mais destes diplomas e diluem o preço dos diplomas existentes.

    Não precisamos de mais advogados, mais de 50% dos inscritos na OAB não advogam, devem estar dirigindo Uber ou fazendo qualquer outra coisa, talvez concursos públicos.
    Quando o governo faz isso, quando incentiva a criação de mais diplomas pra um mercado já saturado o resultado é que os diplomas, assim como o dinheiro, passam a valer menos. A sociedade não ganha nada com a formação de profissionais que não têm pra quem prestar seus serviços e o diploma vira só um papel ou uma entrada pro mundo dos concursos públicos.

    Só que além da sociedade não ganhar nada com isso ela ainda por cima PAGA A CONTA de um rico que vai passar em direito só pra ter o diploma pra prestar concurso público de nível superior.

    Pagamos então não pra criar um advogado a mais mas pra criar mais um parasita que vai trabalhar pro estado ganhando muito mais do que merece com o conhecimento que tem e com a utilidade dele pra quem paga a conta.


  • Temos também a Petrobras e os Correios seguindo a mesma linha de empresas que seriam muito mais lucrativas em ambientes de concorrência.
  • editado May 3
    Judas escreveu: »
    NadaSei escreveu: »
    Ah é, só pra ver a sopa que o cara fez.
    Como exemplo do pensamento neoliberal no Brasil, os "think tanks" do neoliberalismo no Brasil segundo ele são:

    Instituto Mises.
    instituto Millenium.
    MBL.
    Brasil Paralelo.

    Isso tudo seriam exemplos do neoliberalismo no Brasil...

    Brasil Paralelo neoliberal...
    Meu Deus.

    Esse cara deve ter uma opinião bem peculiar a respeito da China que eu adoraria conhecer.
    E instituto Mises...

    O cara insiste que existe neoliberalismo e não conseguiu citar um único exemplo de neoliberal.

    Citou o pessoal do MBL que são liberais clássicos.
    Citou o pessoal do Instituto Mises que são anarcocapitalistas.
    Citou o pessoal do Brasil Paralelo que são conservadores.

    É o mesmo que eu falar que existe uma ideologia neo-comunofascista e citar com representantes, o PSDB, o PCO, a REDE e o PDT.
    Daí eu faço uma ressalva de que o movimento não é "homogêneo" e existem diferenças entre esses grupos neo-comunofascistas e saio descrevendo tudo o que eu não gosto na esquerda como sendo parte da ideologia deles.

    "O neo-comunofascismo é uma doutrina de esquerda baseada na formação de monopólios privados que durante a era PT empobreceu o povo e enriqueceu os bilionários através do BNDES, como vimos com Eike Batista, família Odebrecht e os irmãos Batista da Friboi, logo depois do FHC ter destruído as empresas estatais que abriram o mercado para esses empresários".

    Jogando tudo no mesmo saco eu posso pegar as políticas do FHC e do PT e criar a teoria de que é tudo o mesmo projeto de poder e enriquecimento dos monopólios privados.

    É assim que esse pessoal cria o fantasma do neoliberalismo. Mesmo que não exista nenhum autor defendendo e dizendo o que isso seria e porque isso seria bom, os críticos podem pegar qualquer coisa que acham ruim, botar num saco só e dizer que é tudo neoliberalismo.
  • O neoliberalismo é o espantalho perfeito. Porque não existe ninguém que o defina e o defenda, ele pode ser qualquer coisa que desagrada a esquerda.
  • NadaSei escreveu: »
    O neoliberalismo é o espantalho perfeito. Porque não existe ninguém que o defina e o defenda, ele pode ser qualquer coisa que desagrada a esquerda.

    Se não incomoda mandei seu comentário para o canal dele se ele responder repasso.
  • Ele poderia vir aqui.
    Seria literalmente mais um André comunista aqui.
  • editado May 4
    NadaSei escreveu: »
    É o estado quem emperra a economia e impende o desenvolvimento científico e tecnológico.
    Ele afirma que o estado tem que se meter naquilo que o estado já esta metido e só atrapalhando.

    Desde quando o estado já não é o grande maestro do desenvolvimento científico e tecnológico no Brasil?
    O estado é. Se não temos nada sendo produzido é justamente porque o estado é EXTREMAMENTE INCOMPETENTE nisso.

    O estado regulamenta tudo, desde o currículo das universidades até a especificação dos padrões de um parafuso.
    Desenvolvimento científico e tecnológico depende de criatividade.
    Isto não se impõe por decreto.

    A função do Estado é criar as condições para que empresas criativas possam surgir.
    Ou, pelo menos, não atrapalhar.
  • editado May 4
    Deus escreveu: »
    NadaSei escreveu: »
    O neoliberalismo é o espantalho perfeito. Porque não existe ninguém que o defina e o defenda, ele pode ser qualquer coisa que desagrada a esquerda.

    Se não incomoda mandei seu comentário para o canal dele se ele responder repasso.

    Duvido que responda. Aposto que ele apaga o comentário.
  • Fernando_Silva escreveu: »
    Desenvolvimento científico e tecnológico depende de criatividade.
    Isto não se impõe por decreto.

    A função do Estado é criar as condições para que empresas criativas possam surgir.
    Ou, pelo menos, não atrapalhar.

    Exatamente, mas esse povo em pleno século 21 ainda vive com a mentalidade do século 19 e não aprendeu nenhuma vírgula das lições do século 20.

    Também, não se poderia esperar mais nada de um economista marxista. Seria como esperar novidades de um biólogo criacionista.
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.