Criaturo, o Erivelton da economia.

editado May 27 em Religião é veneno
Tópico colaborativo pra catalogar posts do Criaturo e sua visão Eriveltiana sobre a economia.
«134

Comentários

  • editado May 26
    CRIAVELTON escreveu: »
    quem ganha 10000,00 é rico ?
    depois eu que tenho inveja dos ricos, parece que alguém tem inveja dos pobres enfermeiros =)
    quem ganha 10000,0 sustenta o governo isso sim :
    27% IRRF
    14% inss
    dos 50% restante
    iptu icms
  • CRIAVELTON escreveu: »
    a questão é que brasileiros querem desfrutar apenas do filé sem "ossos", por isso ricos dispensam a pré escola publica e só querem consumir o filé mingnhom das boas universidades publicas.
    Fácil de resolver basta exigir escolaridade publica como pré requisito apara adentrar a universidades publicas, muito justo.
    isto irá reduzir o interesses da classe média pelo ensino publico superior, o que deverá aumentar a oferta do ensino privado.
    Sim, Criavelton.
    Basta dispensar alunos com notas melhores e deixar cursar medicina os vindos das escolas onde o ensino é deficitário.
    Com certeza isso formará médicos melhores.
  • editado May 27
    CRIAVELTON escreveu: »
    o problema que no brasil empresario não investe em geração de novos empregos e sim sempre na geração de mais lucros!
    Este problema existe no mundo todo, Criavelton.
    Empresários sofrem do mal de arriscar o próprio dinheiro prioritariamente pra ganhar mais dinheiro, como não dá pra fazer isso sozinhos acabam por ter que contratar escravos que voluntariamente aceitam trabalhar pra esse imundos.
    Eu também não entendo isso. Se o objetivo deles fosse gerar empregos acho que poderiam simplesmente doar o dinheiro que iriam investir para os outros ao invés de contratar e os explorar. Seria muito mais humano.
    Afinal, se você não é empresário seu dinheiro guardado no banco é seu, é fruto do seu trabalho, porém assim que você resolve virar um empresário e contratar alguém, o dinheiro que era seu agora passa a ser um dinheiro sujo porque você de agora em diante está visando o lucro em primeiro lugar.
    O carinha que vendia pipoca era um santo até juntar grana pra comprar outro carrinho e colocar um funcionário/escravo pra trabalhar pra ele, assim que ele faz isso passa a ser um explorador filho da puta.


  • CRIAVELTON escreveu: »
    Empresários investidores não são agentes de caridade nem desenvolvedores de obras sociais, nem tem como principal objetivo geração de empregos que são apenas uma necessidade para poderem alcançar seu principal objetivo,

    Sim. Estes filhos da puta agindo dessa forma tiraram os homens das cavernas e mandaram um civil pra viagens recreativas ao espaço! Fora o Raio-X, e ressonância magnética, vacinas, carros, aviões...
    Bando de canalhas!
  • editado May 27
    Judas escreveu: »
    CRIAVELTON escreveu: »
    a questão é que brasileiros querem desfrutar apenas do filé sem "ossos", por isso ricos dispensam a pré escola publica e só querem consumir o filé mingnhom das boas universidades publicas.
    Fácil de resolver basta exigir escolaridade publica como pré requisito apara adentrar a universidades publicas, muito justo.
    isto irá reduzir o interesses da classe média pelo ensino publico superior, o que deverá aumentar a oferta do ensino privado.
    Sim, Criavelton.
    Basta dispensar alunos com notas melhores e deixar cursar medicina os vindos das escolas onde o ensino é deficitário.
    Com certeza isso formará médicos melhores.

    ninguém aqui ta falando de cotas nem de discriminação social , ensino publico é para quem necessita de ensino publico não para oportunistas.
    o ensino publico é deficitário devido a politica assistencialista que transformou escola em abrigos sociais onde objetivo é alimentação ao invés de educação.
    escolas infantis EMEI em dias de frio de 40 alunos apenas comparecem 10, isso significa que é a minoria das mães que trabalham e realmente necessitam deixar os filhos na escola e que a maioria só vai la por que os pais não aguentam ficar com seus filhos em casa, ou por que não ha comida em casa.
    Resultado disto salas lotadas com 40 alunos para serem alfabetizados por apenas um professor, ou seja se ao final do dia se todos alunos e professores conseguirem sair inteiros, ja pode ser considerado um ótimo dia de "aula"!
    A falência do ensino publico ja começa no ninho da educação infantil, onde deveria estar voltado para o aprendizado da convivência aprendendo a respeitar as devidas regras sociais, mas infelizmente a sociedade sofre do coitadismo alimentando pela impunidade, donde desde criança é dado ao individuo liberdade para desrespeitar os outros.
    Pais, educadores, professores, segurança publica todos "desautorizados a educar", onde educação é visto como repressão que fere ao direito da liberdade para se tornar um marginal.
    Aprovação automática acabou com a educação, era o único recurso que os professores tinham para fazer alunos aprenderem alguma coisa, hoje só há desmotivação dos dois lados.
    "Todos na Escolas" uma hipocrisia assistencialista que ao invés de salvar a todos esta prejudicando a todos.

  • Judas escreveu: »
    CRIAVELTON escreveu: »
    o problema que no brasil empresario não investe em geração de novos empregos e sim sempre na geração de mais lucros!
    Este problema existe no mundo todo, Criavelton.
    Empresários sofrem do mal de arriscar o próprio dinheiro prioritariamente pra ganhar mais dinheiro, como não dá pra fazer isso sozinhos acabam por ter que contratar escravos que voluntariamente aceitam trabalhar pra esse imundos.
    Eu também não entendo isso. Se o objetivo deles fosse gerar empregos acho que poderiam simplesmente doar o dinheiro que iriam investir para os outros ao invés de contratar e os explorar. Seria muito mais humano.
    Afinal, se você não é empresário seu dinheiro guardado no banco é seu, é fruto do seu trabalho, porém assim que você resolve virar um empresário e contratar alguém, o dinheiro que era seu agora passa a ser um dinheiro sujo porque você de agora em diante está visando o lucro em primeiro lugar.
    O carinha que vendia pipoca era um santo até juntar grana pra comprar outro carrinho e colocar um funcionário/escravo pra trabalhar pra ele, assim que ele faz isso passa a ser um explorador filho da puta.
    Criavelton = + espantalhos
    radicalismo tendem a injustiças e deduções equivocadas
    Ja disse que empresários prestam um importante papel social na geração de empregos, principalmente os micros
    mas, se tirar 250,00 do bolso de um empresario para aumentar o salario do enfermeiro é injusto, reduzir o salario dele a metade para dar ao empresario é ainda mais.
    aumentar preço no inicio da produtividade e não aumentar salários dos empregados também não me parece justo, salvo os casos que trata-se de motivos inevitáveis como mudanças de climas ou fatores internacionais.
    mas o que eu condeno são casos empresarias dando lucros especulativos como os 4400% da petrobras que esta ajudando afundar a nossa economia enriquecendo estrangeiros.



  • Ele alimentando o tópico criado para ele com suas sandices, tivemos êxito aqui.
  • editado May 27
    Judas escreveu: »
    CRIAVELTON escreveu: »
    Empresários investidores não são agentes de caridade nem desenvolvedores de obras sociais, nem tem como principal objetivo geração de empregos que são apenas uma necessidade para poderem alcançar seu principal objetivo,

    Sim. Estes filhos da puta agindo dessa forma tiraram os homens das cavernas e mandaram um civil pra viagens recreativas ao espaço! Fora o Raio-X, e ressonância magnética, vacinas, carros, aviões...
    Bando de canalhas!

    isso mesmo! Imagine o empresario bilionário Yellow Musk querendo vir explorar o espaço brasileiro com seus satélites espiões de madeireiros da floresta amazônica?
    imagine quanto lenhadores e mineradores perderão seus empregos?
    quantos fazendeiros perderão novos espaços para criação de bois?
    tem razão é muita canalhice empresarial!

    muttley.jpg
  • Caraca a inveja tá alta mesmo.
  • Percival escreveu: »
    Ele alimentando o tópico criado para ele com suas sandices, tivemos êxito aqui.

    Facilita demais o trabalho de catalogar tudo o que é besteira que ele disse nos últimos anos.
  • editado May 28
    CRIATURO escreveu: »
    Judas escreveu: »
    CRIAVELTON escreveu: »
    o problema que no brasil empresario não investe em geração de novos empregos e sim sempre na geração de mais lucros!
    Este problema existe no mundo todo, Criavelton.
    Empresários sofrem do mal de arriscar o próprio dinheiro prioritariamente pra ganhar mais dinheiro, como não dá pra fazer isso sozinhos acabam por ter que contratar escravos que voluntariamente aceitam trabalhar pra esse imundos.
    Eu também não entendo isso. Se o objetivo deles fosse gerar empregos acho que poderiam simplesmente doar o dinheiro que iriam investir para os outros ao invés de contratar e os explorar. Seria muito mais humano.
    Afinal, se você não é empresário seu dinheiro guardado no banco é seu, é fruto do seu trabalho, porém assim que você resolve virar um empresário e contratar alguém, o dinheiro que era seu agora passa a ser um dinheiro sujo porque você de agora em diante está visando o lucro em primeiro lugar.
    O carinha que vendia pipoca era um santo até juntar grana pra comprar outro carrinho e colocar um funcionário/escravo pra trabalhar pra ele, assim que ele faz isso passa a ser um explorador filho da puta.
    Criavelton = + espantalhos
    radicalismo tendem a injustiças e deduções equivocadas
    Ja disse que empresários prestam um importante papel social na geração de empregos, principalmente os micros
    mas, se tirar 250,00 do bolso de um empresario para aumentar o salario do enfermeiro é injusto, reduzir o salario dele a metade para dar ao empresario é ainda mais.
    aumentar preço no inicio da produtividade e não aumentar salários dos empregados também não me parece justo, salvo os casos que trata-se de motivos inevitáveis como mudanças de climas ou fatores internacionais.
    mas o que eu condeno são casos empresarias dando lucros especulativos como os 4400% da petrobras que esta ajudando afundar a nossa economia enriquecendo estrangeiros.



    A única coisa justa é que quem ganhou o dinheiro é quem tem que decidir o que fazer com ele.

    Não existe nada de "justo" em tomar o dinheiro do empresário para tentar dar para quem você acha que deve receber.

    Longe disso ser um raciocínio altruísta ele é na verdade um raciocínio autoritário paltado na inveja do dinheiro alheio de alguém se auto enganando e achando que é possível fazer caridade com o bolso alheio.

    É como rei que iniciou uma guerra juntando mais soldados para uma nova campanha e quando o povo sofrido reclama dos filhos perdidos na guerra diz: "Todos temos feito sacrifícios nessa guerra, eu já perdi meu sobrinho, meu cunhado e na última batalha um grande amigo, nessa nova campanha estou disposto a sacrificar meu querido primo. Agora vão lutar e ganhem a guerra enquanto eu espero aqui no meu castelo".

    Não existe altruísmo nenhum em sacrificar os outros.
    Quem faz isso é na verdade um crápula.

    A realidade aqui é que você que não cria nenhum emprego e não paga nehum salário está reclamando e culpando quem cria empregos e paga muitos salários.

    Você não faz nada e joga a culpa em quem faz muito mais do que você.
  • Lembrei de uma antiga charge:
    O rei decide redistribuir a riqueza de forma justa. Para isto, cobra 2 moedas de cada cidadão.
    Em seguida, distribui esse dinheiro: 1 moeda para cada cidadão.
    Quando reclamam, ele diz: "E as despesas administrativas ?!"
  • Fernando_Silva escreveu: »
    Lembrei de uma antiga charge:
    O rei decide redistribuir a riqueza de forma justa. Para isto, cobra 2 moedas de cada cidadão.
    Em seguida, distribui esse dinheiro: 1 moeda para cada cidadão.
    Quando reclamam, ele diz: "E as despesas administrativas ?!"

    Essa é ótima.

    É a perfeita descrição de quem acha que o pobre não pode pagar por saúde e educação, mas pode pagar para políticos e burocratas administrarem o dinheiro dos pobres e pagarem por saúde e educação.

    É a descrição perfeita desse raciocínio burro.
  • NadaSei escreveu: »
    Fernando_Silva escreveu: »
    Lembrei de uma antiga charge:
    O rei decide redistribuir a riqueza de forma justa. Para isto, cobra 2 moedas de cada cidadão.
    Em seguida, distribui esse dinheiro: 1 moeda para cada cidadão.
    Quando reclamam, ele diz: "E as despesas administrativas ?!"

    Essa é ótima.

    É a perfeita descrição de quem acha que o pobre não pode pagar por saúde e educação, mas pode pagar para políticos e burocratas administrarem o dinheiro dos pobres e pagarem por saúde e educação.

    É a descrição perfeita desse raciocínio burro.

    E o que que você acha da ideia do cheque-educação básica (fundamental e média) ou voucher e também poderia haver um cheque-seguro-saúde ou voucher saúde para os, digamos, 70% mais pobres no segundo caso y 88% mais pobres no primeiro caso? No caso da educação foi uma ideia inclusive do conservador-liberal Milton Friedman.
  • Voucher é uma saída tipo "meio do caminho". Só de não ser o que é atualmente já é é melhor.
    Transfere responsabilidade de zelar por melhor ensino para os pais já que poderão escolher.
    Fomenta a criação de novas escolas que poderão ser escolas de verdade ou fachadas pra lavar dinheiro e formar zumbis.
    Desmontaria um monte de escolas lixo ou as forçaria a melhorar o ensino.
    Deixaria sem emprego um monte de professores que não apresentam resultados.
    Aumentaria o salário de um monte de professores bons que poderiam trabalhar em escolas bem geridas e com metas de formação de bons alunos.
    Fomentaria também escolas exigentes em relação a disciplina em sala de aula pra formar alunos de elite e com isso quebrar a concorrência. Aluno que responde professor em sala de aula será tratado como antes. Assina ocorrência no máximo duas vezes, na terceira é rua, deixando os que querem aprender em paz.
    Seria um fomento ao homeschooling na medida em que associações de bairro poderiam se organizar pra educar alunos da região.
    E mais um monte de outras implicações que não consigo enumerar.

    Da pra melhorar muito o ensino apenas usando o mínimo de bom senso, coisa que duvido muito que irá acontecer.
    Quando se fala a palavra "resultado" neste meio dominado por incompetentes e aspones a reação é forte.
    Com todas as fraudes que certamente ocorreriam com o vouchers ainda seria melhor que a situação atual onde TODO o ensino público é uma fraude e boa parte do particular também porque sindicato de professor é um câncer mundial.
  • editado May 29
    LaraAS escreveu: »
    NadaSei escreveu: »
    Fernando_Silva escreveu: »
    Lembrei de uma antiga charge:
    O rei decide redistribuir a riqueza de forma justa. Para isto, cobra 2 moedas de cada cidadão.
    Em seguida, distribui esse dinheiro: 1 moeda para cada cidadão.
    Quando reclamam, ele diz: "E as despesas administrativas ?!"

    Essa é ótima.

    É a perfeita descrição de quem acha que o pobre não pode pagar por saúde e educação, mas pode pagar para políticos e burocratas administrarem o dinheiro dos pobres e pagarem por saúde e educação.

    É a descrição perfeita desse raciocínio burro.

    E o que que você acha da ideia do cheque-educação básica (fundamental e média) ou voucher e também poderia haver um cheque-seguro-saúde ou voucher saúde para os, digamos, 70% mais pobres no segundo caso y 88% mais pobres no primeiro caso? No caso da educação foi uma ideia inclusive do conservador-liberal Milton Friedman.

    Então, o maior problema com isso é gerar inflação nesses mercados como já ocorre com a oferta de crédito estudantil, especialmente nos EUA.

    E olha que nesse caso o dinheiro é emprestado e não dado, ainda assim as universidades acabam cobrando fortunas porque sabem que vão ter acesso ao dinheiro desse credito.

    Mas sim, seria mil vezes melhor do que o que temos hoje e o próprio Milton Friedman da a solução para PARTE do problema.

    Ao invés de um cheque educação e um cheque saúde você da uma renda mínima ao estilo bolsa família/auxílio Brasil e deixa a pessoa decidir com o que e quanto pretende gastar com cada coisa e o que sobrar ela faz o que quiser.

    Isso da a ela o incentivo a ser econômica com o gasto desse auxílio e da a ela o poder de decidir o que necessita mais, ao invés do estado decidir isso por ela.

    O bolsa família sozinho é um bom programa quando implementado em um estado mínimo.

    Se os gastos do governo se limitassem aos gastos com os 3 poderes (polícia, sistema de justiça, legislativo, etc) + renda mínima, sem bobagens de governo criando infraestrutura, tendo estatais que vão do saneamento basico ao petróleo, etc... Isso já seria um avanço gigantesco.

    Um programa de renda mínima seria um problema muito menor frente a isso tudo.
  • Percival escreveu: »
    Caraca a inveja tá alta mesmo.

    percivejo que a burrice tambem =)
  • CRIATURO escreveu: »
    Percival escreveu: »
    Caraca a inveja tá alta mesmo.

    percivejo que a burrice tambem =)

    Bom que você assume sua capacidade mental.
  • editado May 30
    NadaSei escreveu: »
    CRIATURO escreveu: »
    Judas escreveu: »
    CRIAVELTON escreveu: »
    o problema que no brasil empresario não investe em geração de novos empregos e sim sempre na geração de mais lucros!
    Este problema existe no mundo todo, Criavelton.
    Empresários sofrem do mal de arriscar o próprio dinheiro prioritariamente pra ganhar mais dinheiro, como não dá pra fazer isso sozinhos acabam por ter que contratar escravos que voluntariamente aceitam trabalhar pra esse imundos.
    Eu também não entendo isso. Se o objetivo deles fosse gerar empregos acho que poderiam simplesmente doar o dinheiro que iriam investir para os outros ao invés de contratar e os explorar. Seria muito mais humano.
    Afinal, se você não é empresário seu dinheiro guardado no banco é seu, é fruto do seu trabalho, porém assim que você resolve virar um empresário e contratar alguém, o dinheiro que era seu agora passa a ser um dinheiro sujo porque você de agora em diante está visando o lucro em primeiro lugar.
    O carinha que vendia pipoca era um santo até juntar grana pra comprar outro carrinho e colocar um funcionário/escravo pra trabalhar pra ele, assim que ele faz isso passa a ser um explorador filho da puta.
    Criavelton = + espantalhos
    radicalismo tendem a injustiças e deduções equivocadas
    Ja disse que empresários prestam um importante papel social na geração de empregos, principalmente os micros
    mas, se tirar 250,00 do bolso de um empresario para aumentar o salario do enfermeiro é injusto, reduzir o salario dele a metade para dar ao empresario é ainda mais.
    aumentar preço no inicio da produtividade e não aumentar salários dos empregados também não me parece justo, salvo os casos que trata-se de motivos inevitáveis como mudanças de climas ou fatores internacionais.
    mas o que eu condeno são casos empresarias dando lucros especulativos como os 4400% da petrobras que esta ajudando afundar a nossa economia enriquecendo estrangeiros.



    A única coisa justa é que quem ganhou o dinheiro é quem tem que decidir o que fazer com ele.

    Não existe nada de "justo" em tomar o dinheiro do empresário para tentar dar para quem você acha que deve receber.

    Longe disso ser um raciocínio altruísta ele é na verdade um raciocínio autoritário paltado na inveja do dinheiro alheio de alguém se auto enganando e achando que é possível fazer caridade com o bolso alheio.

    É como rei que iniciou uma guerra juntando mais soldados para uma nova campanha e quando o povo sofrido reclama dos filhos perdidos na guerra diz: "Todos temos feito sacrifícios nessa guerra, eu já perdi meu sobrinho, meu cunhado e na última batalha um grande amigo, nessa nova campanha estou disposto a sacrificar meu querido primo. Agora vão lutar e ganhem a guerra enquanto eu espero aqui no meu castelo".

    Não existe altruísmo nenhum em sacrificar os outros.
    Quem faz isso é na verdade um crápula.

    A realidade aqui é que você que não cria nenhum emprego e não paga nenhum salário está reclamando e culpando quem cria empregos e paga muitos salários.

    Você não faz nada e joga a culpa em quem faz muito mais do que você.

    seguindo seu raciocínio governo toma dinheiro dos empresários e não gera empregos, se os empresários pagassem salarios mínimos mais compatíveis com atual custo de vida, não haveria tanto desempregos pelo contrario os empregados poderiam até contratar empregados, mas ai ja teríamos uma melhor distribuição de renda tendendo para o fim da elites.
    E contrariando sua teoria da economia empresarial a realidade atual indica que a mão de obra barata excessiva resulta recessão e desemprego.
  • Como sempre só fala bobagem.
    Quando você começar a gerar empregos e pagar salários ou no mínimo parar de negar o conhecimento científico moderno talvez você seja levado a sério.

    Até lá o governo vai continuar fazendo a unica coisa que sabe fazer: Perpetuar a miséria e criar desemprego e inflação.
  • editado May 30
    NadaSei escreveu: »
    Como sempre só fala bobagem.
    Quando você começar a gerar empregos e pagar salários ou no mínimo parar de negar o conhecimento científico moderno talvez você seja levado a sério.
    Até lá o governo vai continuar fazendo a unica coisa que sabe fazer: Perpetuar a miséria e criar desemprego e inflação.
    UÉ! mas não são os doutores ministros da economia que estão ferrando com a NOSSA economia ?
    minha sugestão de melhoria seria aumentar o poder de compra dos salários enquanto a sua seria continuar fazendo o que esta economia a muitas décadas ja faz reduzir salários o máximo possível!
    Se ganhasse o dobro do meu salario poderia gerar mais empregos
    interessante que voce acusa governo confisca salario e não gera empregos
    então sugere que o empresario confisque salários para gerar empregos
    eu sugiro que empresario aumente os salários para que os trabalhadores possam gerar mais empregos.

    "todos querem ir para o céu,mas ninguém quer morrer"

    Trabalhador não quer ter seu salario ainda mais sacrificado em troca da possibilidade do empresários criarem mais empregos
    obviamente porque na pratica a reforma trabalhistas tirando direitos e reduzindo salários terceirizados, ja ficou provado ser incapaz de gerar novos empregos e sim o poder de transformar empregos já existentes em sub empregos.
    ao invés de tentar uma melhor divisão de riquezas sugere divisão da pobreza, nivelando todos por baixo.
    isto até poderia funcionar se o nosso salario minimo não fosse uma piada de mal gosto incapaz de proporcionar uma vida digna quanto mais a de uma família completa.
    a questão é que voce quer usara esta demagogia governamental que inclui dois salarios miserias como elite trabalhistas ao ponto de sugerir a redução do salario de enfermeiro de 4750,00 para metade par criar dois empregos de salario minimo.
    acontece que 4750,00 descontados impostos, transporte, alimentação o que sobra mal da para sustentar uma família dignamente e voce sugere reduzir este salario pela metade? só pode ta de sacanagem empresarial né??
    alem do que como esta sua teoria furada deseja reduzir ainda mais salários da MAIORIA POBRE que ganham salario minimo para gerar outros empregos mínimos? só se estiver pensando como governo em poder pagar ainda menos que um salario miséria.
    quer transformar um salario minimos em dois salários misérias ? é assim que irá gerar novos empregos?
    essa pataquadas governamental deve ter sido inspirada na economia dos EUA que possui $1800 dólar de salario minimo = 8460,00 = 9,4 cesta básicas do brasil, ja nosso salario minimo = 1212,00 = $257 = 1 cesta básica
    alem do que pessoas só conseguem sustento digno com trabalhos autônomos em um pais onde eles EXISTAM







  • editado May 30
    Quem esta ferrando a economia são os políticos e justamente por fazerem o tipo de coisa que você defende ao inflacionar a mão de obra criando assim desemprego.

    O piso salarial dos enfermeiros PROVA que eles já fazem o que você defende, mas como todo negacionista você nega os resultados praticos disso que vemos nos 12 milhões de desempregados e que são fruto desse tipo de medida que você apoia.

    Quanto maior o decreto de salario, maior a inflação e o desemprego. Fato basico mostrado pelo conhecimento científico morderno e pela história.
    Você nega ambos e continua defendendo isso.

    O resultado é mais desemprego e mais inflação.

    Se a sua ideia funcionasse seria simples resolver a miséria no mundo.
    Bastaria decretar um salário mínimo de 1 milhão de reais e seriamos todos milionários.

    O absurdo e o ridículo dessa ideia deveriam ser auto evidentes.
  • editado May 30
    Você defende a imposição arbitrária de um salário por meio de DECRETO resultando em inflação e desemprego.
    O resultado do que você propõe vemos no Brasil cristalizado em empregadas domésticas ganhando 1212 reais por mês.

    Eu por outro lado defendo salários LIVREMENTE NEGOCIADOS e que terminam sendo definidos não pela vontade individual mas pela lei da oferta e da demanda.
    O resultado são o aumento das vagas de emprego e por consequência da disputa por trabalhadores, o que no fim resulta no aumento generalizado de salários.

    O resultado do que eu proponho vemos cristalizado nos EUA onde faltam trabalhadores e sobram vagas de emprego, e onde uma empregada doméstica ganha no mínimo 1791 dolares por mes, o que em reais na coação de hoje a 4.73 da um salário de 8471 reais.
  • editado May 30
    Ou seja, no fim você defende que empregadas continuem ganhando a miséria de 1212 reais e eu defendo que elas ganhem 8471 reais.

    Quem defende salarios miseráveis é você ao defender que o governo possa decretar o valor dos salarios.

    Eu defendo os salarios altos que se consegue deixando a sociedade LIVRE para negociar salários.

    Então pare de inverter as coisas pois quem defende os salários miseráveis, o desemprego e a inflação é você que até tem saudades da era Sarney.
  • editado May 30
    NadaSei escreveu: »
    Quem esta ferrando a economia são os políticos e justamente por fazerem o tipo de coisa que você defende ao inflacionar a mão de obra criando assim desemprego.

    O piso salarial dos enfermeiros PROVA que eles já fazem o que você defende, mas como todo negacionista você nega os resultados praticos disso que vemos nos 12 milhões de desempregados e que são fruto desse tipo de medida que você apoia.

    Quanto maior o decreto de salario, maior a inflação e o desemprego. Fato basico mostrado pelo conhecimento científico morderno e pela história.
    Você nega ambos e continua defendendo isso.

    O resultado é mais desemprego e mais inflação.

    Se a sua ideia funcionasse seria simples resolver a miséria no mundo.
    Bastaria decretar um salário mínimo de 1 milhão de reais e seriamos todos milionários.

    O absurdo e o ridículo dessa ideia deveriam ser auto evidentes.
    o piso salarial do enfermeiro de nivel superior a 4750,00 só prova que enquanto o salarios estiverem sendo desvalorizados pela inflação e pelos patrões o brasil nunca chegara alcançar a melhor distribuição de renda dos EUA!
    pelo fato da maioria estar ganhando um salario minimo que esta causando o atual desemprego e recessão econômica e não pela minoria de assalariados da sua suposta "elite" trabalhista que estão ganhando acima de dois salários mínimos.
    logo querer reduzir salários que ja são mínimo transformando um salário de 3600,00 em 3 salários mínimos de 1200,00 alegando que isso irá conseguir gerar mais sub empregos só pode ser economia feita de empresários para empresários!
    não precisa aumentar salário mínimo para um milhão de reais porque seria mais fácil ganhar todo esse dinheiro rodando o pião do bau da felicidade!
    Recessão e desemprego é o resultado desta economia empresarial que vem sendo praticada a décadas reduzidos salários com terceirização e retirados benefícios,mas esta copia mal feita da economia americana cá não deu certo pelos motivos ja descritos acima! e voce continua insistindo em mais da mesma porcaria de sempre sacrificar trabalhadores, coisa de direitista empresarial!
    A questão é que milagres só podem ser realizados através de sacrifícios pessoais, transformar 1 salario meio boca de 3600,00 em 3 sub empregos minimos de 1200,00 não ira aumentar o poder de compra nem gerar mais empregos .
    obviamente por que isso não é distribuição de riqueza e sim distribuição de pobrezas em beneficio do aumento de lucros da minoria empresarial, ou seja aumenta-se o poder de compra dos que menos consomem, sob promessas de que eles irão investir esta riqueza na geração de mais sub empregos.
    obviamente que se se parte dos lucros empresarial fossem investidos nos seus funcionários, estes sim aqueceriam a economia consumindo muito mais que os poucos empresários, isto sim ajudaria aquecer a economia!



  • CRIATURO escreveu: »

    A questão é que milagres só podem ser realizados através de sacrifícios pessoais, transformar 1 salario meio boca de 3600,00 em 3 sub empregos minimos de 1200,00 não ira aumentar o poder de compra nem gerar mais empregos .


    Primeiro lugar quem aumenta o poder de compra é o indivíduo com sua busca por melhores salários e qualificação. Querer institucionalizar isto com leis só prejudica o poder de compra. Isso que você não consegue entender.

  • CRIAVELTON escreveu: »

    A questão é que milagres só podem ser realizados através de sacrifícios pessoais, transformar 1 salario meio boca de 3600,00 em 3 sub empregos minimos de 1200,00 não ira aumentar o poder de compra nem gerar mais empregos .


    Sim, Criavelton.
    Na hora de fazer esta conta o certo é contabilizar apenas a perda de poder de compra de quem ganhava 3600,00 e esquecer que duas outras pessoas as quais o poder de compra era ZERO agora é de 1200 Reais.
    É preciso esquecer também que ali onde trabalhava um funcionário por muitas vezes sofrendo com desvio de função* agora trabalham 2 ou três com cada um fazendo aquilo para o que foi contratado pra fazer.


    *Caso dos farmacêuticos que citei antes.
    O piso é alto e a função para a qual o governo OBRIGA o dono a farmácia a contratar estes profissionais poderiam muito bem ser desempenhadas por qualquer estoquista cujo salário não fosse alto demais pra exercer funções desta simplicidade.
    Por conta disso o dono da farmácia usa o farmacêutico como balconista, deixando de contratar um balconista pra tentar reaver o prejuízo de ter um profissional muito mais qualificado do que o necessário.

    Sabendo disso, que existe esta demanda artificial criada pelo governo, um monte de gente corre pra fazer faculdade de farmácia pra trabalhar como balconista de luxo e estoquista.
    Pronto. Agora temos uma profissão que pra continuar a existir precisa que a demanda seja mantida artificialmente alta ou os milhares de dinheiristas que cursam áreas do conhecimento apenas pra ter um salário maior vão ficar sem emprego e ainda por cima vão reclamar por não serem valorizados e argumentar sobre a importância de ser um farmacêutico que estudou por 5 anos o profissional responsável por contar remédios e fazer o controle de entrada e saída de medicamentos com as devidas receitas médicas justificando o fluxo.

    Mais um adendo.
    O governo obriga a ter um farmacêutico caro.
    A farmácia local não da conta de contratar este profissional + a quantidade de balconistas que precisa pra atender os clientes.
    A farmácia local aumenta o preço dos remédios repassando ao consumidor os custos equivalentes ao grande benefício de entrar em uma farmácia pra comprar uma Dipirona e saber que aquele remédio foi contado e conferido por um farmacêutico, que sabemos que é o profissional especializado em ler receitas, e olhar a validade dos medicamentos pra ver se não estão vencidos.
    Ainda não entendi o porque de não haver farmacêuticos em supermercados pra ver esse negócio da validade dos produtos.
    Eu por exemplo quando vou comprar leite fresco por muitas vezes noto que o leite azeda no dia seguinte. Isso se da porque a validade do leite estava próxima e não havia um farmacêutico trabalhando na padaria pra me falar a validade do leite que é escrita na embalagem em português legível.
  • Percival escreveu: »
    CRIATURO escreveu: »

    A questão é que milagres só podem ser realizados através de sacrifícios pessoais, transformar 1 salario meio boca de 3600,00 em 3 sub empregos minimos de 1200,00 não ira aumentar o poder de compra nem gerar mais empregos .


    Primeiro lugar quem aumenta o poder de compra é o indivíduo com sua busca por melhores salários e qualificação. Querer institucionalizar isto com leis só prejudica o poder de compra. Isso que você não consegue entender.

    exato desde sempre a força da lei feita por empresários só funcionam para roubar salários dos trabalhadores
    não defendo aumento de salarios nem congelamento de preços apenas a conscientização empresarial na necessidade de sacrificar parte dos lucros em aumentar o poder de compra dos seus funcionários.
  • CRIATURO escreveu: »

    exato desde sempre a força da lei feita por empresários só funcionam para roubar salários dos trabalhadores

    Não existe roubo e sim troca. Algo em comum entre as partes, que o governo vem e usurpa parte desse valor para reverter em direitos que atendem precariamente o trabalhador.
    CRIATURO escreveu: »
    não defendo aumento de salarios nem congelamento de preços apenas a conscientização empresarial na necessidade de sacrificar parte dos lucros em aumentar o poder de compra dos seus funcionários.

    "Sacrifício" por alguém tem que ter motivo, nem mesmo você faz algo sem querer um retorno depois. Para de ser cínico.

  • editado May 30
    Judas escreveu: »
    CRIAVELTON escreveu: »

    A questão é que milagres só podem ser realizados através de sacrifícios pessoais, transformar 1 salario meio boca de 3600,00 em 3 sub empregos minimos de 1200,00 não ira aumentar o poder de compra nem gerar mais empregos .


    Sim, Criavelton.
    Na hora de fazer esta conta o certo é contabilizar apenas a perda de poder de compra de quem ganhava 3600,00 e esquecer que duas outras pessoas as quais o poder de compra era ZERO agora é de 1200 Reais.
    É preciso esquecer também que ali onde trabalhava um funcionário por muitas vezes sofrendo com desvio de função* agora trabalham 2 ou três com cada um fazendo aquilo para o que foi contratado pra fazer.


    *Caso dos farmacêuticos que citei antes.
    O piso é alto e a função para a qual o governo OBRIGA o dono a farmácia a contratar estes profissionais poderiam muito bem ser desempenhadas por qualquer estoquista cujo salário não fosse alto demais pra exercer funções desta simplicidade.
    Por conta disso o dono da farmácia usa o farmacêutico como balconista, deixando de contratar um balconista pra tentar reaver o prejuízo de ter um profissional muito mais qualificado do que o necessário.

    Sabendo disso, que existe esta demanda artificial criada pelo governo, um monte de gente corre pra fazer faculdade de farmácia pra trabalhar como balconista de luxo e estoquista.
    Pronto. Agora temos uma profissão que pra continuar a existir precisa que a demanda seja mantida artificialmente alta ou os milhares de dinheiristas que cursam áreas do conhecimento apenas pra ter um salário maior vão ficar sem emprego e ainda por cima vão reclamar por não serem valorizados e argumentar sobre a importância de ser um farmacêutico que estudou por 5 anos o profissional responsável por contar remédios e fazer o controle de entrada e saída de medicamentos com as devidas receitas médicas justificando o fluxo.

    Mais um adendo.
    O governo obriga a ter um farmacêutico caro.
    A farmácia local não da conta de contratar este profissional + a quantidade de balconistas que precisa pra atender os clientes.
    A farmácia local aumenta o preço dos remédios repassando ao consumidor os custos equivalentes ao grande benefício de entrar em uma farmácia pra comprar uma Dipirona e saber que aquele remédio foi contado e conferido por um farmacêutico, que sabemos que é o profissional especializado em ler receitas, e olhar a validade dos medicamentos pra ver se não estão vencidos.
    Ainda não entendi o porque de não haver farmacêuticos em supermercados pra ver esse negócio da validade dos produtos.
    Eu por exemplo quando vou comprar leite fresco por muitas vezes noto que o leite azeda no dia seguinte. Isso se da porque a validade do leite estava próxima e não havia um farmacêutico trabalhando na padaria pra me falar a validade do leite que é escrita na embalagem em português legível.
    mais um empresario economista que não sabendo como gerar novos empregos deseja transformar os existentes em sub empregos
    não sabendo como melhor distribuir riquezas deseja dividir as misérias! pior que isto não sabendo criar vagas para farmacêuticos deseja acabar com esta profissão.
    olha com certeza é o alto salário do farmacêutico que esta dando prejuízos e impedindo abertura de novas famarcias a cada esquina, voce tem razão vender remédios no Brasil deve ser um péssimo negócio é por isso que quase não vemos farmácias por ai!

    materia-farmacia-08.jpg

    farmacias.-foto.jpg



    continuem com essa choradeira que estão quase me fazendo ter dó dos explorados empresários, vou seguir o seu bom exemplo de funcionário padrão empresarial e vou pedir para também abaixarem meu salário.

    se a data de validade é escrita em português legível basta ler, isto não é motivo para vir aqui ficar chorando aproveite para fazer um bom queijo minas! =)
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.